Ilhas do Futuro: Madeira

madeira1

imagem: Arte

Devo penitenciar-me pela minha ignorância quanto à Ilha da Madeira, à qual pouco mais associo do que o patusco Alberto João Jardim, o bailinho, o vinho e o sotaque peculiar da sua gente. Qual não foi o meu espanto ao ver, enquadrado na série documental “Ilhas do Futuro” do programa franco-alemão Arte, o documentário “Madeira – A luta pela água e pela electricidade”, que apresenta a ilha como pioneira em matéria de energia renovável.
Segundo diz, aquilo com que sonham gestores de energia do mundo inteiro tornou-se realidade na ilha da Madeira: foi construído “um enorme reservatório para armazenar energia eólica, possibilitando assim a produção de energia eléctrica de origem renovável, mesmo quando não há vento. Nos próximos anos, a ilha pretende aumentar a produção de energia hídrica, eólica e solar para, já em 2020, cobrir metade do seu consumo de electricidade através de fontes de energia renováveis. Em comparação, a UE planeia, até a 2030, um aumento da produção de energia eléctrica renovável de apenas 27%.”O filme mostra a engenhosa rede tradicional de canais de irrigação, com uma extensão superior a 2000 km. A origem das “levadas“, que ainda hoje podem ser percorridas a pé, remonta ao século XV e deve-se à necessidade de trazer as abundantes quantidades de água das vertentes orientadas a norte para o lado sul da ilha, de mais fácil habitação e onde desde sempre se situaram a maioria das plantações, nomeadamente de cana-de-açúcar. As mais recentes levadas datam da década de 1940, fornecendo água para centrais hidroeléctricas e também para fins de irrigação.
A obra a que o filme se refere foi a transformação da central hidroeléctrica dos Socorridos num sistema reversível que permite a produção de energia durante todo o ano, independentemente da pluviosidade. Especialmente na época estival, a água pode ser bombada para reservatórios e reutilizada para a produção de electricidade. Isso é possível mesmo em períodos secos, dado as bombas funcionarem durante a noite e armazenarem a água que é utilizada durante o dia.

E agora, há dois dias, leio que “a Madeira é o melhor destino insular do Mundo. O galardão é do World Travel Awards, os prémios mais importantes do Turismo a nível mundial.”
Parabéns Madeira!!

P.S. Por favor não me falem agora no Banif porque precisamos de notícias positivas para aguentar este forró.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.