Obrigado, Pedro.

Hoje é, para mim, um dia singular: o dia em que Pedro Passos Coelho deixa a presidência do PSD. Como singulares são, sempre, os momentos em que se encerram ciclos. Neste caso, e pela proximidade que mantive com os seus mandatos, a singularidade da data é bastante mais emotiva.

Ainda é cedo, aliás, ainda é muito cedo, para que a sociedade Portuguesa possa fazer uma apreciação objectiva, desapaixonada e justa da governação de Passos Coelho. Mas há, desde já, um facto indesmentível: foi o Primeiro-Ministro que nunca teve qualquer problema em colocar, sempre, os interesses de Portugal à frente dos seus, dos do seu Partido ou de quaisquer outros.

A dificuldade na avaliação do seu desempenho é, ainda, aumentada e adulterada pela constante e inabalável determinação em não ceder, nunca, a interesses ou estratégias de comunicação ou marketing político. Para um eleitorado que gere a informação que percepciona sem grande selectividade, isso é, infeliz e equivocamente, suicidário.

Mas, em meu nome pessoal, quero, desde já, deixar aqui registado o meu profundo respeito pelo político ímpar e inigualável, a imensa gratidão por ter conduzido este País a bom porto, ultrapassando a pior crise da história da nossa democracia, a minha enorme admiração pela firmeza, carácter, rectidão e desapego que revelou e, pessoalmente, o meu orgulho em me ter sido permitido estar lá.

Obrigado, Pedro.

Comments

  1. Iro Nia says:

    Ah ah ah ah ah ah ah ah 😀

  2. Fernando says:

    Tal como os Salazaristas que ainda julgam que os portugueses muito devem ao Fascista Salazar, os Passistas agora fantasiam e anseiam pelo em dia em que os portugueses finalmente reconhecerão o génio de “Dr.” Passos.

    Sonhar ainda não paga imposto! Portanto, continuem a sonhar muito…

  3. Rui Naldinho says:

    “Até o Diabo depois de morto vira Santo! “

    A ideia de que Pedro Passos Coelho é um homem que está para além da História, “coisa de humanos, diga-se”, mistificando o seu legado numa verdadeira narrativa bíblica, como se este fosse uma espécie de Messias que veio para nos salvar das agruguras do pseudo socialismo inventado por Sócrates, aliás muito típico dos Partidos Socialistas Europeus, da nova vaga, inaugurado por Tony Blair, ele é a prova inequívoca de que as religiões, todas elas, foram no passado, e são-no ainda hoje, construções do ser humano, assentes crença cega e acritica nos desmandos de meia iluminados que se dizem possuídos pode-lo saber, e que nada têm a ver com a realidade do dia a dia dos transeuntes deste planeta, com excepções dos seus discípulos mais diletos.
    Aliás, a narrativa Socrática que vai carpindo mágoas e lamechando pelas esquinas dos tribunais e de alguma comunicação social que lhe dá guarida, está para esta cantilena fúnebre de homenagem a Passos Coelho, no mesmo enquadramento lírico e no mesmo tom musical. A Ode é que pode ser diferente. Como será óbvio, cada um tem os seus ídolos. Eu dispenso-os à força toda.
    O facto de um ter ido para Paris sacar um curso de filósofo “à lá carte”, não fez a coisa por menos, e do outro ir amanhã dar aulas para uma instituição do ensino superior, sem que o seu curriculum académico lhe permita tal veleidade, provavelmente numa instituição privada, quem sabe também ela em crise, a necessitar de um lobista credenciado, demonstra acima de tudo como o mundo hoje é gerido por gente medíocre.

    • Rui Naldinho says:

      Deve ler-se:
      “ Assentes na crença cega e espírito acrítico, nos desmandos de meia dúzia de iluminados que se dizem possuídos pelo saber…”


    • Quanta verdade em tudo o que escreve, Rui Naldinho, sobretudo a última frase que corresponde sim a uma terrível e inquietante realidade.

      e isto não é uma “velhice do restelo”, não, já em 2011 alguém de nível superior o afirmava e que bem fundamentado em inteligência e cultura :

      http://www.odiario.info/?p=2185

  4. Paulo Marques says:

    Depois de oferecer tantos monopólios em onde os caciques se podem reformar, ainda dizem “o Primeiro-Ministro que nunca teve qualquer problema em colocar, sempre, os interesses de Portugal à frente dos seus, dos do seu Partido ou de quaisquer outros”.
    “A dificuldade na avaliação do seu desempenho é, ainda, aumentada e adulterada pela constante e inabalável determinação em não ceder, nunca, a interesses ou estratégias de comunicação ou marketing político. ” também é um fino disparate, nunca nenhum governo controlou tanto a imprensa.
    Mas se “conduzid[ir] este País a bom porto” é seguir a ideologia do emprego barato com pessoas tratadas como gado onde os nativos servem exportação para o centro da eurolândia, o homem merecia, pelo menos, um tachinho na banca alemã.

  5. Orlando Sousa says:

    Passos Coelho não interferiu na Comunicação Social, não interferiu na Justiça, e não interferiu na Banca.
    Que outro 1º. Ministro pode dizer o mesmo?
    Só por isso merece o nosso respeito e agradecimento.


    • Orlando Sousa

      Se não interferiu, alguém o fez por ele ! E olhe que não foram poucos os diligentes compadrios…

      E sobre “respeito e agradecimento”, fale “NO SEU” e não “NO NOSSO”, que não está “mandatado” para tal…

      E se “só por isso” lhe merece respeito e agradecimento…então muito mais terá´a “agradecer-lhe” por quatro anos e meio de quase destruição do País e pela tragédia que trouxe a milhares de famílias portuguesas ! E adianto desde já que a estafada bancarrota do sócrates, foi muito aumentada pela “ida além da troika” como desejado programa de governo, que a troika não exigiu e de que até se admirou !

      • Orlando Sousa says:

        Quer concretizar? “alguém fez por ele”
        Falei naturalmente por mim, não estou mandatado por ninguém. Quanto à bancarrota, e quanto ao Socrates, é melhor não falar…..destruição do país???Tragëdias????Conheço e li o memo da toika. E vi quem o assinou.
        Não sou viúvo do Passos Coelho, será que pode dizer o mesmo em relação ao Socrates?


        • Orlando Sousa

          Concretizo, concretizo !

          1 – Alguém o fez por ele : Toda a camarilha pàfiosa, da azougada crista, aos inefáveis marc’antónios costa, arbustos relvas, paulos rangéis, montenegros, abreus amorins, etc., etc., etc., para preservar o aldrabão-mór !

          (E que agora no congresso, continua bem activa e visível, agora abocanhando-se “amigávelmente” entre eles…)

          2- Quem assinou o programa da troika : Sócrates, Teixeira dos Santos, pelo governo PS, o CDS e, designado pelo passos coelho, como representante do PSD, o eduardo catrelhos, que agora nega, mas que apareceu na televisão, impante e triunfante, mostrando a hora tarde da noite, a que o acordo tinha sido assinado, e referindo que, com a sua “influência” tinha “melhorado” alguns aspectos do Memorando !

          E deve ter sido a esses “melhoramentos”, que o aldrabão-mór coelho, já concretizada a sua ânsia de “ida ao pote” chamou “o xarope” (palavras do canalha…) que os portugueses tinham que tomar e empobrecer “porque viviam acima das suas possibilidades” e que “as consequências, não passavam de meros efeitos secundários de qualquer tratamento” !

          Espero que tenha ficado esclarecido…

    • Paulo Marques says:

      Tanto não interferiu na banca com o seu amigo Carlos Costa que andamos todos a pagar a sua falência. Grande obra!
      As alterações na RTP, as manipulações das Marias da Luz e os orçamentos ilegais com o conluio do TC falam por quem fugiu às suas obrigações fiscais.


  6. Carlos Garcez Osório

    “A dificuldade na avaliação do seu desempenho é, ainda, aumentada e adulterada pela constante e inabalável determinação em não ceder, nunca, a interesses ou estratégias de comunicação ou marketing político. Para um eleitorado que gere a informação que percepciona sem grande selectividade, isso é, infeliz e equivocamente, suicidário”.

    Ou de como a mentira repelente, pegajosa, untuosa, graxa e incomensurável, é… CONTAGIOSA !

    Um canalha aldrabão que quase destruiu o país, que provocou a emigração forçada de muitos milhares; a miséria de outros tantos milhares e a desagreçação das suas famílias; o desespero de uma calasse média destroçada que, depois de perder a casa e o trabalho, engrossou as filas para as “cantinas sociais” desse outro celerado, mota soares, e teve de regressar com os filhos e os “tarecos” à casa dos progenitores idosos e também eles, roubados das suas parcas reformas; que promoveu A FOME de crianças e idosos desprotegidos, os mais pobres dos pobres !

    Pois é este canalha obsceno e demencial, PEDRO PASSOS COELHO, que teve o apoio e a cumplicidade criminosa de “jornalistas” e pasquins que vendem a honra por trinta dinheiros, QUE É AGORA ADULADO, INCENSADO, POR ESTE ENGRAXATE DE ESCOVA NA MÃO E JOELHO NO CHÂO CANINAMENTE FIEL ao “político ímpar e inigualável, pela firmeza, carácter, rectidão e desapego que revelou” !!!

    Sim, o desapego entre outras coisas, aos seis milhões que a Tecnoforma recebeu indevidamente e que o Parlamento europeu quer ter de volta, ou os cinco anos cujos impostos “não sabia” que tinha de pagar, entre outras coisas porventura mais arrepiantes…

    Já agora, sr. osório, na hora da sua comovida e lacriMIjante despedida, faça jus à sua canina fidelidade, e…DÊLHE UMA GRANDE MIJADA NOS SAPATOS…

    https://tretas.org/PedroPassosCoelho

    • Afonso Costa says:

      Este lambe botas nao foi roubado e humilhado como a generalidade dos portugueses, está visto. Provavelmente é mais um dos que foi ao pote ..


  7. Como é que alguém pode escrever um post destes sobre um idiota que, com o destino do país na mão, escolheu insultar, desrespeitar e tratar os Portugueses como se não passassem de servos numa qualquer exploração?
    Imagino que deva ser um post sarcástico.

  8. Artur Alberto Martins says:

    Francamente! Como é possível negar as evidências de uns que justificam as glórias de outros?! Passos Coelho demonstrou que em política não é necessário falar alto. Demonstrou sobretudo que o desenvolvimento do Estado e do Cidadão se faz com rectidão de carácter e coragem de decisão. Numa palavra: com fibra transmontana.

    • ZE LOPES says:

      Sim senhor! E muita alheira e salpicão teve de comer lá por Lisboa para manter a fibra!

      • ZE LOPES says:

        Apesar da fibra transmontana, Passos nasceu em Coimbra. Pelas vielas da Alta ouve-se agora um lamentoso fado:

        Coelho, tarde partiste,
        Por não ouvires as queixas.
        Ó Passos manda saudades,
        Que é coisa que cá não deixas.

  9. ZE LOPES says:

    Proponho um título alternativo: “Foste obrigado, Pedro!”.
    E, se fosse da minha autoria: “Obrigado Pedro, vai pela sombra e não te incomodes c’a gente”.

  10. ZE LOPES says:

    Rymas Elegyacas em Omenagem aos Passos Perdidos:

    Acabas de partir, ó Passos,
    Já temos saudades mil!
    Se por aí ainda houver CTT
    Manda um bilhete postil.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.