Um vilão chamado Marcelo

O ex-presidente do PSD, atualmente comentador politico, Marcelo Rebelo de Sousa, durante a sua intervencao na Univesidade de Verao do PSD. Castelo de Vide, 28 de agosto de 2012. NUNO VEIGA/LUSA PUB: 29/08/2012

Ele era o último grande herói da direita refém do radicalismo passista, ainda que, ironicamente, só o próprio Passos se tivesse atrevido a pôr em causa as qualidades do grande catavento. Foi levado em ombros a Belém pela direita, pela selva liberal e pela imprensa, que lhe garantiu mais espaço mediático que à soma de todos os seus opositores. Chegou, viu, venceu, e os órfãos da Pàf, feridos por essa estranha forma de estalinismo, também conhecida por democracia representativa, decretaram o início do fim dos acordos à esquerda. A contra-revolução estava em curso. [Read more…]

Muito obrigado, Pedro Passos Coelho

ppc2

Imagem via Uma Página Numa Rede Social

A revolta instalou-se porque o PSD se prepara para chumbar a descida da TSU, como forma de compensar o aumento do salário mínimo nacional (SMN). Honestamente, não percebo o frenesim. Mas alguém esperava que este PSD, dominado pela liderança mais radical de que há memória, fizesse o frete ao governo minoritário de António Costa? Francamente. [Read more…]

Mais um Passo(s) para delapidar o PSD

joao-miguel-tavares

Há 4 anos atrás era a favor. Há um mês atrás era a favor, de acordo com que o foi referido por um dos seus vices. Até a obsoleta Rádio Renascença deu com a marosca.
Hoje é contra, curiosamente, contra.

A questão é antiga mas ao mesmo tempo reveladora da desorientação geral em que vive nestes dias a liderança do PSD. Sem rumo político, quer no plano nacional quer na preparação das ansiadas autárquicas (nas quais, o PSD como histórico leader nacional e máquina caciquista que é pode estar à beira de um total e redondo colapso, colapso que certamente modificará muita coisa dentro do partido) com uma liderança de navegação à vista nos últimos meses, cheia das habituais posições modificadas, de ideias que oscilam entre o barato da feira da ladra e o horrível surreal e de uma choradeira sem fim (“porque fomos nós que ganhámos as eleições, pá”) aliada a uma desorientação colectiva no que diz respeito à preparação do acto eleitoral que se avizinha, denota-se a largas vistas que Coelho deu mais um Passos para a desgraça na questão do descida da TSU para as empresas caso a esquerda leve  a medida lavrada na concertação social a votação na AR.

[Read more…]

Até na mensagem de Natal, Passos?

psd

Na mensagem de Natal dirigida aos fiéis da São Caetano à Lapa, Pedro Passos Coelho voltou a faltar à verdade, ao afirmar que o seu partido não alinha em “encenações, opacidade e ocultações. É claro que, e porque ainda existe esperança para o PSD, nem todos os militantes daquele partido alinham ou alinharam nos vários casos em que Passos Coelho ou alguns dos seus mais próximos colaboradores alinharam em “encenações, opacidade e ocultações”. Politicamente moribundo, o ainda líder do PSD atravessa inclusive um momento em que a oposição interna finalmente decidiu sair do armário e iniciar uma pequena rebelião com intuito de depor o comandante-chefe laranja. É o golpe de Estado. [Read more…]

Golpe de Estado em curso na São Caetano à Lapa

ppc

Diz o Expresso que os críticos de Pedro Passos Coelho já reuniram as assinaturas necessárias para forçar um congresso. Um ano depois, o fantasma do Golpe de Estado está de volta: a oposição a sair do armário, as intrigas palacianas, a imprensa com Rui Rio em ombros, os sucessivos trambolhões nas sondagens e até o chefe da Geringonça já pisca o olho aos patrões, oferecendo-lhes uma simpática descida da TSU, qual capitalista com pele de esquerdalho.

O Estalinismo minou tudo à tua volta, Pedro. Até a Assunção te tem na mão. És o elo mais fraco. Adeus.

Foto: Daniel Rocha@Público

O despudor, a indignidade e a falta de ética de Pedro Passos Coelho

ot

Já sabemos, mas nunca é demais recordar, que não podemos deixar os partidos de direita sozinhos com os bancos. Quando tal acontece temos BPN’s a explodir em corrupção, Banifs empurrados para o precipício por tacticismo eleitoral e Novos Bancos, recém-nascidos, onde nem os milhares de milhões de euros derretidos permitem camuflar a gestão ruinosa.  [Read more…]

Pobre Passos, nada lhe corre bem

ppcrr

Segundo o Público, que para o caso deve ser considerado uma fonte relevante, não fosse David Dinis o seu director, o candidato do PSD para a Câmara Municipal do Porto está escolhido. Trata-se de Álvaro Almeida, professor e antigo presidente da Entidade Reguladora da Saúde. Um independente.

p

A confirmar-se a informação presente nesta notícia, ficamos a saber duas coisas. A primeira é que o PSD não conseguiu, entre dezenas de milhares de militantes, encontrar um candidato válido, capaz de se bater com Rui Moreira. A segunda, apesar de não ser tão afirmativa, mas antes algo que o Público “apurou”, é que Rui Rio será convidado para mandatário da campanha, naquilo que seria considerado, segundo as informações do jornal, um sinal de compromisso do potencial substituto de Passos Coelho com o partido. No improvável cenário do PSD ganhar a eleição no Porto, a vitória poderia transformar-se num quebra-cabeças para Passos: no município para o qual não conseguia um candidato do aparelho, seria um independente a resolver o problema. Com a bênção do seu mais recente pesadelo. Como se o impasse em Lisboa não fosse já mau demais. Pobre Passos, nada lhe corre bem.

Foto: Luís Barra/Expresso

O fim (não) está próximo

tein

A Geringonça, qualquer pessoa de bem sabia, não chegaria a acordo para o primeiro orçamento de Estado. Não duraria um mês um ano. Nunca se entenderia para um segundo orçamento. A implosão era inevitável. O drama, a tragédia e o horror espreitavam ao virar da esquina.

Portugal, que até ia ser uma das 10 economias mais competitivas do mundo se seguisse o caminho traçado por Passos, não tinha outra alternativa que não fosse apostar nos baixos salários. Na reversão de direitos laborais. Porém, sem que ninguém o pudesse antecipar, os custos do trabalho subiram mas o desemprego desceu. E continua a descer. E o salário mínimo continuará a aumentar.  [Read more…]

O nervosismo de Carlos Carreiras

cc

Carlos Carreiras, um dos mais fiéis súbitos da corte passista, reagiu com incómodo à entrevista de Rui Rio, sugerindo que o ex-autarca do Porto se candidate às Autárquicas. Seria um alívio, para Carreiras, se Rio seguisse esse curso. Afinal de contas, o coordenador autárquico do PSD está a demonstrar uma absoluta falta de competência para encontrar alternativas para os dois grandes centros urbanos, e, desta forma, matava dois coelhos com uma só cajadada: mantinha o ventilador do passismo ligado, adiando a anunciada morte política do chefe, e enviava Rio para o matadouro, onde o outro Rui, o Moreira, com uma alargada base de apoio popular e partidária, o retalharia alegremente, enfraquecendo a posição do mais recente pesadelo de Passos Coelho.

Compreende-se o nervosismo de Carreiras. O fim político de Passos Coelho poderá retirá-lo da ribalta laranja e remetê-lo para o exílio político em Cascais, que não sendo propriamente o inferno na terra, não tem paralelo com o poder de ser um dos homens fortes do líder do maior partido da oposição. Os poleiros, grandes ou pequenos, deixam sempre saudades a quem vive para eles.

Foto@Jornal de Negócios

Rui Rio chega-se (mesmo) à frente

rrppc

Luís Montenegro deu o mote, Rui Rio chegou-se à frente. Em entrevista ao DN, com perguntas previamente enviadas ao ex-presidente da CM do Porto, Rio afirmou aquilo que já todos sabíamos: que “poderá” ser a alternativa a Passos Coelho se o PSD “não descolar“. Se assim é, o anúncio oficial deve estar para breve. O PSD não só não descola como se afunda, sondagem após sondagem, atingindo níveis historicamente baixos, com a mais recente sondagem da Aximage a empurrar o PSD para uns modestos 28,7% de intenção de voto dos portugueses, quase 10 pontos percentuais atrás do PS (38,3%). Os dias passam, e cada vez menos portugueses estão interessados em ouvir a repetitiva cassete da moribunda Pàf. [Read more…]

E a tua declaração de rendimentos de 1999, Passos? Já apareceu?

ppc

Bem sabemos que, de esquemas para ocultar declarações de rendimentos, está o Parlamento cheio. E se o exemplo que vem de cima é este, não nos podemos admirar que outros tentem fazer pela vida. Que o diga o líder da oposição, Pedro Passos Coelho, que por estes dias, moralista como só ele sabe ser, tem insistido na obrigação que o governo tem de exigir à nova administração da CGD a apresentação das suas declarações de rendimentos. O que me leva à dúvida existencial do dia: a declaração de rendimentos que Passos Coelho estava obrigado a entregar em 1999, já apareceu? Da última vez que fui ver, continuava em paradeiro incerto.

Passos Coelho VS Passos Coelho

O país está ou não está a crescer, senhor deputado? Decida-se. Não faça é a mesma figura que fez a propósito da solução encontrada para o Banif, do aumento dos impostos sobre o consumo, do levantamento do sigilo bancário ou da taxação do património. É certo que a malta precisa de se rir, mas isto começa a ser constrangedor e Portugal precisa de uma oposição coerente e responsável. Debater o país não é a mesma coisa que brincar aos jotas. Quando é que começa a levar o país a sério?

Vídeo: Luís Vargas@Geringonça

Passos Coelho school of economics

ppc

Em Abril, a propósito da intenção do governo de criar um veículo para lidar com o problema do crédito malparado, Pedro Passos Coelho reagiu assim:

A questão do crédito malparado não é uma questão urgente quando nós olhamos para a capacidade do sistema financeiro poder emprestar dinheiro à economia. Não há um problema do lado do financiamento à economia. Desse ponto de vista não é uma questão que seja maior e que nos imponha ações urgentes.

Portanto, no entender de Passos Coelho, o crédito malparado não é um problema urgente, o sistema financeiro tem dinheiro para emprestar e não existe qualquer necessidade de acções urgentes. [Read more…]

Redes tentaculares na blogosfera

ppcjs

O semanário SOL, esse baluarte do jornalismo imparcial, fez manchete com uma história que, nesta casa, já em 2010 tinha sido devidamente esmiuçada pelo Ricardo Ferreira Pinto. Seis anos depois, o jornal do arquitecto que gosta de devassar a vida privada dos políticos com quem priva, descobriu que o governo Sócrates tinha uma rede de propaganda na blogosfera. Um aplauso para o SOL. [Read more…]

Refém de Assunção Cristas?

ppcac

Ainda falta um ano para as eleições nos 308 municípios portugueses, mas a contagem de espingardas já começou. Por muito que os líderes partidários teimem em afirmar que não fazem leituras nacionais dos resultados das eleições Autárquicas, a verdade é que essa leitura é feita e não raras são as vezes em que os resultados têm reflexo directo nas lideranças dos dois maiores partidos.

Em 2001, o PSD esmagou o PS nas urnas, levando António Guterres a demitir-se do cargo de primeiro-ministro e a abandonar a liderança do PS, e Durão Barroso ganhou as Legislativas do ano seguinte. Em 2013, poucos meses após a irrevogável crise governamental causada por Paulo Portas, e com os níveis de popularidade da coligação em queda livre, o PS passava a controlar praticamente metade do mapa autárquico, incluindo três dos quatro maiores municípios portugueses, com António Costa a assegurar maioria absoluta em Lisboa – tornando-se líder do partido um ano depois – enquanto Basílio Horta e Eduardo Vítor Rodrigues afastavam o PSD da governação de Sintra e Gaia. Em 2017, diga o que disser Pedro Passos Coelho, uma derrota autárquica será o fim da linha para o líder do PSD. [Read more…]

O sr. Feliz e o sr. (des)Contente

Rui Naldinho

No Outono de 2013 li um texto de Henrique Monteiro no Expresso, com o título: “O irrevogável populismo de Paulo Portas

image

Concordo que Paulo Portas usa e abusa do populismo, com um discurso demagógico que por vezes até se torna patético. Dos feirantes aos contribuintes, passando pelas famílias numerosas, o Paulinho não se deixa de vender promessas vãs a quem se cruze com ele. A irrevogabilidade da sua demissão em 2013 não foge à regra.

Há no entanto um pormenor a salientar no percurso político e no comportamento de Paulo Portas. Talvez por ser líder de um partido político que estará sempre num segundo plano de qualquer governo onde entre, ele tem demonstrado um certo desapego ao Poder, o que mostra maturidade. Sabe ler os acontecimentos com alguma clareza de raciocínio. Vendo bem, isso é uma vantagem para ele. Assim, não sofre tanto, pois uma derrota deixa sempre sequelas. Não amua, passando a vida a lamentar-se, e acima de tudo evita o revanchismo para com os adversários.

Poucas horas depois do desfecho eleitoral de Outubro de 2015, sabendo que a maioria absoluta escapava à PAF, se é que ela alguma vez esteve em cima da mesa, Paulo Portas demitiu-se da liderança do partido sugerindo um novo rosto para presidir aos destinos do CDS. Semanas depois, perante a evidência de uma maioria de esquerda sustentar um governo minoritário do PS afirmou sem quaisquer pruridos: “O centro direita em Portugal só voltará a ser governo com uma maioria absoluta”.  [Read more…]

Pedro e o embuste

ppc

A propósito da sobretaxa do IRS, Pedro Passos Coelho usou a palavra “embuste” para rotular o Orçamento de Estado. Podia aqui discorrer sobre vários embustes com a marca do ex-primeiro-ministro, das cambalhotas fiscais até aos célebres embustes da saída limpa, do défice de 2015 que ia ficar abaixo de 3%que mais do que uma promessa, era uma questão de honra – ou do Novo Banco que não ia ter impacto directo no bolso dos contribuintes, mas hoje fico-me pelo embuste da sobretaxa. [Read more…]

PSD em queda livre

ppc

As sondagens, é sabido, valem o que valem. Mas quando sucessivas análises revelam uma tendência comum, neste caso o afundamento do PSD nas intenções de voto dos inquiridos, torna-se difícil de ignorar os sinais. As eleições de ontem nos Açores foram apenas mais um desses sinais, que parecem demonstrar que os portugueses se afastam cada vez mais da letargia reinante no nº9 da São Caetano à Lapa.  [Read more…]

Pedro Passos Coelho, o contorcionista fiscal

Com tanta cambalhota, não admira que se tenha “esquecido” de pagar as dívidas à Segurança Social.

Video: Luís Vargas@Geringonça

Cenários irrealistas

upnrs

Pedro Passos Coelho acusou o governo de apresentar um cenário muito irrealista. Sim, o mesmo Pedro Passos Coelho que, há pouco mais de um ano, prometia colocar Portugal entre as 10 economias mais competitivas do mundo, entre outras promessas de metas igualmente realistas, ou não estivéssemos nós em plena campanha eleitoral. Apostar na falta de memória dos portugueses dá nisto. Não admira que as camadas jovens façam propaganda tão fraquinha.

Fotomontagem: Uma Página Numa Rede Social

Também tu, Frasquilho?

ppcc

Depois do infame golpe de Estado aplicado pela frente soviética à coligação Pàf, que enviou o governo legítimo de Passos e Portas para o exílio no Panamá, tudo indica que estaremos a assistir a um novo ataque ao núcleo duro do Passismo, com vista a uma revolução interna no partido. Seria a isto que Passos Coelho se referia, quando falava na vinda do Diabo? [Read more…]

Mais uma faca nas costas de Passos Coelho

ccppc

Graciosa como uma vuvuzela, a direita radical continua a sua épica batalha contra os esquerdalhos estalinistas e a herege democracia representativa. Mas ser um profeta da desgraça, nestes tempos sombrios em que o fantasma soviético paira sobre o nosso país, parece ser uma missão quase impossível. Uma missão ingrata e permanentemente minada pelos comunas que espreitam a cada esquina, preparados para roubar a classe média, os colégios privados e as mansões de férias na Comporta. [Read more…]

Aquele momento em que Marques Mendes me obriga a concordar com ele

mm

Nem é por se mostrar surpreso com o bom desempenho da Geringonça. Acho que a supresa é mais ou menos generalizada, não só pela aparente solidez do acordo de incidência parlamentar, mas principalmente porque, com a excepção da questão do crescimento e da trajectória ascendente da dívida pública, que de resto não parou de subir durante o consulado de Passos e Portas, a governação de António Costa até tem apresentado alguns resultados interessantes e inesperados, nomeadamente no que diz respeito aos números do défice.  [Read more…]

Quando o PSD queria estalinizar o país

ppcmm

Estamos no longínquo ano de 2005. Luís Marques Mendes é presidente do PSD e Pedro Passos Coelho seu vice. No Parlamento, o camarada Paulo Rangel dá a cara por uma proposta controversa que conseguiu a proeza de unir CDS-PP e PCP num coro de críticas. Tratava-se do levantamento total do sigilo bancário, proposta incomparavelmente mais radical do que aquela que foi recentemente vetada por Marcelo Rebelo de Sousa e que levou o deputado Leitão Amaro, num tom de convite ao pânico, a falar numa “verdadeira radicalização em curso deste governo das esquerdas“. Pobre Leitão Amaro, rodeado de estalinistas com pele de cordeiro, numa bancada onde ainda pontificam tantos daqueles que subscreveram esta proposta, entre eles o seu querido líder e secretário-geral do comité central do PSD, o camarada Passos Coelho. [Read more…]

A herança de Pedro Passos Coelho

Mais um excelente trabalho do Luís Vargas, que coloca, preto no branco, o resultado de uma governação que empobreceu o país e o tornou mais desigual. Recomenda-se a visualização deste curto vídeo para um melhor entendimento daquela que é a verdadeira herança deixada pela coligação PSD/CDS-PP. Um enorme fosso entre um país com uma arma apontada à cabeça e uma pequena elite imune a sacrifícios. Social-democracia? Yeah, right…

Via Geringonça

Uma capa para a história

capa-ip

Via O Inimigo Público

Não precisas de agradecer, Passos. Ficaste mal na mesma

porta

Pedro Passos Coelho cedeu à pressão e já não vai apresentar a compilação de mexericos de José António Saraiva. Depois de ter dito “Não sou de voltar com a palavra atrás nem de dar o dito por não dito. Estarei a fazer a apresentação dessa obra”, o líder do PSD foi igual a si próprio e, tal como em tantas outras ocasiões, a palavra dada não foi palavra honrada. Nada que surpreenda, vindo de quem vem[Read more…]

Ao cuidado dos camaradas do PSD

psd

Faz ou não faz sentido, perante os valores da social-democracia, que aqueles que têm rendimentos mais elevados, tenham de ter, em cima de todos os impostos que já pagam, nomeadamente do IRS, uma taxa de solidariedade adicional? Eu acho que faz sentido. Como faz sentido aqueles, que tinham activos imobiliários acima e um milhão de euros, que têm uma tributação agravada por causa disso. É ou não é um bom princípio social-democrata, de dizer a todos os portugueses, que podemos isentar, ou podemos aliviar, o esforço que poderia ser pedido àqueles que têm menos, pedindo um contributo adicional àqueles que têm mais? Eu orgulho-me disso.

Pedro Passos Coelho, num longínquo comício em 2014.

Imagem e video confiscados à Geringonça

Precisa-se de blogger da área do PSD

Para relação séria.

socrates

Tempos houve em que a laranja surfava a onda das trapalhadas socráticas, de forma pujante e suportada por uma poderosa máquina que mexia em tudo o que era corner. Cheirava a poder e por todo o lado apareciam apoiantes – alguns até iam a manifestações de professores, esses Mários Nogueiras da desgraça Lusa. Mas conseguiram. Levaram carta a Garcia (como eu gosto destas frases feitas!). E, no Aventar tivemos que ir à luta com um anúncio que ainda hoje é singular.

Conquistaram o poder com os resultados que se conhecem – atingiram todos os seus objectivos, deixando o país muito pior do que aquele que receberam.

Hoje felizmente, Portugal e os portugueses respiram melhor. A Geringonça continua o seu caminho e havendo uma candidatura para uma relação séria com ela, não primarei pela ausência.

Só que, nem tudo são rosas e eu não gosto de ver o sr. Pedro a cair pelo cano e vinha pedir que nos ajudem nesta tarefa nacional. Portugal precisa de alguém que defenda o Pedro e subscreva as tuas propostas para o país. Sim, aquelas que nem ele sabe quais são, mas o Marques Mendes tratará do resto, logo que consiga descer da estrado.

E, se naquele tempo, o anúncio não deu resultado, pensei que estaria na hora de seguir a mesma estratégia, esperando conseguir precisamente o mesmo resultado.

Não é claro o conteúdo funcional da tarefa, mas  pode sempre começar por eleger o Aventar como blogue do ano. Assim, na entrevista a realizar, poderá sempre dizer que ajudou o patrão a subir na vida. Poderia, por exemplo (a ter acontecido) trazer o mail da empresa que serviu para receber as inscrições na Universidade de Verão. Mas, se calhar o seu mail já foi apanhado pelo Carlos Teixeira. [Read more…]

O Ex do Arq.º Saraiva

Bruno Nogueira (sempre na frente) sobre uma edição fraquinha da Gina.