Pedro, o turboprofessor

PPC

Fotomontagem via Uma Página Numa Rede Social

Segundo o Diário de Notícias, cuja peça foi amplamente citada pela concorrência, Pedro Passos Coelho irá agora dedicar-se à vida académica e dar aulas em várias universidades do país. Depois do advento do turbolicenciado, eis que é chegado o tempo do turboprofessor.

Se considerarmos a experiência profissional de líder cessante do PSD, que passou quase duas décadas na universidade para concluir a sua licenciatura, ou era isto ou regressava à JSD para colar cartazes. Ou à Tecnoforma para abrir portas. Decidiu seguir a vida de docente, depois de vários anos a tentar destrui-la.

Ser líder de um partido do bloco central traz vantagens como esta. Podes ser o maior inútil da história, podes ser o maior corrupto, podes não fazer a mínima ideia daquilo que é dar uma aula, mas haverá sempre uma universidade interessada em contar com os teus serviços, nem que seja uma daquelas privadas da treta, onde se pode puxar à frente a maçada de anos de estudo e comprar um canudo. Tão certo como serem todos presidenciáveis.

Resta saber o que tem Passos Coelho para ensinar. Ciência Política não pode ser, que o indivíduo demonstrou recentemente não estar familiarizado com conceitos tão básicos como o de democracia representativa. Talvez não fosse má ideia para uma dessas universidades privadas de brincar, abrir um curso dedicado às ciências do oculto, onde Passos poderia teorizar sobre profecias apocalípticas ou sobre a vinda do Diabo, área onde o ex-primeiro se destacou summa cum laude.

Em todo o caso, seja qual for a matéria que Passos Coelho tenha para ensinar a quem se sujeitar ao martírio, o mínimo que ao antigo primeiro-ministro se exige é que seja coerente. Quer defender a pirataria económica e financeira? Está no seu direito. Quer evangelizar os seus alunos no caminho do conservadorismo alt-right? Força, desde que não lhe chame social-democracia, para não aldrabar os estudantes mais incautos. Mas seria bom evitar figuras tristes como aquela que vemos em cima. É que uma coisa é pregar aos coladores de cartazes do partido na universidade de brincar. Outra coisa, bem diferente, é continuar a insistir neste ping-pong da estupidez perante pessoas com mais de 10 neurónios.

Comments


  1. ” Ser líder de um partido do bloco central traz vantagens como esta. Podes ser o maior inútil da história, podes ser o maior corrupto, podes não fazer a mínima ideia daquilo que é dar uma aula, mas haverá sempre uma universidade interessada em contar com os teus serviços, nem que seja uma daquelas privadas da treta, onde se pode puxar à frente a maçada de anos de estudo e comprar um canudo. Tão certo como serem todos presidenciáveis.”

    …certeiro, João Mendes. bom post, boa análise/crítica sobre coisas que não julgaríamos nunca possíveis num antes desta degradação acentuada e assustadora de quase tudo na política, e no país em geral a que vimos assistindo !

  2. Antonio Martinho Marques says:

    Será já aproveitável uma cadeira onde se ensine a obrigatoriedade legal de pagar à Segurança Social, e que os recibos verdes pagos no exercício do Ensino são passíveis de IRS.


  3. E eu a pensar que ele ia dar aulas a funcionarios de aeroportos desertos…………

  4. antero seguro says:

    O turbo iluminado. No ensino nada ficará como dantes.

  5. anti-pafioso. says:

    Mas que pais é este que se permite saber destas noticias como se fossem verdades . Mas cabe na cabeça dos reitores honestos e competentes admitir um cromo destes ?

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.