Protecção de dados

Os únicos dados que estão bem protegidos são os do casino.

 

A Livraria Moreira da Costa, no Porto

Há quem queira fechar a Livraria Moreira da Costa, no Porto, por ser “inflamável”. Passei lá hoje e confirma-se que a chama permanece acesa. Votos que seja eterna!

Imagem daqui.

António Arnaut

Ficou hoje mais próximo da luz um homem – António Arnaut – cujo exemplo inspirou muita gente. Além de inspirar, deu também alento aos que, poucos, continuam a acreditar que uma sociedade mais justa é possível. Infelizmente, não há como disfarçá-lo, esse propósito tão humanista da Justiça tem encontrado obstáculos que não parecem, pelo menos num futuro próximo, fáceis de ultrapassar.

António Arnaut teve, durante a sua vida, uma actividade muito variada, mas talvez tenha sido pela criação do Serviço Nacional de Saúde que mais ficou conhecido, mesmo – ou principalmente – entre aqueles a quem não cabe decisão ou palavra alguma nos destinos do país e campeiam anónimos pelos caminhos da pobreza e da sobrevivência.

Esse seu legado, o Serviço Nacional de Saúde, está também em vias de desaparecer. Um pouco de atenção ao discurso e às acções daqueles por cujas mãos desaparecerá, será o suficiente para verificar que a palavra Serviço (Nacional de Saúde), fundamental no conceito expresso pela Constituição da República Portuguesa e pelo espírito de António Arnaut, está a dar lugar à palavra Sistema (Nacional de Saúde), conceito totalmente antagónico ao da Lei Fundamental e ao valor intrínseco da ideia de progresso que moveu homens como este socialista antigo. A passagem do Serviço ao Sistema representa a mercantilização absoluta de um direito humano basilar e a transformação da Doença não apenas numa indústria poderosíssima, mas em mais um instrumento de design social e de opressão sobre os mais fracos que garantirá, aos mais fortes, a perenidade do seu domínio e a perpétua servidão.

[Read more…]

José Sócrates e os sadomasoquistas sociais

Imagem via DN

São situações como esta que me fazem perder a esperança na humanidade. Depois de ontem ser confrontado com o semblante sorridente do ex-recluso Isaltino Morais, todo emproado na tribuna de honra do Estádio do Jamor, como se de um indivíduo impoluto se tratasse, hoje dei de frente com esta estupenda manifestação de sadomasoquismo social: José Sócrates, o ex-primeiro-ministro que mentiu descaradamente ao país, e que, segundo a investigação em curso, terá sido corrompido por Ricardo Salgado, entre tantas outras tropelias, foi ovacionado num almoço de apoio. Mas ovacionado por quem? Por cidadãos amnésicos? Por figurantes pagos para ovacionar? Pelos mesmos tipos que compraram os livros que Sócrates não escreveu? Por funcionários do Grupo Lena? Por homo habilis de pau na mão? Aparentemente, a ovação partiu de elementos do movimento cívico “José Sócrates, sempre”. Como? “José Sócrates, sempre”? A sério que essa merda existe mesmo? Já não chegava o episódio de Alcochete para envergonhar o país?

Evocação

António Arnaut (1936-2018).

Zuckerberg para ouvir

Conseguido! Vai ser pública a audição de Zuckerberg no Parlamento Europeu. O link para o streaming está a chegar.

Para quem puder e quiser, é óbvio.