Já alguém deu os parabéns ao Observador, pela grande vitória parlamentar de ontem?

via Uma Página Numa Rede Social

Quando o empenho é notório e dá frutos, o reconhecimento é merecido. O Observador foi uma das plataformas políticas que, a par do CDS e de algumas estruturas paralelas à Igreja Católica, mais se bateu pelo chumbo das quatro propostas que ontem foram rejeitadas pela geringonça alternativa que se formou no Parlamento para o efeito. Está de parabéns!

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    O “Observador” fez o papel que lhe compete, no quadro das muitas ferramentas que a direita católica apostólica romana dispõe, para nos admoestar com o Diabo e o Inferno, caso pisemos o risco, ou no mínimo, demover-nos a ser diferentes deles, no plano intelectual e dos princípios éticos.
    Também há uma esquerda que está muito mais próxima da direita em matéria de costumes, do que aquilo que se possa imaginar. Desta forma, nunca se pode dar por adquirido o voto do PCP, a favor das chamadas causas fraturantes.
    Até porque nestes assuntos, eutanásia, morte assistida, testamento vital, casamento homosexual, adopção por casal gay, não se pode falar da velha dicotomia esquerda direita, no sentido “clássico” do termo.
    Tal como os crentes numa religião, o PCP também tem os seus. Não vão a Fátima a pé, mas vão todos os anos à Festa do Avante. Logo, a “Fé é que os salva”. Caso contrário estavam como os outros PCP’s Europeus, que se escapuliram.
    O PCP teve sempre no seu ADN, uma matriz operária, com alguma mistura de camponeses, a Sul. Os intelectuais só ornamentavam o partido, para não dizerem que os comunistas não tinham “gente culta”. De facto, nunca mandaram nada. Nega-lo é não perceber como chegaram até aqui, resistindo, resistindo, resistindo a tudo e a todos, incluindo os novos ventos de mudança.
    Ora, o pobre, o descamisado, o assalariado, o operário, o camponês, o provinciano, eu sei lá que mais, é conservador nos costumes, por natureza. Detesta caviar e champanhe. Detesta sociólogos, filósofos e maçonaria. Acha as tatuagens e os piercing’s, uma paneleirice. Detesta tudo o que cheire a urbanidade, e mais ainda a mundano.
    Logo, a Eutanásia para eles, comunistas, só pode ser “um retrocesso civilizacional”, nada medida em que só a luta de classes na sua eterna e pujante conquista da igualdade entre os seres racionais, pode eliminar fisicamente os capitalistas, os exploradores da classe operária, ou mesmo aqueles, que não sendo nada disso, se lhes oponham.
    Mas nesse caso, já não se chama eutanásia. Acho que tem outro nome!!

    • A.Silva says:

      “Morte assistida” é o quê, algum espectáculo de teatro?

      Morte antecipada meu caro, se é assim tão moderno não tenha medo de usar as palavras correctas que exprimem o acto e essas são, “morte antecipada”.


      • Não, morte assistida é morte por passagem da bola (para usar uma terceira acepção de “assistir”).

        Essa da morte antecipada é realmente de antologia, pois apanha é tudo o que não for morrer “de caruncho”. Acidente de viação? Morte antecipada. Vítima de homicídio? Morte antecipada. Soldado morto em combate? Morte antecipada…


        • …e para quem acredita no Destino, a morte acontece sempre que um qualquer deus quiser…e se o doente terminal assim o quer, não é ele, é o Cosmos!

  2. Luís Lavoura says:

    Por esta coleção de artigos se vê que os adversários da eutanásia debateram muitíssimo amplamente o tema na praça pública. Não tem pois razão de ser a queixa de alguns de entre eles de que o tema não foi suficientemente debatido. Pelo menos por eles, foi.

  3. Antonio Martinho MarquesAntónio Martinho Marques says:

    A próxima campanha da União Sagrada PCP/CDS será a proibição aos doentes acamados nos Cuidados paliativos ou em casa, e/ou em fase terminal, como modo de minorar, quiçá acabar, com o sofrimentode, de morrerem sem a extrema-unção. Em contrapartida, os comunistas deixarão de dar “a injeção atrás da orelha” aos velhinhos.
    Os media ditos de referencia, seguirão, atentamente, o percurso desta Campanha, tal como denunciarão qualquer desvio prático ou teórico que se verifique por parte de renitentes não respeitadores da vida humana daqueles que voluntariamente são obrigados pelo Estado, a sofrer até que deus nosso senhor os convoque para o seu regaço.
    Teme-se que a temencia a Deus e os bons costumes sejam ostracisados, como sucedeu com a IVG, apesar da Armada, nessa altura, ter sido convocada sem resultados positivos, pelo ministro Paulo Portas com todo o esplendor da virilidade que se lhe atribui.


    • …..boa, António Marques !
      : )


    • Dá-me é a impressão de que o PCP foi contra por não ficar plasmado na lei que o método a usar teria que ser o da injecção atrás da orelha.

      Agora a sério, é uma tristeza constatar o conservadorismo bafiento do PCP em questões que saiam do foro económico.

  4. Adolpho Alho says:

    E solidariedade com a RTP, SIC e TVI, ja lhes deram os sentimentos pela derrota?

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.