Botões de partilha nas redes sociais

O Aventar deixou de usar há algumas semanas os botões padrão para partilha de artigos no Facebook e no Twitter. A razão desta opção não é nova e até já é conhecida há muito. Estes botões adicionam código ao Aventar (e a todos os sitios que os usem, na verdade) que permitem ao Facebook e Twitter saberem o que é que os nossos leitores fazem no blog. Inclusivamente para não utilizadores destes serviços, há recolha de informação que é usada para alimentar perfis sem nome atribuído.

Porquê agora? Devido ao contexto que tem envolvido o Facebook e também, sobretudo, por agora sabermos que o Facebook recolhe dados que nem por sombras era suposto recolher. Por exemplo, há tempos, a app Android do Facebook pedia permissões para aceder à lista de contactos para “ajudar” a encontrar amigos. Na verdade, era para ficar com os contactos, mas isso já sabíamos. O que não se sabia é que a app estava a tirar partido de, com essa permissão, também registar para quem os utilizadores estavam a telefonar, em que data e durante quanto tempo. Idem para as SMS, sendo que nestas também o próprio texto era guardado (grande colecção de olás e lols).

Nunca foi novidade que o Facebook é intrusivo. Mas este comportamento que entretanto se descobriu é malicioso e ilegal. Vá lá saber-se porquê, nunca tinha sido comunicado aos utilizadores que estes teriam as chamadas e SMS monitorizadas.

O Aventar está a avaliar a implementação de botões de partilha próprios, que não incorporem código de monitorização dos utilizadores e que deixem exclusivamente ao leitor a decisão de partilhar ou não informação com a rede social.

Comments


  1. …. tempos e caminhos tenebrosos !

    Vou voltar a ler livros, só livros, gastar tempo livre a ler e reler muito, sozinha comigo mesma no sossego tranquilo daquele cantinho da casa ou na natureza aonde apetece estar em silencio sem a sensação horripilante de estar a ser observada e espiada.
    … que saudades do tempo dos livros da colecção Manecas da minha infância e dos contos á lareira em que só os aranhiços da nossa fantasia nos espiavam : )

    • Bento Caeiro says:

      Isso pensavas tu e então a rapaziada a espreitar por detrás das árvores e entre as sebes. Já agora, também lias a Crónica Feminina.


      • …Sr, Bento Caeiro, trata-me por tu abusivamente e não gostei pois nunca lhe dei azo a isso e não gosto !
        Depois se a ideia que fez de mim através de juízos seus mal parados de suposta leitora jn illo tempore de crónicas femininas e outras mediocridades tacanhas é essa, isto que escreveu aqui hoje deixa transparecer uma pessoa com quem eu não pretendo qualquer contacto mais mesmo aqui no Aventar, sítio do qual desistirei a breve prazo para regressar sim a uma outra qualidade de ser e de estar de onde venho e para onde quero regressar : a qualidade !!

        • Bento Caeiro says:

          O que vai na mente das pessoas, por vezes, é um grande problema; problema grande para as próprias, como é óbvio.
          Para outros, a mais das vezes, é apenas curiosidade.

          Tudo isto para dizer, o quê? Que as observações, os comentários e as observações aos comentários, que se façam também poderão ser situados, no espaço e no tempo; pelo que, reportando-se a um tempo de infância, eu a tenha tratado como se tivesse nesse local e tempo – como está bem claro.

          Não que me preocupe a reacção, até porque sei que, pelo tipo de reacção, saberemos com quem estamos a tratar e, muitas vezes – não foi o caso – até lançamos a provocação com a finalidade de conseguir a reacção e, assim, chegar ao conhecimento – como se fora um catalisador.
          Sendo a partir deste conhecimento, como é óbvio, que devemos optar – tal como agora farei.

    • O Restelo é que está a dar says:

      Olha uma Velha do Aventar


      • ….. nós vossos pais e avós viemos de tempos em que cultura era outra coisa, ó senhor restelo do restolho !
        aprendam connosco e ficarão menos medíocres.

      • j. manuel cordeiro says:

        “O Restelo é que está a dar”

        Sr. cliente do Meo, gostaria de chamar à atenção que a falta de educação deixa rasto.

        • O Restelo é que está a dar says:

          És lindo, cordeiro manso pidesco. És tu e a bela Isa.

          • j. manuel cordeiro says:

            Vivo bem com as cobardias dos que acham que ninguém sabe quem são.

            Mas gostei particularmente do que a ignorância revela: pidescos foram todos aqueles que se escusaram no anonimato para colaborar com a PIDE. Tal como você está a fazer 😀

        • O Restelo é que está a dar says:

          O cordeiro, além de pidesco, é cómico: Num post contra os que “incorporam código de monitorização dos utilizadores” , o menino quer monitorizar-me?

          Vai-te catar, não me tiras o direito ao anonimato.

          E tu, Isavelha de cabeça, relaxa, vais ver que a net não doi nada.

          • j. manuel cordeiro says:

            “o menino quer monitorizar-me”
            Este tipo de comentário revela uma de duas coisas, ou ambas: ignorância ou vontade de provocar”. Não é preciso fazer coisa alguma para a ver a pegada que cada um deixa na net. Se não sabe do que estou a falar, vá ao WordPress e crie um blog. Seja qual for a hipótese, há muitos como você, que acham são uns valentões a trás do que pensam ser anonimato. Get a life.

    • j. manuel cordeiro says:

      ” em que só os aranhiços da nossa fantasia nos espiavam”

      Isabela, muito do que eram distopias que julgávamos não alcançáveis acabaram por se concretizar. E o irónico é que tal não aconteceu por imposição de um estado totalitário, como em 1984, mas porque as pessoas voluntariamente optaram por se colocarem sob vigilância.


      • Pois, j. manuel cordeiro, mas o pior é que quem não “optou voluntariamente por se colocar em vigilância” como diz mas pelo contrário quis defender sempre com todo o cuidado a sua privacidade em todos os sentidos ( ao ponto de NUNCA querer entrar em facebooks e quejandos e evitar logins o mais possível, acabou por ser, mesmo assim, vigiada com a sua privacidade em risco. é aterrador e revoltante, sim.

        • Bruno Santos says:

          Somos contemplados permanentemente, mesmo quando ninguém está a ver. É por isso que devemos ser justos e buscar a perfeição, sem por isso reivindicar prémio.

  2. Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

    Não faz mal …
    Mark Zuckerberg vai ao Senado e ao Parlamento Europeu pedir desculpas e fica em paz como o cristão depois da missa …
    É assim: cometem-se verdadeiros crimes, promovem-se atentados e depois … Pode-se desculpa e parte-se para o mesmo.
    Que merda de sociedade…

  3. ACorreia says:

    Aventar, quem quiser partilhar qqr texto , tem a solução no copy -paste…Abraço

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.