Obrigada, Presidente Mujica

Presidente Mujica – que de ti dizes seres um torrão de terra com pés -, ajudas-me muito, neste tempo de trumps e erdogans e putins e le pens e de offshores e de refugiados e de terrorismo e do clima avariado pelos homens e de governos vendidos – que às escondidas urdem acordos comerciais em que oferecem as pessoas como fantoches aos investidores e roubam a soberania dos seus países – e de afogamento do planeta em plástico e de muita violência e de “redes sociais” imperativas e de chefes com “espírito curto” – que com total desprezo pela destruição das espécies perseguem, neste planeta limitado, um perverso crescimento ilimitado – e por aí adiante, ajuda-me tanto, Pepe Mujica, que tu – mesmo como Presidente que leva a bom porto o seu país – continues a viver na tua casita pobre e a guiar o teu carocha velhote e que does 70% do teu ordenado para construção de casas para os mais carenciados e que sejas tu mesmo “o Presidente mais pobre do mundo”, ajuda-me muito que tu – que foste guerrilheiro e baleado, que foste durante 14 anos prisioneiro – fales com a maior simplicidade sobre o amor, e o pratiques, e que digas que é à economia que cabe servir as pessoas, não o contrário, ajuda-me tanto, Presidente, que existas e custa-me que sintas o “cansaço de uma longa viagem”, mas sei que vais continuar – como ente superior desta duvidosa humanidade – a inspirar aqueles que acreditam em ti também quando dizes “os únicos derrotados são aqueles que deixam de lutar”.

Obrigada, Presidente Mujica.

Comments

  1. Luís Lavoura says:

    Bom post.

  2. João Mendes says:

    Grande Mujica! Respeito máximo!!!


  3. Sim, respeito máximo, João Mendes !

    Ana, que soberbo texto, sensibilizou-me muito, pena ficar só por aqui pelo Aventar, que o próprio Presidente Mujica é que devia recebê-lo ! … e quanto o merece !

    eu vou fazer “copy e paste” e enviar para mais pessoas, posso ?

    Que exemplo a anos luz para os políticos de cá , que bem lhes importa que ele exista,
    “o Presidente mais pobre do mundo”, ” ente superior desta duvidosa humanidade ” como diz muito bem .

    Abraço cordial e cúmplice

    • Ana Moreno says:

      Obrigada Isabela, o Presidente Mujica, cultivador de flores, é luz e voz que nos conforta.
      “Temos que saber que o capitalismo é formidável para gerar riqueza, mas não é formidável para distribuir riqueza.
      Por um lado existe um mundo que floresce quando a economia cresce, mas existe outro que vai ficando marginalizado da civilização. E o Estado tem que procurar reduzir essa contradição.”
      Ou ainda: “O Estado tem que funcionar como escudo dos mais pobres, ou haverá uma polarização da riqueza na sociedade, e a concentração excessiva da riqueza acaba se transformando, indirectamente, em poder político a favor da riqueza.”
      Grande abraço!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.