Quando as “nossas” ditaduras rebentam com autocarros escolares.

Fotografia: Naif Rahma/Reuters@CBC

A Arábia Saudita conduziu hoje um ataque aéreo contra o Iémen. Entre os “danos colaterais”, um autocarro escolar foi atingido, causando dezenas de mortos e feridos graves, na sua maioria crianças. O que vale é que a Arábia Saudita é grande amiga do Ocidente democrático, e que as armas usadas para matar estas crianças terão sido compradas algures entre os EUA e a Europa, por isso, à partida, está tudo bem. Porque se os responsáveis por trás deste ataque fossem, sei lá, iranianos, estava o caldo entornado. A malta fica sempre muito mais descansada quando são as “nossas” ditaduras e rebentar com autocarros escolares.

O suicídio virtual do homofóbico fanfarrão

Era uma vez um homofóbico, de seu nome Emmanuel de Preval, que tinha uma empresa de distribuição de bebidas para eventos de grande dimensão. Um certo dia, a empresa de Emmanuel recebeu uma encomenda, no valor de 3.800€, para fornecer uma festa que teria lugar após um jogo de hóquei, integrado nos infames Gay Games, que decorriam em Paris.

Apercebendo-se da natureza pecadora dos seus novos clientes, o que fez Emmanuel, o homofóbico? Terá imediatamente recusado satisfazer o pedido, fazendo desta forma jus às suas convicções? Nada disso. Emmanuel aceitou o pedido, gozou com os clientes no Twitter e, alegadamente, terá entregue o montante à organização La Manif Pour Tous, uma associação homofóbica que também se dedica a outras formas de discriminação, como o racismo. [Read more…]