Porrada nos profs

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    O estudo da OCDE é feito por medida e com intuitos bem claros. Fazer passar para a opinião pública a ideia de que os professores ganham bem e até têm sorte. Isto já para não dizerem que têm um “belo horário”.
    Porque razão não fazem um estudo aos professores do ensino privado, perguntando-lhes se não gostariam de vir para a escola pública?
    Também já me habituei a ver a nossa comunicação social de “reverência”, quase toda, não confundir com referência, a fazer o pino para explicar as suas análises.
    “Se eu me puser a fazer o pino, olhando á minha volta, eu vejo todos os objectos, bem como pessoas que me circundam, muito mais altas do que elas são de facto. Eu pareço um minorca, por estar com a cabeça junto ao solo, ainda que tenha 1,75 metros de altura. Contrariamente, se me puser de pé, eu vejo as coisas na sua verdadeira dimensão, na proporção e relatividade que elas têm face à minha estatura física. A normalidade é isso é a normalidade, e não andar em pino, tipo acrobata.
    O que é que isso tem a ver com a profissão?
    Eu como professor que não sou, mas até podia ser, tenho de me comparar dentro de um quadro estatutário de Licenciados e Mestrados similar ao meu, a prestar serviço nas mesmas condições em que eu. Médicos, Juízes, Procuradores, Enfermeiros, Fisioterapeutas, Inspectores das várias actividades económicas, entre muitas outras profissões, grande parte delas ligadas à Administração Pública. Poderia até ser comparado a sectores profissionais das várias actividades económicas, desde que fortemente regulados, como as grandes empresas cotadas Bolsa. Agora, não me venham comparar com médias extrapoladas à medida dos interesses de quem faz o estudo.
    Que eu saiba, os professores não têm ordenados por baixo da mesa. Nem carro da empresa. Muito têm opção de ficar com o carro sobrante de um leasing empresarial. Nem comissões. Nem férias pagas nas Maldivas, porque receitaram sedativos, analgésicos, mézinhas ou banha da cobra.
    Não dou para esse peditório. Sei que seguir se virarão para mim, e também vão dizer que eu ganho muito.

  2. JgMenos says:

    Tudo que não confirme os mantras é ‘à medida’.
    E sim, toda a função pública é uma boa mama.

    • ZE LOPES says:

      “E sim, toda a função pública é uma boa mama”.

      O que poderemos dizer sobre isto? nada! V. Exa é um inegável especialista em mamas. Os seus escritos confirmam a suas legítimas preocupações obre o assunto.

      V. Exa não se fica pelas teorias, antes revela um notável saber de experiência feito! Só quem já mamou em diversas origens tem autoridade para produzir a categórica afirmação em epígrafe.

      Aliás, soube de fonte segura que V. Exa. irá presidir à “Gala da Mama” onde será premiada a melhor mama do país. Para o futuro está o projeto “Top Mama” onde um júri presidido por V. Exa. irá atribuir pontuação às diversas mamas e tetas em geral, formando um ranking, fornecendo assim aos cidadãos em geral uma noção da evolução do mercado da mama. Uma espécie de PSI-20 mamário.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.