José Sócrates, essa vítima do sistema

via Expresso

Não, senhor ex-primeiro-ministro. O que está em casa neste momento não é a “fundada suspeita que este processo foi viciado, corrompido desde o seu início“. O que está em causa são acusações de corrupção, branqueamento de capitais e fraude fiscal que pendem sobre si. São fundadas suspeitas de recebimento de luvas no valor de 34 milhões de euros, relacionadas com negócios que ajudaram a destruir a PT e a favorecer o Grupo Lena, e de mais uns quantos milhões, que circularam entre bancos suíços e paraísos fiscais. E tudo isto enquanto ocupava um dos mais importantes cargos da nação. Não insista em fazer dos portugueses parvos, senhor ex-primeiro-ministro. Já chega o estado em que deixou o país.

Comments


  1. …” E tudo isto enquanto ocupava um dos mais importantes cargos da nação. Não insista em fazer dos portugueses parvos, senhor ex-primeiro-ministro. Já chega o estado em que deixou o país.”

    Pedradas certeiras estas suas palavras, João Mendes, que deveriam ser arremessadas vigorosamente por todos nós contra o descaramento e sem vergonha dessa figura socrática e outros membros da corja/quadrilha que assaltaram durante décadas esta nossa casa comum e que impunes ficam na maior e ainda se riem na nossa cara, que fomos obrigados a pagar os desfalques que cometeram mesmo tendo ficado mais pobres com tanto saque e fugas offshore dessa cambada mafiosa e amigos, …que cavacos e socas não há só um.

  2. Paulo Marques says:

    É caso para perguntar onde estão as acusações, depois de um prazo ridículo para um estado de direito num processo que se assemelha ao da Casa Pia.
    Por muito que me dê asco quando o não-engenheiro fala.

  3. Rui Naldinho says:

    José Sócrates é a cereja no topo do bolo, dum Regime onde campea a corrupção em todas as esquinas. Antes desta vedeta aparecer, tivemos pequenos protótipos nas Autarquias, em Macau, nas Empresas Públicas, nos Ministérios, mas sem a habilidade e destreza deste “Ronaldo das Mafiosices”.
    Mas não desvalorizando os seus crimes, escuso-me a fazer analogias com os banqueiros do PSD e CDS, os verdadeiros carrascos da nossa pobre economia. Foi essa gente que faliu Portugal. Sócrates limitou-se a ser o mestre de cerimónias.
    Acresce que Sócrates na sua incontrolável ganância por uma vida de fausto e luxos, serviu como poucos,os desígnios dessa direita, que depois necessitou de um bode expiatório para os seus próprios fracassos. Daí ele afirmar sem pruridos: “Sou o líder que a direita sempre desejou”.

  4. Miguel Bessa says:

    Muito bom.

    Só é pena que atualmente o país seja novamente governado pelos cegos (na melhor hipótese) ou coniventes (na pior) que estiveram ao lado dele e que vá pelo mesmo caminho: propaganda e encenação.

    • Paulo Marques says:

      Por oposição a quem que na democracia portuguesa nunca baseou o seu governo em propaganda e encenação? Nas últimas décadas não há maior encenação do que o “pelotão da frente”.


  5. Os convertidos pelo´s Correios da Manhã.
    É arrepiante…
    Julgamento para quê?

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.