Ainda a propósito dos negócios

A mim parece-me bem.

Privatize-se Machu Picchu, privatize-se Chan Chan,
privatize-se a Capela Sistina,
privatize-se o Pártenon,
privatize-se o Nuno Gonçalves,
privatize-se a Catedral de Chartres,
privatize-se o Descimento da Cruz,
de Antonio da Crestalcore,
privatize-se o Pórtico da Glória
de Santiago de Compostela,
privatize-se a Cordilheira dos Andes,
privatize-se tudo, privatize-se o mar e o céu,
privatize-se a água e o ar, privatize-se a justiça e a lei,
privatize-se a nuvem que passa,
privatize-se o sonho, sobretudo se for diurno
e de olhos abertos.

E, finalmente, para florão e remate de tanto privatizar,
privatizem-se os Estados, entregue-se por uma vez
a exploração deles a empresas privadas,
mediante concurso internacional.
Aí se encontra a salvação do mundo…

E, já agora, privatize-se também
a puta que os pariu a todos.

– José Saramago, em “Cadernos de Lanzarote – Diário III”. Lisboa: Editorial Caminho, 1996.

P.S. Tragicamente, este sublime escrito não perde a actualidade, antes pelo contrário. Passe o machismo da catacrese final; para o caso, tanto faz.

Comments

  1. Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

    Grande José Saramago!!!

  2. JgMenos says:

    Grande comuna, armado em chico-espertto!

    • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

      Provocação barata … Nada que não estejamos habituados. Tenha modos e deixe de agir como as claques de futebol.

      • ZE LOPES says:

        Sabe, temos de compreender. O JgMenos está revoltado. Isto porque, ao que parece, Saramago terá roubado uma parte do título de uma biografia sua escrita por Vasco Pulido Valente intitulada “Memorial do Jumento”. Foi mesmo uma chico-esperttice, convenhamos…

    • Ana Moreno says:

      Atão e sobre o comuna do presidente chinês, Menos, nada a dizer?

      • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

        O sr. Jgmenos já vestiu as vestes e o barrete cardinalício, benzeu o “comuna” chinês e perdoou-lhe os pecados até à 10ª geração. Está perdoado… É da “seita”.

        • ZE LOPES says:

          Permita que faça um reparo: barrete sim, mas não cardinalício. JgMenos é Apóstolo. Tá muito acima! O barrete apostolício é muito diferente.

          Até porque se enterra pela cabeça abaixo até tapar as orelhas. É que não há mais pachorra para os fiéis da Igreja Universal do Reino da Coelha! Passam a vida a berrar que vem aí o Diabo e a pedir rios de milagres! E o dízimo que deixam não dá nem para os tremoços!

          Não admira que o Menos ande um tanto desorientado!

      • JgMenos says:

        É comuna na terra dele.
        Na minha, financia serviços básicos que a abrilada destruiu.

        • Ana Moreno says:

          Ah Menos, desilude-me, afinal os comunas servem para alguma coisa! Que deslealdade! Os comunas, é com eles para a fogueira, com ou sem pilim no bolso!
          Isso não se faz Menos, colaborar com um partido comunista, onde é que isto chega? Que falta de verticalidade!

        • Paulo Marques says:

          Ó Passos, és um abrilesco.

        • ZE LOPES says:

          E tem V. Exa. toda a razão! A abrilada foi uma desgraça!

          Realmente o D. Miguel deu cabo de tudo! E não fora D. João VI pedir ajuda…É certo que lhe valeram os ingleses,mas ele, desconfiado de que dessem de frosques, como tem acontecido amiúde, como vem sendo confirmado, chamou, secretamente os chineses! Que, especialistas que eram na pimenta, a experimentaram no Real Fundo das Costas de D. Miguel, que só veio a aterrar na Áustria em cima de uma tal Adelaide, de cujo topo não saiu enquanto não deixou lauta descendência.

          Entretanto D. João Vi pediu aos chineses para ficarem, a fim de aguentarem a Carlota Joaquina e, já agora, que deixassem umas moedinhas para o restabelecimento dos serviçais públicos que a abrilada tinha destruído.

          • ZE LOPES says:

            E uma prova de que os chineses já cá estavam há muito tempo é o facto de terem escolhido o Catroga para os representar. Foi ele, segundo dizem, que negociou com Carlota Joaquina a sua retirada para o palácio de Queluz, poupando ao Estado maiores vergonhas, já que, segundo dizem, existia um retrato seu em bikini que a própria insistia que fosse colocado no Museu do Prado.

            Por tão distintos serviços, foi então Catroga agraciado com um cargo de Conselheiro Geral da Real Fábrica de Candeias do Reino, dirigida pelos chineses, mais tarde denominada Eluminação Dos Portugais (EDP), em homenagem às idéias Eluministas tão em voga.

    • Manuel Silva says:

      Do facho Menos, que esperar? A provocação habitual, com o nível sofisticado do pensamento zero, ou Menos.
      Ah grande José, tonibler, JgMenos, grande filho da mãe que me saíste, João Pires da Cruz.

  3. Torquato says:

    Por causa dessas e de outras é que a Maria Antonieta deixou aquele lindo pescocinho na guilhotina…
    Ò Menos e não foram os do partido de Kamarada Jerónimo !


  4. Bem haja, Ana, por nos trazer de novo aqui e agora este soberbo escrito de um grande Homem !
    Dói pensar que nos deixaram e que se foram embora desiludidos com isto tudo este e outros tantos e tantas detentores e defensores generosos e lutadores de ideais de justiça e liberdade e patriotismo !

    ……e que a nós vai e está a acontecer a mesma desilusão, por mais que uivemos, como dizia também Saramago :

    ” Uivemos !

    É hora de uivar, porque se nos deixamos levar pelos poderes que nos governam, e não fazemos nada para contrariá-los, pode dizer-se que merecemos o que temos. “

    • JgMenos says:

      Soberbo escrito?
      soberbo Escrito?
      Soberbo Escrito?
      soberbo escrito?
      !!!!!!

      • ZE LOPES says:

        “!!!!!!” (fim de citação).

        Tem toda a razão em se lamentar! Isto de imporem senhas e moedas para um tipo ir à casa de banho é no que dá! No tempo do Salazar um gajo pedia uma licença de isqueiro e podia podia passar a fazer tudo, inclusivamente aliviar-se na parte de trás de qualquer árvore!

        Malditos esquerdalhos abrilescos!

  5. Ana Moreno says:

    Uivemos sim, Isabela, e há dias em que nem isso chega. Há dias, em que só “à colete amarelo” é que a coisa ía.
    Enfim, um abraço solidário para si.

Trackbacks


  1. […] Tragicamente, este sublime escrito (que hoje reli no AVENTAR) não perde a actualidade, antes pelo contrário. Passe o machismo da catacrese final; para o caso, […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.