A vida de um sapador-bombeiro vale 700 euros

Num mundo cujos mandantes odeiam o dia 1 de Maio de 1886 e todas as datas daí decorrentes, é natural que se queira pagar uma ninharia (738 euros de salário-base, o que inclui 120 euros de subsídio de risco e 140 de disponibilidade permanente) a quem corre riscos de vida para salvar a dos outros.

Num mundo em que o défice de um país é mais importante do que os cidadãos ou em que o Estado entrega dinheiros públicos a parasitas como as PPP ou os bancos, é absolutamente previsível que se queira passar para os 60 anos a idade de reforma de profissionais que têm de carregar com equipamento que pesa 30 quilos.

Entretanto, o portuguesinho, enganado por governantes e crescentemente explorado por patrões sem rédea, dedica-se à maledicência das profissões alheias e a defender, também votando, quem o suga. Tenho, ainda assim, alguma curiosidade em saber se aparecerá por aqui algum daqueles comentadores que poderá dizer que até conhece um sapador que não faz nenhum ou que os sapadores até têm sorte em ganhar mais do que o salário mínimo.

Comments

  1. Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

    Tem toda a razão.
    Este é o “socialismo” que nos calhou.
    E ainda há quem diga que somos governados pela esquerda…
    Descansem os amantes da direita. Este governo, com o presidente e a devoção que têm ao orçamento bate qualquer direita empinada.
    Só falta ouvir dizer que o país está melhor … talvez o português não esteja … mas o país está melhor. Basta, para tal, ouvir o que disse o presidente parlapatão e populista na recepção aos corpos diplomáticos estrangeiros…
    Qiuem os conhecer … que vote neles.

  2. Julio Rolo Santos says:

    Em Portugal, quem trabalha, quase têm de pagar para trabalhar, tal a miséria dos salários que vigoram. Dai que se assista a uma explosão de manifestações a reclamarem melhorias salariais. Estas manifestações de luta de certos setores mais aguerridos da sociedade pode vir a ser contraproducente para com outros trabalhadores com fraca capacidade reivindicativa por melhorias salariais.Num país com fracos recursos económicos associado a má distribuição dos mesmos, estas lutas, a pretexto de lutas salariais, acabem por se transformarem em autenticas lutas sociais. E isto acaba por ser perigoso porque empurra cada vez mais trabalhadores para a miséria.

  3. António Correia says:

    Todos os governos de todas as cores, desprezaram as classes que mais contribuem para o bem estar de todos.

  4. João Conde says:

    Deve estar por aí a aparecer o Menos com um comentário dos dele


  5. Querem dizer com isto que no tempo do Passos Laparoto que os bombeiros ganhavam mais ?
    Devem ganhar melhor, mas só agora é que refilam? Porquê?
    Quanto ao Menos, já estou com saudades dele!

  6. JgMenos says:

    «Num mundo cujos mandantes odeiam o dia 1 de Maio de 1886» – o chavão esquerdalho antes de umas inanidades, vai ameaçando quem se atreva a discordar.
    O risco do bombeiro depende de ser comandado por boys e de se armar em herói. Fora isso é uma vidinha não muito esforçada.

    E quando me falam em salário-base fico à espera que me falem do que vai acima da base…

    • António Fernando Nabais says:

      Obrigado, menos, o menino nunca desilude! E, na realidade, o esquerdalho usa o Primeiro de Maio com tanta contundência que o menos até tem medo de comentar e é censurado e tudo. Mande cumprimentos meus ao Bolsonaro.

      • JgMenos says:

        Lamento mas não tenho tido acesso ao Bolsonaro.
        Dizem-me que está atarefadíssimo a desmontar os coutos da esquerdalhada lá do sítio.

        • Paulo Marques says:

          Peça lá aos seus clientes à procura de umas rendazinhas no Brasil, há-de sobrar qualquer coisa que não vá para a América.

    • ZE LOPES says:

      “O risco do bombeiro depende de ser comandado por boys e de se armar em herói. Fora isso é uma vidinha não muito esforçada”.

      Em primeiro lugar permitam-me anunciar que JgMenos acaba de ver reconhecido mais um título, dos escassos que lhe faltam para DTT (Dono dos Títulos Todos): o de DBT (Dono dos Bombeiros Todos)! Incendeia-se-me a alma de tanta felicidade!

      A citação faz parte do Volume 1 das Obras Completas de JgMenos, particularmente do volume “Teoria Geral do Esquerdalhismo”.

      Segundo a sempre douta visão do autor “sempre que seja necessário o recurso aos bombeiros, deve o cidadão certificar-se, quando chegarem para apagar o fogo lá em casa, se o comandante pertence a algum partido políitico ou se o mancebo já algum dia se mandou às ondas do Canhão da Nazaré para salvar alguma criança. Se a resposta for afirmativa deve exigir imediatamente a sua troca.Nisto de combate ao esquerdalhismo há que ser coerente”!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.