Há que acabar com a ditadura do politicamente correcto. Certo?

Pois então, sempre que ouço falar em Zeca Mendonça, vem-me à memória o caso do pontapé no jornalista.

as excecionais qualidades de caráter

Comments

  1. Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

    O presidente da república está a apelar para pontapés aos jornalistas como método de demonstrar as excepcionais qualidades de carácter e frontalidade.
    Agora imaginem uma selfie no momento do pontapé .

    É o que temos ou seja, mais vale cair em graça que ser engraçado, nem que seja ao pontapé.

  2. Paulo Marques says:

    Pois, mas quando as pessoas morrem já não se pode dizer mal. Felizmente, pessoas como Carlos Costa ainda cá estão, infelizmente estão empregadas.

  3. Luís Lavoura says:

    Um pontapé um bocado ridículo, primeiro porque acerta no ar e não nas pernas do jornalista, segundo porque quem o dá é um homem grisalho.
    O jornalista ficou perfeitamente capaz de lhe dar um pontapé bem mais potente e bem mais certeiro em troca.
    Mas deve ter achado, e bem, que não valia a pena. Não se bate em velhos.

  4. Luis says:

    O Daniel Oliveira e o cara de bolacha dizem que ele era boa pessoa.
    Meio caminho andado para eu duvidar da opinião desses profissionais do politicamente correcto.
    A uma boa pessoa pode tolerar-se que dê pontapés a quem o ofenda a si ou aos seus, mas não a quem está a trabalhar, como parece ser o caso do fotógrafo.
    A ideia que eu tenho do vivo Zeca é que era um “ladra para os de baixo e mia para os de cima”.
    Quanto ao falecido Zeca RIP.

    • César P. Sousa says:

      “Na mouche” !
      Era verdadeiramente um rafeiro para qualquer dono !!!
      Como diria um tal “Ernesto” : “Um lambe – cus”.

  5. Maria João says:

    Que descanse em paz e os meus sentimentos à familia, mas por acaso, lembrei-me logo do incidente do pontapé no jornalista. E quando ouvi hoje de manhã alguem enaltecer a sua “inegável lealdade” para com os presidentes do psd, veio-me logo à mente a ideia daqueles indivíduos de índole questionavel, lealdade canina que não tem por apanágio um espírito critico, aquela ideia dos medíocres que são fortes com os fracos e fracos perante os fortes.
    Mais uma vez, que descanse em paz.

  6. JgMenos says:

    Se em 40 anos, só há a registar um pontapé na praga armada de microfones, pode talvez identificar-se nesse prodígio de contenção uma razão provável dos problemas de saúde.

    • ZE LOPES says:

      Tem V. Exa. toda a razão! 40 anos e só há registo de uma canelada! Que fraca produtividade para quem viveu à conta do erário público, direta ou indiretamente!Que treta de liberal!

  7. Julio Rolo Santos says:

    O elogio fúnebre é da praxe. Para os bons, é a saudade que fica, para os maus, fica o alívio de ir e não voltar.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.