Portugal escolhe uma decoradora de interiores para a Bienal de Arte de Veneza

A artista Leonor Antunes, que se notabilizou por pendurar coisas no tecto de modo exímio, será a representante portuguesa na Bienal de Arte de Veneza, escolhida pelo ex-demissionário de Serralves, João Ribas, o curador, e abençoada pela senhora Ministra da Cultura, apostada que está em promover internacionalmente o talento artístico lusitano na área da carpintaria de limpos e da decoração de duplexes com mezanine.

[Read more…]

Onde o sol nunca se põe

Não há dúvidas de que são os melhores.

As ameaças ao Estado de Direito Democrático

Talvez já poucos se recordem – a memória é, segundo alguns estudos, afectada pelas redes wi-fi – do verdadeiro assalto que o governo do Dr. Passos Coelho tentou fazer ao Tribunal Constitucional, exercendo sobre ele uma tremenda e inédita chantagem que, a dada altura, ameaçou colocar em causa não apenas o princípio da separação de poderes e da independência dos tribunais, mas o próprio regular funcionamento das instituições. Apesar de tudo, apesar de em alguns momentos ter cedido à enorme pressão sobre ele exercida, o Tribunal Constitucional acabou por funcionar como um escudo que protegeu a Constituição e o país de um dos mais violentos ataques que ambos sofreram em Democracia. 

[Read more…]

Se dependesse dele, seria um padreco a mandar no país

O padre malícias a dar cartas. Já agora, acrescento: Ó Tomás, isso não se faz!

Redes

José Meireles Graça

Os senadores da opinião, com banca montada há décadas na sala-de-estar do cidadão distraído, não gostam das redes sociais.

Não foi sempre assim: Pacheco Pereira, por exemplo, alimentou durante anos o Abrupto, até 2016. E não deve ter sido apenas a decadência da blogosfera (que não medi; é uma observação impressionista) a afastá-lo, mas antes a constatação de que todo o cão e gato pode fazer, e faz, blogues.

Miguel de Sousa Tavares espumava há tempos de raiva contra o Facebook. E não é possível ler as caixas de comentários dos jornais on-line sem um sobressalto, tal o primarismo das opiniões, a violência das soluções defendidas para problemas reais ou imaginários, a ausência de gramática ou um módico de cultura geral, e o intenso ódio que se manifesta a propósito da indignação da semana.

Depois, Trump foi eleito com o subsídio do Twitter (uma rede especializada em espirros opinativos) e Bolsonaro do WhatsApp (semelhante grosso modo ao  Facebook, com grande difusão no Brasil). E estes dois, Trump e Bolsonaro, carregam o ferrete ignominioso de não serem de esquerda, nem da direita que a esquerda tolera por não ser de direita – navegamos em pleno escândalo.

(Nota: Antes destes dois já Obama tinha sido eleito com grande campanha no Facebook; a esquerda, na altura, orgulhou-se, achou muito “moderno” e “despojado” e “popular”, mas agora está com amnésia). [Read more…]

E as aulas de Religião e Moral, deputado Bruno Vitorino? Também têm que parar?

bv.jpg

Perante o anúncio de uma sessão de esclarecimento sobre questões de género e LGBTI, feita no âmbito da disciplina para a cidadania e igualdade de género e sem carácter obrigatório, o deputado Bruno Vitorino (PSD) soltou a sua indignação no Facebook, numa publicação entretanto desaparecida em combate, vá-se lá saber porquê.

Ao ler esta publicação, de um deputado que, à partida, será um tipo esclarecido e dotado de inteligência, lamento desde logo que Bruno Vitorino ache que miúdos de 11 anos sejam alguns ignorantes que devem ser deixados em paz, porque, imagino, achará o senhor deputado que podem apanhar alguma doença, se confrontados com a realidade LGBTI, ainda para mais no contexto de uma disciplina que aborda o tema da igualdade de género. A partir de que idade poderão, no entender de Bruno Vitorino, ser as crianças portuguesas expostas ao perigo da existência da homossexualidade? Será que o simples facto de assistirem a tal sessão os homossexualizará? [Read more…]