Mudança horária

Por norma não aprecio que a UE dite regras sobre a forma como Portugal decide viver. Mas lá diz o ditado, não há regra sem excepção e neste caso da mudança horária, não percebo a teimosia do governo e mais algumas pessoas em Portugal, quer-me parecer que se está a partir de errada premissa.
Muitos se lembram que no início dos anos 90, o governo de Cavaco Silva decidiu alinhar a hora com as capitais europeias, resultando a decisão no amanhecer perto das 09h00 durante os meses de Inverno. Mas o facto é que a hora de Verão na qual entramos hoje, está mais afastada da hora solar, logo da realidade, o que provoca nos meses de Verão que anoiteça perto das 22h00.

Do que tenho lido, caso a U.E. decida terminar com a mudança de hora, também permite que os estados membros escolham o seu fuso horário, ora em Portugal muitos estão contra porque partem do princípio que vamos ficar na hora de Verão, repetindo a má experiência que já vivemos. E se ficássemos na hora de Inverno? De Outubro a Março, nada mudaria e pessoalmente não vejo que anoitecer às 21h00 em vez das 22h00 seja um problema, pelo contrário, seria preferível viver a realidade em lugar de engenharia política…

Comments

  1. ZE LOPES says:

    “seria preferível viver a realidade em lugar de engenharia política”…

    Eu diria mais! Por que razão há-de ser o Estado Todo Poderoso a determinar o fuso horário em que vive cada cidadão?.Porque razão não deixam os cidadãos, livre e conscientemente, escolher qual o fuso horário em que cada um quer viver? Quem tem medo do exercício da liberdade inalienável de escolha da sua hora legal? Se um cidadão quiser viver segundo a hora de Melbourne e encher o quintal de cangurus, por que razão é impedido pelos políticos que nos governam?

    Viver a realidade sim. mas não a do Estado. A mesma hora da Raínha de Inglaterra e do Burkina Faso ? Francamente!

    Qualquer dia ainda toma conta do Estado um filho da putin qualquer e põe-nos a todos no fuso de Vladivostok! Nessa altura todos vão entender onde nos leva esta loucura horária coletivista!

  2. Luís Lavoura says:

    A atual hora de verão era aquela que existia durante todo o ano até que a mudança de hora foi introduzida, creio que algures no final da década de 1980.
    É a hora mais adaptada à vida em Portugal, onde pouca gente começa a trabalhar antes das 9.
    É muito melhor ter o sol a levantar-se às 9 e a pôr-se às 6, porque assim tem-se luz durante todo o dia de trabalho.
    Espero que a mudança de hora acabe de vez, que é uma idiotice, e que se volte a ter sempre a hora de verão, como se tinha na minha juventude.

    • António de Almeida says:

      Caro Luís Lavoura, julgo que essa hora também tinha a ver com o alinhamento entre Lisboa e Londres. Mas a hora solar é a hora de Inverno, que julgo nunca adoptámos…

      • Luís Lavoura says:

        É verdade que a hora de inverno está mais próxima da hora solar. Mas as pessoas em Portugal têm horários de trabalho que nada têm a ver com a hora solar. A maioria das pessoas em Portugal pega no trabalho às 9 e despega às 6. A hora oficial deverá estar de acordo com os horários de trabalho praticados pelas pessoas. Sendo que, com a hora de verão, no pico do inverno o sol nasceria precisamente às 9 e pôr-se-ia precisamente às 6.

      • ZE LOPES says:

        Tinha sim senhor! E havia uma razão para isso! Nessa altura os aviões da gloriosa TAP metiam-se no fuso, alinhavam pelos meridianos, que eram de betão armado pré-esforçado e não se desviavam até Londres!

        Depois os políticos começaram a brincar às mudanças de fuso e aconteceram coisas como aquela do avião que andou 15 dias às voltas entre o Polo Norte e o Polo Sul até que uma alma caridosa ensinou aos pilotos o caminho. Quando soube, Salazar ficou tão irritado que até mandou logo ampliar o Tarrafal, à cautela para que lá coubessem os culpados. Como não se descobriu quem foram, mandou prender mais uma data de comunistas, para não ficar mal visto.

        Acontecimentos da nossa História que nem o Vasco Pulido Valente nem mesmo o Rui Ramos conheciam, de tão secretos!

    • Carlos Almeida says:

      Boa tarde Sr Lavoura

      “Gostei muito” ??? da parte do seu post que reproduzo:

      “A atual hora de verão era aquela que existia durante todo o ano até que a mudança de hora foi introduzida, creio que algures no final da década de 1980.”

      Com que então a mudança de hora foi introduzida no fim da década de 80. !!!!

      Eu sempre me lembro de haver mudança de hora e até não sou muito velho, pois só nasci em 44.

      Mas tiremos as duvidas com:

      No DN

      https://www.dn.pt/sociedade/interior/ja-andamos-ha-um-seculo-a-atrasar-os-relogios-uma-hora-5469479.html

      Na madrugada de hoje para amanhã, quando os ponteiros marcarem as 02.00, os portugueses voltam a atrasar uma hora aos seus relógios, um ritual que começou precisamente há cem anos, motivado por poupanças energéticas. Mas ao longo deste século houve exceções à regra e tivemos anos em que o nosso horário ficou alinhado com o resto da Europa.

      Na Wikipedia tambem algo sobre o assunto

      https://pt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_per%C3%ADodos_em_que_vigorou_o_hor%C3%A1rio_de_ver%C3%A3o_em_Portugal

      Outra que também gostei muito

      “É a hora mais adaptada à vida em Portugal, onde pouca gente começa a trabalhar antes das 9.”

      O senhor “Lavoura” de seu nome, conhece pouco da lavoura e da vida rural no seu todo. Fazia-lhe bem dar uma volta pelo Alto Douro vinhateiro.

      Também nas grandes cidade Lisboa e Porto, as 7H30 da manhã o transito já está entupido, por pessoas que para chegarem ao emprego antes das 9H tiveram que se levantar perto da 6H30

      Eu quando desconheço o assunto, não dou palpites. Primeiro consulto as fontes e depois citando-as, escrevo.
      Tudo o resto são apenas opiniões subjectivas que toda a gente tem direito de dar, mas que não resistem à uma rápida analise da realidade.

      Cumprimentos

      • Luís Lavoura says:

        Carlos Almeida,
        estar no trânsito não é trabalhar. As pessoas no inverno estão sempre no trânsito durante a noite – ou antes do trabalho, ou depois dele, ou até em ambos os casos. Repito: a maioria das pessoas em Portugal (os trabalhadores vinhateiros são uma minoria excecional) só começa a trabalhar às nove (ou mais tarde). Naturalmente que, antes do trabalho, terão estado no trânsito no escuro – como depois do trabalho também estarão. Para se andar de carro não é preciso muita luz; para trabalhar, é.

        • Carlos Almeida says:

          “os trabalhadores vinhateiros são uma minoria excecional”

          Os trabalhadores vinhateiros foi apenas um exemplo.

          No mundo rural, toda a gente se levanta com as galinhas, isto é ainda de noite no inverno.

          Nas grandes cidades quem trabalha levanta-se de noite.
          Nada do que disse contraria as minhas afirmações.

          Se em 100 anos apenas meia dúzia de anos se optou por não mudar a hora, deve ter sido por alguma razão válida.

          DE resto se for ver o artigo do DN, verifica que nesse percurso de 100 anos apareceram muitas contrariedades, quando se pretendeu uniformizar a hora com os países da Europa Central como agora se pretende.

      • Luís Lavoura says:

        Carlos Almeida,

        como se vê no artigo da wikipedia que fez o favor de lincar, entre 1967 e 1975 (um total de nove anos) Portugal viveu sempre na hora de verão. Foi o período da minha juventude, que referi no meu comentário.

        • Carlos Almeida says:

          “os trabalhadores vinhateiros são uma minoria excecional”

          Os trabalhadores vinhateiros foi apenas um exemplo.

          No mundo rural, toda a gente se levanta com as galinhas, isto é ainda de noite no inverno.

          Nas grandes cidades quem trabalha levanta-se de noite.
          Nada do que disse contraria as minhas afirmações.

          Se em 100 anos apenas meia dúzia de anos se optou por não mudar a hora, deve ter sido por alguma razão válida.

          DE resto se for ver o artigo do DN, verifica que nesse percurso de 100 anos apareceram muitas contrariedades, quando se pretendeu uniformizar a hora com os países da Europa Central como agora se pretende.

          • António de Almeida says:

            Esse é o equívoco que me levou a escrever o post. Está em discussão na UE, após aprovação do PE, mudar ou não a hora, decisão que será válida para todos os estados-membros. Hipótese 1 – mantém-se a mudança de hora a cada 6 meses em toda a U.E., nada acontece. Hipótese 2 – a U.E. decide que terminaram as mudanças de hora, nesse caso todos os Estados, Portugal incluído, terão que decidir qual dos fusos optam, o de Verão ou Inverno? Não tem que alinhar com o continente, ora toda a gente parte do princípio que se opta pela hora de Verão. E se optássemos pela hora de Inverno, muito próxima da hora solar?

          • Luís Lavoura says:

            “Nas grandes cidades quem trabalha levanta-se de noite.”

            Claro. E é assim mesmo que deve ser – levantar-se de noite para trabalhar durante o dia, isto é, quando há luz.

            E na Suíça é muito pior – as pessoas levantam-se para ir trabalhar de noite durante quase tdo o ano. Inclusivé os portugueses que lá vivem – eu conheci um que se levantava às quatro da manhã todas as noites.

            O que eu disse é que preciso da luz do sol para trabalhar. Para me levantar da cama e ir prar o trabalho, não preciso.

  3. César P. Sousa says:

    O sr. Rui Agostinho,director do Observatório Astronómico de Lisboa,deu instruções ao “pau mandado”(leia-se 1º ministro António Costa) para manter a mudança de hora em Portugal.
    Em entrevista a uma TV,debitava o argumento “cientiifico” de que os portugueses necessitavam de muitas horas de sol para evitar certas doenças.
    Ficamos assim a saber que este manhoso Agostinho,para além de ser o herdeiro natural do Kepler e do Galileu,é também uma sumidade em maleitas dermatológicas e respiratórias.
    Com tão poucas horas de sol ,os escandinavos e restantes povos do norte,não vão sobreviver até ao Natal.
    A questão é : Que interesses estão escondidos por trás destas
    declaraçõs do Kepler da Tapada da Ajuda ?

  4. César P. Sousa says:

    O sr. Rui Agostinho,director do Observatório Astronómico de Lisboa,deu instruções ao “pau mandado” (leia-se 1º ministro António Costa ) para manter a mudança de hora em Portugal.
    Dizia o iluminado que são muito importantes as horas de sol para evitar certas doenças.
    Ficamos a saber que este herdeiro do Kepler e Galileu ,para
    além de astrólogo,perdão , astrónomo ,é também uma sumidade
    em maleitas,dermatológicas e respiratórias,
    Os portugueses não sabem o que lhes convém.O sr Agostinho é que sabe o que é bom para nós.
    A pergunta é : -O que é que está por trás desta palhaçada ?

    • Luís Lavoura says:

      Bom comentário. Eu também me questiono que raio tem que ver uma medida política – a mudança ou não da hora – com a Ciência do ser Rui Agostinho. É perfeitamente disparatado António Costa pretender escudar-se atrás de Rui Agostinho. Aquilo que o Observatório Astronómico de Lisboa tem a dizer é aquilo que toda a gente sabe – que no (pico do) inverno a luz solar dura nove horas, no verão dura quinze. Agora, sobre a hora legal o OAL não tem nada que se pronunciar, pois não é assunto da Ciência.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.