Grândola

Comments

  1. Pedro Vaz (Nacionalista) says:

    Se o Zeca é tão bom porque é que quase nenhum Português sabe alguma coisa acerca da sua obra e nem sabem 20% da letra da sua mais famosa canção?

    Resposta: Porque o Zeca e a sua famosa canção foram impostos pela máquina de “color revolutions” da CIA/MI6/Mossad/a-outra-corja-toda-

    TODAS, repito TODAS, as revoluções dos ultimos séculos foram completamente fabricadas e a nossa não foi diferente.

    Dito isto o antigo regime estava gasto e mesmo que ainda tivesse energia não tinha hipótese em um Mundo “dividido” (artificialmente) entre o judeo-capitalismo e o judeo-comunismo. O grande Nacionalista Salvado Allende bem tentou e viu-se o que lhe aconteceu.

    • POIS! says:

      Pois é!

      Mas como ainda menos gente conhece um tal Pedro Vaz, e muito menos 0,000001% das barbaridades (algumas potencialmente criminosas) que por aqui vomita, presumo que também foi produzido por ação da CIA/M16/Mossad/a-outra-corja-toda.

      Não se enganem, portugueses! A mãezinha celta e o paizinho visigodo afinal foram enganados porque o sangue foi alterado quando tomaram umas vacinas contra o tétano. As sessões de ocultismo semi-avançado, infiltradas por fundamentalistas judeus disfarçados de culturistas fizeram o resto.

  2. Pedro Vaz (Nacionalista) says:

    “algumas potencialmente criminosas”

    Ahhh! A “liberdade” do POIS!/abaixoapadralhada/sabe-se-lá-quem-mais a mostrar a sua verdadeira face…

    …Liberdade de expressão MAS…

    A “Democracia Liberal Ocidental” em acção.

    • anticarneiros says:

      E quem é o contraditorio Pedro Vaz (Nacionalista) mais do que as bacoradas que escreve.?

    • POIS! says:

      Pois é!

      Considera V. Exa. “liberdade de expressão” acusar uma data de gente de ser pedófilo (se a memória não me falha,, grande parte do Conselho de Estado), chantageados por gente que desempenha altos cargos sem apresentar uma única prova?

      Infelizmente esse tipo de acusações tornou-se tão vulgar que ninguém age. Isto é, passou a ser “normal” aparecerem por aí energúmenos a imputar a pessoas, sejam elas figuras públicas ou não, graves acusações. Pode crer é que, se fosse a mim, não deixava passar.

      Já para não dizer que, noutros países da Europa, já V. Exa. estava preso há muito tempo pelas alarvidades que constantemente vomita.

      Queixa-se da democracia? Então emigre que logo vê!

      (Emigrar? É o emigras! Aqui dentro V. Exa. arma-se em branco mas, por essa Europa fora é bastante “castanho”. E nos os EUA nem se fala! basta dizer de onde vem e pintam-no logo!).

  3. Pedro Vaz (Nacionalista) says:

    “Em poucas décadas estaremos reduzidos à indigência, ou seja, à caridade de outras nações, pelo que é ridículo continuar a falar de independência nacional. Para uma nação que estava a caminho de se transformar numa Suiça, o golpe de Estado foi o princípio do fim. Resta o Sol, o Turismo e o servilismo de bandeja, a pobreza crónica e a emigração em massa.”

    “Veremos alçados ao Poder analfabetos, meninos mimados, escroques de toda a espécie que conhecemos de longa data. A maioria não servia para criados de quarto e chegam a presidentes de câmara, deputados, administradores, ministros e até presidentes de República.”

    Marcelo Caetano sobre o 25 de Abril

    (Acertou na muche!)

    • abaixoapadralhada says:

      ” Para uma nação que estava a caminho de se transformar numa Suiça”

      Vaz. Para alem de sefardita és fascista assumido

    • Paulo Marques says:

      Como a Suiça? Multicultural? Central de lavagem de dinheiro de criminosos? Com uma política de baixos salários com uso da imigração? Com tecnologia de ponta aqui e ali graças à educação?
      Vindo de quem ofereceu meia ilha e fechou os olhos ao tráfico de crianças do restante, é um artefacto histórico curioso.

    • POIS! says:

      O Marcelo, tal como V. Exa., foi iniciado no ocultismo semi-avançado através de um curso por correspondência e, depois de ser apeado do poder, tornou-se um grande astrólogo.

      Começou a adivinhar ainda no Largo do Carmo, continuou na Madeira e, depois, já no Brasil, fez uma pós-graduação em búzios e um estágio em borras de vinho tinto e adivinhava tudo. Foi nessa altura que confessou ter-se arrependido de não ter começado antes.

      Apenas uma nota: quando se referia à Suíça o que ele queria dizer era que, dentro de uns anos, os portugueses iriam todos conseguir ter um relógio, o que iria aliviar os sacristães e os párocos da obrigação de se levantarem de noite para tocar os sinos.

      Por causa da Revolução,como disse Caetano, restou o Sol, o que tornava os relógios de pulso bastante incómodos. Foi isso que levou milhões de portugueses a emigrar o que, até então, era uma raridade: desde a fundação da nacionalidade tinham emigrado apenas 17 portugueses (18, se considerarmos que o Conde Andeiro se preparava para emigrar quando foi rasgado). A partir da revolução foi um número incalculável. Só em 1974 emigraram mais de 12 milhões!

      Aliás, como se sabe, foram os portugueses que fundaram os arredores de Paris que, até essa altura, só tinha centro da cidade. Eram meia-dúzia de prédios de três andares à volta da Torre Eiffel e pouco mais.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.