Puxa mais um pintelho de cona que uma junta de bois!*

 

 

*Já dizia o meu avô, e assim se diz no Minho!

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    Escusado era o autor ter cortado o cabeçalho do jornal, o Correio da Manhã, essa nobre publicação que nem para limpar o cu serve, numa atitude envergonhada e de falso pudor, como quem não quer pegar em tão pestilento pasquim.
    Ficou-se pelo título, e o mais provável foi nem ter lido a notícia toda.
    Por aqui também se define o caráter das pessoas. Enfim!

    • Filipe Bastos says:

      Ilumine-nos, Naldinho: que diz o resto da notícia? Afinal o compincha do Bosta não foi mamar à conta?

      E se for preciso um pestilento pasquim para denunciar os pulhas deste pseudo-governo sucateiro, que seja. Bem pior é os pulhas andarem à solta sem quem os denuncie.

      Ou prefere que mamem às escondidas, Naldinho?

  2. Serafão Azevedo says:

    Como diria o F. Torres:
    Isto é tudo uma filhadeputice.

  3. Paulo Marques says:

    Claramente culpado de mau gosto.

  4. Orlando Sousa says:

    Caro Sr. Rui Naldinho

    Não tenho por hábito comentar, nem responder aos comentários aos meus posts.
    .
    Outra coisa é a questão do carácter.

    Estou-me nas tintas para o Correio da Manhã. Do mesmo modo para o Expresso, para o Público, e por aí fora. Limpe o cu onde quiser. Eu faço o mesmo. Não faço juízos de valor sobre si, nem sobre ninguém. Também não faço processos de intenções.

    Cito – numa atitude envergonhada e de falso pudor, como quem não quer pegar em tão pestilento pasquim.
    Ficou-se pelo título, e o mais provável foi nem ter lido a notícia toda.
    Por aqui também se define o caráter das pessoas.

    Se avalia o carácter das pessoas assim, como avaliou e comentou o meu, dir-lhe-ei que não gasto latim com bárbaros.

    Dito isto, o que é que interessa na notícia? Ela em si mesma, e o que significa, ou onde foi publicada?

    Durante o Estado Novo é que as notícias eram interpretadas como o Sr. Rui Naldinho fez, com as consequências que todos conhecemos.

    • Rui Naldinho says:

      Dá-me a sensação que o Sr. Orlando Sousa gosta bem mais do Estado Novo do que eu.
      Mas enfim é só uma impressão.

    • Filipe Bastos says:

      Não tenho por hábito comentar, nem responder aos comentários aos meus posts.

      Gosto sempre de ler este tipo de afirmação a bloggers.

      Esperam ser lidos; mas responder a quem os lê? Era o que faltava. Comentar é para tolos e desocupados. Eles estão acima disso. Só postam. Sempre above the line. Uns senhores.

    • António Sousa says:

      O Orlando de Sousa não é racista e até tem um amigo preto.
      O que é que está a acontecer com o Aventar?
      Foi comprado pelo “Observador”?

    • Paulo Marques says:

      Não faz processos de intenções, prefere citar, perdão, violar direitos de autor de quem o faz.

      • Orlando Sousa says:

        Sr. Paulo Marques

        Se cometi isso que diz, violação de direitos de autor, dizia-me em quê, para eu me retratar e pedir desculpa.

        • Paulo Marques says:

          Uma fotocópia de jornal sem qualquer acrescento de valor não me parece que sequer precise de esperar pelo artigo 15º.

  5. jorge paulo sanches da cruz says:

    Não se pode já usar o bom vernáculo, que é um património importante (devia ser classificado, há por aí tanta merda que já é putrimonio…) que aparecem logo as habituais reacções académicas dos académicos da sua própria academia. Acho que está na altura de agitar ainda um pouco mais as virgindades académicas…

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.