Não olhem para a Lituânia, olhem para Espanha

A Iniciativa Liberal (IL) está a seguir os passos do Ciudadanos, o que é mau prenúncio para o partido. Têm sido semanas difíceis para a agremiação. Não sei se por estar muito calor, o que dificulta o pensamento lógico, ou por estarmos em plena silly season, a verdade é que estas semanas não têm sido abonatórias… e basta olhar para Espanha (ao invés da obsessão com os antigos países do bloco soviético) para aprender a lição.

Em Espanha, o partido “liberal” Ciudadanos, uma cópia mais pequena e mais radical do Partido Popular (tal como aqui a IL é uma cópia mais radical do PSD), acabou reduzido a cinzas depois de anos a fazer figura de “anti” Estado, abrindo as portas ao VOX, partido da extrema-direita e aliado do partido português proto-fascista Chega.

Depois de tanto tiro no pé, o Ciudadanos foi colocado no caixote do lixo da História. Se a IL não começar a ser mais responsável nas suas posições e deixar de tentar igualar-se à extrema-direita para caçar votos, terá os dias contados, mesmo com a panóplia de seitas no Twitter ou de ‘memes’ espalhados pelas redes sociais.

A defesa acérrima aos lucros de empresas que expropriam o consumidor português, o intransigente preconceito ideológico que os faz defender o mercado a qualquer custo, dirigentes que, dizendo-se liberais, por mais do que uma vez têm mostrado tiques homofóbicos e xenófobos ou deputados a comparar António Costa a Viktor Órbán… nada disto beneficia a IL. Porquê? Porque já há um partido a quem os eleitores portugueses confiaram este papel: ao Chega. E porque a maioria dos que, nos últimos tempos, se reviram no partido, estão longe de se reverem nestas últimas atitudes em nada “liberais”.

Ou a IL se assume responsável e começa a ter posições políticas mais sérias, ou acabarão trucidados. É que isto de tentar desviar votos da esquerda sacando da bandeira LGBT, ao mesmo tempo que se tenta desviar votos da extrema-direita sacando da xenofobia e do populismo, vai dar merda – desculpem o meu francês, mas não sei dizer isto em lituano como vocês gostariam.

Comments

  1. Paulo Marques says:

    Vai dar merda para quem? Os financiadores da IL estão tão bem com isso, como estão com os outros países que aceitam o seu lugar hierárquico no “sistema de regras”.
    Os que acreditam no que dizem às segundas, quartas e sextas é que, bom, azarito.

  2. Francisco Figueiredo says:

    O Ciudadanos começou a morrer quando deu a mão ao PSOE. Nada tem a ver com o VOX.

    • POIS! says:

      Ora pois!

      Não invente, ó Figueiredo. É uma bela narrativa. Dava até um bom filme. É pena não ter nada a ver com a realidade.

      O Ciudadanos começou a cair, justamente, por não ter viabilizado um governo do PSOE, provocando as terceiras eleições em dois anos. Basta ver: em março de 2019 elegeram 57 deputados. Recusaram a investidura de Sanchez e, em novembro do mesmo ano, passaram a 10. Foi por terem “dado a mão” ao PSOE?

      E por, na Andaluzia, nos finais de 2018, se ter aliado ao PP (que combatia por ser intrinsecamente corrupto), com o apoio do VOX, unicamente porque lhes cheirou a poder. Tal não foi bem visto por muitos eleitores centristas, mas não os penalizou logo porque era um assunto regional.

      O Rivera, a certa altura decretou, embalado pelas sondagens, um “cordão sanitário” ao PSOE. Pensava que se tornaria primeiro partido e que imporia um acordo ao PP, mas à sua maneira. Saiu furado.

      • POIS! says:

        Ah! E lembro-me que, durante a campanha das eleições de novembro de 2019, as tais onde começou o afundamento, atual coma, o Rivera recusou sempre liminarmente negociar com o PSOE qualquer solução de governo. O Sánchez aproveitou e meteu-o no bolso.

        E foi ambíguo a propósito de apoios do VOX. Eu vi um dos debates com todos os partidos na TVE, recordo-me de algumas partes.

        O “Podemos” não caiu na mesma armadilha e manteve a porta aberta a um acordo. De outro modo teria acontecido à esquerda o que sucedeu com “Ciudadanos” à direita. O eleitorado estava farto de eleições que acabavam sem solução de governo.

        Mas a culpa é do sistema constitucional espanhol, que exige o voto favorável para uma investidura. Se fosse como cá, o PSOE poderia governar em minoria com acordos pontuais parlamentares. Lá não.

    • João L Maio says:

      Francisco,

      O contrário. O Ciudadanos começou a morrer por não ter dado a mão ao PSOE. Se o tivesse feito, talvez ainda fosse vivo.

      Quis entrar no jogo da direita reaccionária, perdeu. É neste sentido que comparo com a IL.

  3. estevesayres says:

    Os interesses pessoais, familiares dos amigos, pelo que se vê estão acima dos interesses dos operários e de mais trabalhadores. Rua com os Migueis de Vasconcelos! Como diria o saudoso jurista Arnaldo Matos ; “isto é tudo um putedo”!

  4. balio says:

    Que empresas é que “expropriam o consumidor português”?

  5. Anti-tretas says:

    Que delirio sem quslquer aderencia à realidade. Xenofobia na IL? Mete mais tabaco

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.