Tristes grafias

RJ cls

R. Jakobson et C. Lévi-Strauss, Collège de France, février 1972 (http://bit.ly/1P3kXmF)

Most Potent, Graue, and Reueren’d Signiors,
My very Noble, and approu’d good Masters

— Shakespeare, “Othello” (Folio 1, 1623)

Mr. President and governors of the Academy, committee members, fellows, my very noble and approved good masters, my colleagues, my friends, my fellow students.

Olivier, Laurence Kerr, Baron Olivier of Brighton, 9 de Abril de 1979

***

Hoje, o ilustre Armindo de Vasconcelos desenterrou, algures, uma citação extremamente interessante dos Tristes Tropiques, de Claude Lévi-Strauss:

Il faut beaucoup de naïveté ou de mauvaise foi pour penser que les hommes choisissent leurs croyances indépendamment de leur condition.

É verdade, vem na página 169 da edição que possuo e, por incrível que pareça, apus-lhe uma nótula, há muitos, muitos anos, poucas semanas depois da minha chegada a Bruxelas.

Il faut beaucoup de naïveté ou de mauvaise foi…

Ingenuidade ou má-fé (sim, com hífen).

Sendo verdade que o magnífico discurso de Olivier nos conduz a um saudável regresso a Shakespeare (e ao Otelo interpretado por Olivier), esta deixa permite uma sempre agradável incursão nos textos de Lévi-Strauss: os Tristes Tropiques, sim, o famoso ponto de partida

Je hais les voyages et les explorateurs. Et voici que je m’apprête à raconter mes expéditions,

mas também o meu texto predilecto — “L’analyse structurale en linguistique et en anthropologie”,  (*) :

Dans l’ensemble des sciences sociales auquel elle appartient indiscutablement, la linguistique occupe cependant une place exceptionnelle : elle n’est pas une science sociale comme les autres, mais celle qui, de loin, a accompli les plus grands progrès ; la seule, sans doute, qui puisse revendiquer le nom de science et qui soit parvenue, à la fois, à formuler une méthode positive et à connaître la nature des faits soumis à son analyse.

Isto tudo a propósito de quê? Ora, bem, porque o fim-de-semana chegou ao fim.

Por esse motivo, podemos voltar ao sítio do costume e assistir ao espectáculo que se encontra em cena desde Janeiro de 2012.

dre 14122015

Exactamente: desde Janeiro de 2012 e estamos em meados de Dezembro de 2015 — ou seja, com Janeiro de 2016 à porta.

Portanto, Janeiro de 2016 − Janeiro de 2012 = 4.

Efectivamente, 4.

Andamos nisto há muito tempo.

(*) «L’analyse structurale en linguistique et en anthropologie», Word, Journal of the Linguistic Circle of New-York, vol. 1, n° 2, août 1945, pp. 1-21 ; republié dans Anthropologie structurale, Paris, Plon, 1958, chap. II.)

ANTROPOLOGIA

James Frazer.

Longe de mim esse estar feliz pelos comentários que andam por ai sobre a nossa ciência. Dizem que a Antropologia não tem valor porque não trabalha com estatísticas e percentagens. Não trabalha com amostras, trabalha um universo completo, estuda todas as pessoas, um universo. A Ciência Social da Sociologia e outras como a Ciência Política, inquirem apenas dentro de um grupo selecto de pessoas e aprofundam o seu comportamento de interacção social, enquanto analisam os seus afazeres engenharia social a educação e a gestão das empresas e do governo ou o comportamento político de uma sociedade, por outras palavra, o governo da polis o cidade, estado o nação.

A Antropologia tem outros objectivos, derivados da sua própria definição, anthropos ou homem, e logos pensamento, palavra grega que indica a ciência preocupada em estudar o homem e a humanidade de maneira total, ou seja, abrangendo todas as suas dimensões, como diz Rossano Carvalho Nunes, no seu texto de 2007, intitulado Anthropology, editado pelo Instituto Grupo Veritas de Pesquisa em História e Antropologia. [Read more…]