Deja-vu

Cresce aqui todos os dias a preocupação pelas consequências do implante de próteses mamárias de baixa qualidade : No Reino Unido são já cerca de 50.000 as mulheres que vão ter de arranjar meios para as remover e estima-se que no resto do mundo sejam mais de 300.000.

Começa compreensivelmente na Imprensa o clamor para que o fabrico desses implantes   passe a ser severamente regulado : Prova-se mais uma vez que confiar em que os escrúpulos morais se sobreponham à ganância pelo lucro  pode ter efeitos dramáticos para tantas vidas.

A empresa fabricante desses implantes , a francesa PIP , é um novo Lehman Brothers ,   mas agora num campo que se julgava ainda sagrado : Um roubou as carteiras , esta sem qualquer pejo arriscou a saúde de tantas mulheres para no final do ano apresentar cada vez melhores resultados financeiros .

E se a miragem do crédito fácil arruinou povos e estados , vê-se agora que a procura a qualquer preço da beleza física pode ter efeitos não menos devastadores mas , quer num caso quer noutro , é na falta de valores da Sociedade que devemos procurar a última responsabilidade.

A medicina estética tornou-se uma poderosa industria e muitos médicos a servem  e dela se servem  . Retocar , cortar ou aumentar o corpo , tornou-se mais do que uma moda , tornou-se uma mania colectiva . Em certos círculos o não ter feito várias plásticas é para as mulheres um motivo de embaraço . Eu conheço algumas que mudam de visual de tal maneira e com tal rapidez que , se não fosse a minha idade me  desculpar pela falta de memória , passaria pelo constrangimento de não  as reconhecer . [Read more…]

Boas Notícias, Más Notícias

Não tinha reparado que sendo hoje o primeiro dia do Ano seria totalmente impróprio dar más noticias , até porque a litania das queixas que aqui se ouvem  só difere das daí em grau e certamente não na natureza . Portanto vamos às boas  que são no entanto  poucas ,  mas nestes tempos as pessoas agarram-se a qualquer coisa , o que é preciso é fortalecer o animo . Não é por acaso que o slogan da 2ª Guerra  “Keep calm and carry on “ ganhou novamente uma inusitada popularidade.

Como boa noticia não me refiro obviamente às previsões da Goldman Sachs que dão a Grã-Bretanha a ultrapassar a Alemanha, o Japão e a França em riqueza criada. Nesta época festiva é normal que some people have a few too many, e por isso há que tomar estas noticias with a pinch of salt (and a couple of Alka-Seltzers ) .

Refiro-me sim  ao facto de que a Justiça Britânica estar em vias de se tornar uma das maiores exportações do RU. Pode estar perto o dia em que este país deixe de depender inteiramente da City e isto porque   muitos oligarcas russos  e não só   vão escolhendo  os nossos até aqui sorumbáticos tribunais para dirimir os seus pleitos de biliões . Só a acção que opõe Roman Abramovitch  (o dono do Chelsea ) a Boris Berezovsky vale seis , e com o fim ainda longe já rendeu  110 milhões de Libras aos cofres públicos .  Está agendada outra, esta contra Oleg Deripaska, o magnate do alumínio , que vale quase três biliões . Mas em breve a High Court em Londres será o palco da luta ( jurídica entenda-se ) entre Lev Leviev , o “rei” dos diamantes e Arkady Gaydamak que já foi dono do Portsmouth Football Club ;  mas desta não digo o valor para não vos fazer a cabeça andar ainda mais à roda .

[Read more…]

Shall we begin?

Há algum tempo que ganhei o hábito de fazer a uma viagem pelos blogs portugueses . Sózinho e aqui longe , sem bússula ou guia , vou à descoberta e noites tenho que quando chega a hora de terminar vejo com satisfação que a “pesca” foi boa , que li algo que valeu realmente a pena .
Inevitavelmente comecei a sentir a vontade de eu próprio “botar” palavra : Não sobre a politica em Portugal sobre a qual só tenho dúvidas e perplexidades , mas sobre o que se passa nesta minha pátria adoptiva , para onde ventos fortes e mar alteroso me fizeram arribar.
Eu, que fui nado e criado à beira-Tejo, penso que conservo apesar de tudo um certo olhar português sobre as coisas, e sinto muitas vezes um zelo missionário querendo que quem aí vive leia um livro que acho indispensável, veja um espectáculo ou programa que me parece imperdível ou simplesmente conheça melhor o que aqui realmente se passa . Continuo profundamente interessado pela politica daqui, talvez demasiadamente para o meu próprio sossego , pois na maior parte do tempo ela só me traz irritação e frustrações, fazendo com que a minha outra metade diga estar eu por vezes impossivel de aturar .
Também pensei maduramente em que língua escrever, mas rápidamente concluí que seria uma insuportável pesporrência não o fazer em Português. Porém desde já aviso os meus improváveis leitores que nesta língua tendo a ser prolixo e que o estilo me sai assim empiriquitado; bastantes vezes no passado escrevi páginas para no final tristemente concluir que não tinha dito nada do que queria. Será certamente uma prosa de emigrante: Uma mistura de palavras em português e inglês, no meu caso não por imodéstia, mas porque muita coisa já não sei como traduzir. Por exemplo gostaria que soubessem que eu sou “a bookish type of person”, mas como dizer em português? Que sou uma pessoa livresca, livreira ? [Read more…]