Sobre o debate:

Em democracia, a melhor ruptura obtém-se pelo voto. Nenhum militante antigo ou recente, diga Paulo Rangel o que disser, imagina Sá Carneiro ou Cavaco a perder uma eleição contra Sócrates como sucedeu ao PSD de Manuela Ferreira Leite. Os seus herdeiros políticos terão de responder por isso nesta campanha interna. E Rangel é um herdeiro político de Ferreira Leite, o que talvez explique a incomodidade que revelou neste debate.

Pedro Correia no Delito de Opinião

Adendas pela madrugada: Aguiar Branco inaugurou a sua sede de Lisboa. Arnaut apoia Rangel e o i resume o debate.

O Debate # Final

A minha alma está parva! Esperava mais, muito mais de Paulo Rangel neste debate. Considero que foi, literalmente, cilindrado por Passos Coelho.

A boa preparação de Passos Coelho é notória. Domina melhor os diferentes dossiers, é assertivo nas críticas e teve o killer instintc fundamental nos momentos certos: a da ruptura de Rangel ser o seu abandono do PE foi um must. Fez falta a presença de Aguiar Branco e ficou mal, muito mal, a Rangel enviar uma farpa a quem não estava presente e que, ainda por cima, é o seu “padrinho”.

Foi um debate esclarecedor para os militantes e, julgo, uma vitória forte de Passos Coelho. Agora é esperar pelo debate final, numa das televisões de canal aberto, preparado para a última semana de campanha.

O Debate #6

A velha escola e a nova escola é uma boa metáfora para definir estes candidatos: Rangel está muito próximo da velha direita enquanto Passos já milita na direita moderna.

O Debate #5

O Bitaite da noite no twitter por G_L: “Debate entre a direita e o centro”

O Debate #4

A discussão está óptima no Twitter. A maioria considera que, por agora, Passos Coelho está a ganhar o debate.

O Debate #3:

Como se previa e já se comentava durante o dia, Rangel prefere uma postura agressiva e populista, mais vocacionada para procurar convencer os eleitores fanáticos esquecendo o país. Neste ponto, Passos Coelho está a ganhar por ser mais pausado e esclarecedor.

Agora vamos ao país. Ainda bem. Uma boa malha de Passos Coelho ” eu estou é ao lado e preocupado com o país”.

O Debate #2

Passamos do civilizado ao debate de ataque, (2-3-5)! Alguém convenceu Paulo Rangel que Passos Coelho é do PS. Ainda vai sobrar para o CDS…

O Debate #1

Neste arranque, tudo muito civilizado como mandam as regras. Ainda bem.

Passos Coelho ataca, forte, com a péssima estratégia do actual PSD nas últimas legislativas e com a questão da ruptura afirmada por Rangel. A forma como encara o passado e se apresenta como alternativa do futuro é mais moderada e menos populista. Rangel não concorda e a réplica centra-se nas rupturas. Eu li, diz Paulo. Eu estive lá, afirma Passos Coelho. Rangel explica ruptura com o actual PS e não com MFL. Colando Passos ao PS. Hummm, isto de falar de partidos ainda vai dar chispa…