Visão das “campanhas sujas” de Gaia

A reportagem da revista Visão publicada há alguns dias sobre as “Campanhas Sujas” da política, todas elas a norte e a principal das quais em Gaia, tem alguns pontos de interesse, apesar de a maior parte da informação publicada já ser conhecida e até já ter sido analisada pelas autoridades judiciais.

Mas há algumas novidades na peça jornalística que importa assinalar.

A primeira novidade é o aparecimento em cena de um grande grupo empresarial chamado Trivalor, dono de empresas como a Gertal, cujo negócio principal é o fornecimento de refeições escolares. Ou como a Strong, que se dedica à Segurança Privada. A Visão diz que a Trivalor terá financiado campanhas eleitorais do PSD e do PS. O que a Visão não diz é que a Gertal fez o maior contrato de todos os que constam do Portal Base com a Câmara de Gaia, num valor superior a 12 milhões de euros, no ano de 2015, já Eduardo Vitor Rodrigues era presidente de Câmara havia cerca de dois anos. Também não diz que a Strong, empresa do mesmo grupo, “ganhou”, no mesmo ano, o concurso para fornecimento de serviços de segurança à autarquia, destronando uma empresa concorrente que prestava esse serviço há vários anos.

[Read more…]

O Estado guarda. Quem guarda o Estado?

entroncamento

Infelizmente dá-se o caso de certos papéis, vitais para a compreensão de fenómenos sociológicos de grande interesse para a comunidade, mesmo para a que não vive no Entroncamento, estarem expostos aos azares do quotidiano, aos pequenos incidentes fortuitos, absolutamente imprevistos, da exclusiva responsabilidade do destino ou do azar. Foi azar, disse Tibi.
[Read more…]

Menezes, o retirado

O senhor Doutor levou uma paulada monumental no Porto e, confesso, pensei que seria para todo o sempre. Pelos vistos não foi, embora, me palpite que o sr. Retirado não conhece a Lei, mas, numa lógica de serviço público aqui fica:

“No caso de renúncia ao mandato, (…), não podem candidatar-se nas eleições imediatas nem nas que se realizem no quadriénio imediatamente subsequente à renúncia.” (Lei nº 46/2005, de 29 de agosto)

Ora, o senhor poder escrever que não se vai candidatar a Gaia. Mas, a única verdade realmente verdadinha é esta: Vila Nova de Gaia 2017 é um jogo que a Lei não lhe permite jogar. PONTO!menezes

Prestado este serviço público, poderia trazer aqui os episódios patrocinados pelo Sr. Retirado que lesaram os interesses dos Gaienses e delapidaram as contas deste lado do rio. Não me surpreendeu a banhada (sim, é mesmo para reforçar a repetição) que levou do outro lado do mesmo RIO (as maiúsculas aqui são uma piada) porque sabemos o que custaram, do lado de cá as condenações em tribunal.

[Read more…]

O estranho caso da destruição de documentos do processo Gaianima

ga

A insólita inundação na CM de Gaia, relatada ontem no Aventar pelo Bruno Santos, que praticamente só afectou documentos referentes ao processo Gaianima, um processo de tons alaranjados com os barões partidários, capos e homens de mão à mistura, é tão conveniente que parece retirada de um filme. Água a 80 graus, proveniente de uma conduta que rebentou, de uma repartição selada por ordem de um tribunal, tresanda a Hollywood por todos os lados. A Hollywood e a esturro. [Read more…]

Câmara de Gaia: água a 80 graus destrói Provas de processo judicial

Segundo o Jornal de Notícias, uma inundação terá ontem destruído Provas documentais relacionadas com o processo judicial da Gaianima, empresa municipal de Vila Nova de Gaia.

A água que provocou a destruição das Provas e que estava à temperatura de “cerca de 80 graus” – presume-se que centígrados –  provinha de uma “repartição” selada por ordem do Tribunal e, segundo a notícia, “os documentos destruídos apenas diziam respeito ao processo criminal”. Este aspecto terá “causado estranheza”, ainda segundo a notícia.

Foram “técnicos de uma empresa de ar condicionado que detectaram, cerca das 16h00, a ruptura no sistema de água do Arquivo Municipal de Vila Nova de Gaia” e, segundo relata o JN, que publicou a notícia às 00h30, este edifício “é um dos mais seguros da Câmara”.