Chorai, miseráveis!

e contemplai o Céu em adoração!

Pediatra violou 103 menores nos US!

Oa abusos terão acontecido há uma década mas tudo indica que será o pior caso de pedofilia nos US e que chegou aos tribunais.

Earl Bradley, pediatra americano foi ontem acusado de ter violado 102 raparigas e um rapaz desde o ano de 1998. Há vários filmes dos actos feitos pelo médico e que foram encontrados no seu consultório.

Para além da pedofilia, há algo que não bate certo nestes casos. Desde a rapariga que foi raptada e que vive numa cave anos e anos e ninguem dá por nada, até às crianças que são violentados por adultos e que ninguem dá conta e quem dá conta não diz nada, como aconteceu aqui em Portugal com o caso Casa Pia e as famosas fotografias escondidas numa gaveta e que mostravam pessoas importantes e conhecidas nestes actos criminosos.

A verdade ( e lamento profundamente aquelas pessoas que tudo fazem mas as suas condições de vida não lhes permite defender efiscazmente os seus filhos menores) é que há uma espécie de conluio, de benevolência entre violentadores e todos nós. A vizinha grita mas nós seguimos a velha máxima ” entre marido e mulher não metas a colher” ; vimos um adulto bater numa criança e achamos que sendo filho não temos nada com isso;  vimos um velho ser agredido por um energúmeno e achamos que devemos seguir com a vidinha, e assim por diante…

Estes casos acontecem porque andamos todos a tratar da vidinha, cada um por si, esta sociedade já nem sequer é capaz de proteger quem é mais fraco, e não é só em termos de violência fisica. Há quatro milhões de pessoas pobres em Portugal e assobiamos para o alto; nos US há uma guerra na sociedade e entre os partidos porque Obama quer proteger quarenta milhões de pobres com seguros de saúde e há quem ache que essa medida é injusta; ( devem mesmo morrer sem cuidados médicos!).

Se a justiça, a generosidade escasseiam e a impunidade campeia, ficamos surpreendidos com estes crimes porquê? São o resultado do Homem que fomos criando e da sociedade que desenvolvemos!

PS: E, pronto, lá vou eu para a caminha com a consciência tranquila depois desta prática!