À atenção do ministro Álvaro


O design da Pastelaria Semi-Industrial Portuguesa

via Tiago do 5 Dias

Pastel de Nata

A cura pelo pastel de nata ou «natoterapia», como escreveu hoje Miguel Esteves Cardoso, em mais uma crónica totalmente dedicada à sua amada Maria João, que recupera da cirurgia (a um tumor do cérebro há cerca de quinze dias).

Diz-nos como Maria João se delicia com um simples pastel de nata e que o come como uma autêntica princesa.

É um texto muito bonito, romântico. E depois? Quem não gosta de pastel de nata e de uma declaração de amor? [Read more…]

O pastel III

A globalização do pastel de nata – o Álvaro merece o Nobel!

[vodpod id=Video.15948438&w=425&h=350&fv=file%3Dhttp%3A%2F%2Frd3.videos.sapo.pt%2FlOhC7dqbhOPERnm93ina%2Fmov%2F1%26amp%3Btype%3Dvideo%26amp%3Bimage%3Dhttp%3A%2F%2Fsicnoticias.sapo.pt%2Feconomia%2Farticle1243147.ece%2FALTERNATES%2Fw570%2F1038172_4.png%26amp%3Bskin%3Dhttp%3A%2F%2Fsicnoticias.sapo.pt%2Fskins%2Fsicnot%2Fgfx%2Fjwplayer%2Fsic_noticias.xml%26amp%3Bautostart%3Dfalse%26amp%3Brepeat%3Dlist%26amp%3Bbufferlength%3D3%26amp%3Bcontrolbar%3Dover]

Passos Coelho, quando sondou individualidades para o governo e escolheu  conselheiros, recorreu de certeza a uma das melhores sociedades portuguesas de “headhunters”. Ao ler nas entrelinhas os derradeiros relatos e artigos da Mozart49, não me espantaria que a preferida tenha sido a Heidrick & Struggles (Dr. Nuno Vasconcellos, a publicidade aqui no ‘Aventar’, por enquanto, é gratuita; depois compensa-nos com uns tempos de antena no novo canal privado da TV).

Apenas uma sociedade do género da Heidrick & Struggles, mais ou menos filial da Mozart49, teria capacidade, ‘know-how’ e sagacidade de descobrir o Prof. Álvaro Santos Pereira  na longínqua Vancouver, para Ministro da Economia e do Emprego.

O ministro Álvaro nasceu com o privilégio de uma mente brilhante. De invulgar visão. Jamais houve outro estratega português dotado de tão sábia inteligência, há dois séculos. Bastará referir que os ‘pastéis de Belém’ existem desde os princípios do Século XIX e, de então para cá, nem uma personalidade  sequer tirou da cartola a ideia de que, para equilibrar a Balança Comercial, uma das soluções é globalizar, vender pastéis de nata por esse mundo fora. Somos uns doces, governo incluído

O ministro Álvaro merece o Nobel!