Apedrejamento do autocarro do Benfica: a culpa é do ministro

A super-lua foi há uns dias, mas parece que os efeitos só hoje chegaram a Portugal.

Depois de Sócrates ter inventado mais um triunfo e de Cavaco ter vindo dizer que já desistiu de ser PR (pelo menos com este governo), o F.C. do Porto vem comunicar que condena o ataque ao autocarro do Benfica, mas não muito. E enquanto a polícia procura os responsáveis, o FCP diz que não é preciso porque a culpa é… do ministro.

Grande país, cada cavadela, cada minhoca! Será que os anelídeos se podem exportar?

Na PSP há criminosos à solta: quem os prende? quem pára Rui Pereira?

São casos a mais em tão pouco tempo. O último inclui um gravíssimo atentado à liberdade de imprensa e pode ser lido no tvi24.

Tenho plena consciência que a polícia de hoje não é a da minha infância. Sou amigo de gente que trabalha ali como poderia ter escolhido outra profissão. O que se está a passar é um reflexo da crise: os polícias também são assalariados, vivendo em condições miseráveis principalmente nas grandes cidades, e que são treinados para deixarem de ser homens, como os soldados que todos já foram.

Esta estratégia de espevitar o pior que há dentro de cada um deles, como dentro de nós existe escondido, de soltar a fera fascista, tem de ter responsáveis, dentro da hierarquia, mas sobretudo tem um: o ministro que a tutela.

Tudo leva a crer que Rui Pereira deu ordens para soltar os bichos, para amansar as feras. O pânico pela violência social que vem já a seguir explica tudo. E justifica essa mesma Grécia que cresce dentro de nós.