No país ao contrário

No país ao contrário, nem a lei da gravidade funciona e as coisas são puxadas para cima. Para cima, desde a primeira instância até ao constitucional.

No país ao contrário, os cabrões começam na ralé e acabam na Suiça. Na Suiça, das contas numeradas e dos primos taxistas.

No país ao contrário, as prima-donas da justiça dizem-se incapazes. Incapazes de meter a ferros os cabrões que usam a lei de puxar para cima.

No país ao contrário, roubar comida dá prisão. A prisão de onde os cabrões se esgueiram.

Esgueiram-se e ainda são aclamados.

E o burro sou eu?

Comments


  1. E então os terrenos em Cabo Verde que ele até teve pena de devolver?
    http://www1.ionline.pt/conteudo/73769-isaltino-tenho-pena-devolver-o-terreno-cabo-verde

  2. maria celeste ramos says:

    RTP2-02:00H-12 maio 2012-estou a ouvir Sasseti afagar a música-(os 3 pianistas)-Homenagem

  3. palavrossavrvs says:

    BRILHANTE, meu caro! Um Abraço.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.