Afinal em que é que ficamos, Ricardo Rodrigues?

gravadoresRicardo Rodrigues anda confuso. Compreende-se. Isto de um homem ser suspeito em vários casos obscuros e transitar para deputado, de ser nomeado membro do Conselho Superior do Ministério Público, de desviar gravadores a jornalistas e ir parar à Comissão para a Ética, a Cidadania e a Comunicação, de ser constituído arguido e ser nomeado para o Conselho Geral do Centro de Estudos Judiciários, de ter sido referido como pertencente a um “gang internacional” e ver-se na situação de coordenador da Comissão Parlamentar para o Combate à Corrupção, deixa qualquer um confuso.

Agora, ao ser julgado por atentado à liberdade de imprensa, vem afirmar que se apossou de dois gravadores por questões de defesa da sua imagem. Continua confuso, coitado. Eram gravadores, sr. deputado. G-r-a-v-a-d-o-r-e-s, para gravar sons, respostas a perguntas no caso em apreço, sr. deputado.

Imagem é com outras máquinas. Algumas só captam imagens e chamam-se fotográficas. Outras captam imagens e também som, sr. deputado, e dizem-se de filmar.

É capaz de ser cansaço, após tanta actividade, tanta acusação, tanta comissão. Pode ser que tenha oportunidade para descansar. Afinal, incorre numa pena de prisão entre três meses a dois anos ou no pagamento de uma multa pecuniária que pode ir de 25 a 100 dias.

Dois mesitos já davam para arrumar algumas ideias.

Comments

  1. maria celeste ramos says:

    Mas que exemplar ——- tão raro

  2. Francisco says:

    Mais um que vai prescrever ou vai ser absolvido.


  3. Enquanto deputedo, não é inimputável?

  4. patriotaeliberal says:

    Este coiso devia estar no governo.

    Um desperdício, um desperdício!

Trackbacks


  1. […] ainda lhe vão dar um lugarzinho na ERC 26/06/2012 Por A. Pedro Correia Deixe um Comentário Ricardo Rodrigues foi condenado por atentado à imprensa. Depois de Ricardo Rodrigues ter ficado com os gravadores, […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.