Corpo e espírito

Ontem, o professor americano Peter Colosi esteve na Universidade Católica (Lisboa) para uma palestra onde terá dito, por estas ou outras palavras, que:

O nosso corpo e o nosso espírito são um só.

João Paulo II dizia que nós somos o nosso corpo, não porque era materialista, que não era, mas porque a alma está tão intimamente ligada ao corpo, tão presente.

Hoje separamos as coisas. As pessoas pensam que os seus corpos estão separados de si mesmos, que podem fazer todo o género de actos sexuais, ou que podem fazer um aborto, e que isso não os vai afectar. Levar as pessoas a compreender esta união profunda entre o espírito e o corpo é o primeiro passo que é difícil de explicar, porque vivemos numa sociedade dualista.

Para quem acha isto uma grande idiotice ou disparate, ou que seja incrédulo nestes assuntos «transcendentais», sugiro que pense, como exercício, em qualquer forma de arte. Imagine uma bailarina, pense na música, na representação perfeita de um ator, etc.

Peter tem o seu blog para quem estiver interessado em conhecer o seu trabalho.

Comments

  1. maria celeste ramos says:

    Mªdo Céu Mota-Vamos ver se sei responder a esta bela observação – creio que algum filósofo entendeu que o Homem tinha 3 componentes fundamentais – body + mind +spirit Mas um dia Descartes (creio) depois de tantos séculos o homem viver sob a ditadura da Igreja da Idade Média e do Temor a Deus, chateou-.se (??) e disse – Deus fica aí descansado e eu já venho pois vou “tratar do homem e da sua mind” – e assim fez e veio o racionalismo e o homem frente a frente consigo mesmo e com os outros homens – Entretanto a Igreja andou aos tombos – até inventou a Santa Inquisição – e lixou-se – Eu que desde menina fui educada na greja Católica Apostólica Romana – e guardo o meu lino Missal em Latim, rezava e cantava na Igreja, em Latim (que também aprendi no Colégio) que fui da JEC e da JUC, fiz a 1ª Comunhão e Comunhão Solene e Crisma, quando vim para lisboa com 18 anos lá fui para a JUC e mesmo com 19 anos fui pela 1ª vez a Fátima (todos acompanhados de João Salgeuiro que era não sei quê da Acção Católica – e pertencia à não sei quê de S.João de Paula – mas um dia aos a9 anos cahtiei-me com várias lengalengas da minha “madrinha” da juc achei que havia coisas e ditos que punham os meus neurónios nervosos – então peguei no lindo emblema da JUC – em forma de escudo verde com cruz pareatada – metí-o na pia e puxei o autoclismo – deixei de ir à missa na Basílica da Estrela no bairro onde habitava e virei costas – deixei de fazer novenas e tudo o que se relacionasse com práticas religiosas

  2. maria celeste ramos says:

    Mas havia um padre de quem eu gostava muito na Igreja de Alcântara – o Padre Botelho de que há hoje uma rua com o seu nome – que já cá não está, mas acho a Igreja de Alcântara superlinda de que foram restaurados há poucos anos os altares de talha doirada e os belíssimos frescos – lindíssimos – aliás semore que viajo visito sempre a aequitectura religiosa – sempre e se viajei pelo mundo visitei toas as catedrais e uma delas – de Clermot Ferrand até é o ponto de encontro dos emigrantes portugueses como pude constatar e recordo como achei estranho uma vez em Paris visitar a Notre Dame e ver a catedrak«l cheia de turistas como se andassem a passear nos Champs Elisés -creio que não se entra vestido e descontraído nuna Igreja como quem vai à praia – Quanto à religião em 2002 passou-me uma coisa pela cabeça e voltei a Fátima – e adorei e comovi-me não pelos padres que pareciam ser empregados e faziam frete a fazer o que faziam – comovi-me com a multidão – o siL~encia – a devoção – os seus cantos – a ordem com que estavam milhares de pessoas rezando – como me comovi ao entrar no Vaticano e olhar à direita e olhar a Pieta como se a pedra emitisse os sentimentos e emoções que o escultor pretendeu imprmir-lhe – de facto a minha religião hoje é mais o pante´+ismo em que vejo Deus em tosas as coisas no mar e no céu e nas belezas pelo homem criadas como Veneza em que chorei pela beleza e ordem que irradiava – se Deus existe e anda por aí se calhar está mesmo dentro de mim e onde eu estiver e nem o acuso nem zango mesmo quando ando na mó de baixo, o que já me sucedeu e gravemente – deus não é o que eu quero ou qureria que seja – Deus è e manifestase em tudop o que há de melhor e mesmo de pior – Deus fez o Homem à sua imagem e semalhança não é o que nos ensinaram ?? se os homens não fossem maus e idiotas como seriam filhos de Deus também ?? de um bom ninho sai um ruim passarinho – será ?? E adorei assistir à missa campal de João Paulo II em Dublin – que belo 1 500 000 pessoas – e adorei joão Paulo e a missa no Parque Eduardo VII e no Campo de Futebol do Belenenses – há homens “santos” não há ??? Uma vez pediram-me e fiquei aflita, para fazer uma conferência sobre os “anjos” – e fiz e gostaram – claro que falei dos HOMENS – dos homens bons criados à imegem e semelhança de Deus e alguns que conheci e me comoveram pela sua grandeza, cultura e simplicidade, bondade e disponibilidade para os que deles precisaram e tinham sempre a porta aberta – a porta de casa e do coração – assim, já só conheço um e no sábado fui à missa do 7ª dia (Basílica) de outro que era meu amigo (e colega mais velho) – às vezes rezo mas peço apenas que Deus inspire e proteja os Homens Bons do meu país – não decoro orações embora saiba ainda todas as que aprendi em menina – ficam para sempre – como ficou o Missal e a Bíblia e os “santinhos” que me deram – E adoro o Natal e celebro-o mesmo sozinha como desde que a família me foi levada – e celebro o Dia da Mãe a 8 de Dezembro como sempre fiz – e a Páscoa, como sempre fiz – e este ano porque os homens já não gostam de datas e de celebrações e de tradição, escapou-me o Dia da Espiga – e não comprei o “pão e a oliveira dos santos óleos nem a papoila do campo nem os malmequeres bravios” – pena – tenho o do ano passado – desprezam-se as datas e os ritmos da nossa cultura – como se sol e lua e dia e noite e pascoa e natal e dia do pai e da mulher não tivesses importãncia nenhuma e não fosse pelo menos sinos a tocar para nos lembrar a hora de celebrar – Só falta ir-se para a boîte no dia da consoada – e fiz a Benção das Fitas na Sé de Lisboa – porque abençoam as Fitas ainda ??? que guardo claro – porque não se celebra o 5 de outubro ?? e o 1 de novembro ? O que resta para unir grupos de pessoas que até não se conecem mas nesses dias se “reconhecem” ?? Vão cabar com 25 abril e 1º Maio ?? O que é memória colectiva e datas que marcam MARCOS da nossa civilização e Cultura ?? que mais falta desfazer ?? acabam com a lingua e injectam-me o disparate do Acordo Ortográfico ? Mas todos celebram o dia dos seus anos com amigos e grande dia de bebedeiras e drogas e parvoíces ? o que é cultura ??? Como se reconhece um país e o que o distingue de outros ?? O que é ser de origem judaico-cristá que o Tratado de Lisboa aboliu no preânbulo ?? Porque se retiraram os Crucifixos das Escolas – é um bicho ? mas quem é quem ??? Pois é Céu mora – o meu corpo é o Templo da Minha Alma – e mais – e mais o esquelete se bem me lembro tem Cabeça, Tronco e Membros e até abaixo do diagrama que alguns dizem (mas não eu) que abaixo do diafragma fia a parte não-nobre do corpo – porém, é aií que ficam as vértebras sagradas e o saxo e o sistema sexual ou reprodutor – e se hoje há quem vote pelo aborto livre (e eu pago com o meu IRS) e se há quem advogue a eutanásia (Holanda pelo menos) e se há pena de morte (os homens que decidem quando outros têm de morrer e não mais viver nem na prisão) eu penso que uma mulher grávida nem nunca saberá se está e sobretudo quando ficou grávida já que muito antes de o saber de facto, houve um óvulo que foi fecundado e nada sentiu – o sagrado da vida aconteceu sem ela dar por nada – escondido e recatado no seu corpo físico “o menino nasceu” e mais tarde nascerá e será homem bom ou criminoso – porquê essa zona do corpo onde a reprodução da vida acontece é na zona sagrada do meu corpo e em silêncio sem se sentir ??? Fazem-se ecografias e outros exames para se saber ??? que bom – E porque é aí também (e não apenas no coração) que se sente que se ama até à fusão das açmas como se corpo e alma fossem UM apanas e não separados ?’ Como se explicam esses sentimentos e emoções e sensações ?? nem os animais serão tão “animais” como os homens !!! Sagrado é o abrigo do pássaro e do coiote e do leão e da andorinha e do preto e do branco e da mulher e da criança e do indio e do desgraçado homeless e do cigano e dos peixes do mar – a vida global e o espaço onde acontece – sagradas são as urtigas que nos dizem que aquele solo é rico em azoto ou a margarida (margacinha) que nos indica que alí há água no solo ou da salgadeira que diz que ali o ar tem sal do mar – os as vacas que não comem cogumelos venenosos e nos ensinam que é melhor não os apanhar – ou o Salqueiro que nos indica que ali existe um ribeiro ou uma acácia espinhosa que nos diz que ali a terra não tem água e é desertica ou ou ou – nada na natureza é INÚTIL – só os homens – que, afinal, estão na terra para louvar todas as criaturas as montanhas e os rios e as arvores e todos os outros e que se têm de organizar para caberem todos os “nascidos” – mesmo os filhos da puta que, para esses, há a prisão porque é preciso imitar na terra, as leis das estrelas e constelações porque o que está em cima está em baixo e o que está dentro está fora e como dizia alguém do aventar, uma mulher bela já traz mais uma mensagem – a de mostar pelo menos por fora que a beleza existe em tudo mas mais fácil para o homem olhá-la na beleza da mulher a quem Deus deu o Adão para, crescei e multiplicai-vos – com amor – o único sentimento que nos faz sentir vivos e alegria de existir – de facto esse amor situa-se também, no corpo físico e, a mente, é quantas vezes uma porcaria porque “le coeur a des raisons que la raison ne connais pas” e nem vale a pena pensar muito nisso antes que os neurónios entrem em curto circuito e fundam – “bleu bleu l’amour est bleu como le ciel qui joue dans tes yeux” – azul do céu – e porque é que os “enamorados” gostam da Lua – “O sol anda lá no céu, tão contente atrás da lua, também trago a minh’alma de castigo atrás da tua” – pois a Lua (mulher) não tem luz se o sol (homem) não a iluminar – uma vez uma velhotinha do meu bairro disse uma coisa linda – sem amor a vida ESCURECE

  3. maria celeste ramos says:

    em amor a vida escurece

  4. maria celeste ramos says:

    Sem amor a vida escurece

  5. Paulo Gomes says:

    Não tenho nada contra o princípio. A distinção entre “corpo” e “espírito”, como coisas distintas e separadas e independentes, parece-me absurda. Não posso, no entanto, deixar de reparar naos exemplos que este senhor deu: o sexo e o aborto. Não se lembrou da violência (incluindo a sexual e a pedofilia), das infecções desnecessárias por DST por causa da oposição da igreja católica ao preservativo, da guerra, da fome, da tortura, da negação do acesso à saúde, etc. Porque será?


  6. Ele deve ter dito isso ao sair de uma aula de pilates, sentia-se esfuziante.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.