Quanto custa acabar com o livre-arbítrio

crato ladrão

É barato, para garantir uma nação de gente sem voz.
Evidentemente que os professores e funcionários do privado não poderão dizer mal de quem lhes enche (pouco) os bolsos, nem que seja a prestações e contra emissão de recibos verdes. «Pelo menos trabalham, nem todos se podem gabar do mesmo».
Já nem falo daqueles cujos bolsos e cujas panças se avolumam cada vez mais.
Falta colocar as fotos de ppc e de acs nas paredes das salas de aulas dos colégios…
Adeus, Pátria e Família.

Comments


  1. Realmente não se entende. E se por acaso houver mais candidatos a esses 19,4M€ do que vagas nas escolas privadas? Irão haver portugueses de primeira e portugueses de segunda? Eu não sou contra os colégios privados nem contra o direito de as pessoas escolherem onde querem meter os filhos, mas que esses colégios privados sejam mesmo privados, ou seja sem qualquer tipo de apoio por parte do Estado e que vivam única e exclusivamente das verbas que cobram aos pais dos seus alunos. Se não conseguirem sobreviver assim, fechem-se, como acontece a qualquer outra empresa verdadeiramente privada, e que os alunos sejam encaminhados para o público.


  2. A ignorância é atrevida. Só mesmo alguém com medo de ter um patrão pode sugerir esta parvoíce. Quando, há 20 anos atrás, cheguei à “escola pública” para dar aulas, a primeira informação útil que me deram foi o número do artigo que devia pôr na justificação de faltas se algum dia não quisesse ir. Há dois anos, por razões unicamente familiares, tive de sair da “escola privada” e ir para a pública. Já vários colegas aí me disseram para ter calma, para ir fazendo as coisas e para agendar mais visitas de estudo. Informem-se, respeitem as pessoas que, como eu, tiveram de fazer sacrifícios para os filhos terem professores que se preocupam com a aprendizagem deles e que estão disponíveis para receber os pais e colaborarem com eles. Tenho pouco dinheiro, deixei de passar férias, os meus filhos levam todos os dias uma marmita para a escola, comprei os manuais todos em segunda mão, mas estou feliz por a minha filha Maria ter uma professora de Português que distingue o “à” do “há”. Eu defendo uma escola pública de qualidade, mas, quando leio estas coisas e oiço alguns dos meus colegas atacarem o ensino privado só porque sim, só me lembro de que há pessoas que cortam árvores porque estas fazem sombra às ervas daninhas. Felizmente, há bons professores nas escolas, mas são invariavelmente postos de lado pela cultura dominante porque querem chegar a horas, porque não faltam, porque corrigem os testes a tempo, porque fazem testes a sério, porque se preocupam com os alunos. O preconceito é o maior obstáculo à evolução da Humanidade.


  3. Esta carta com despesas pagas por mim irá ser enviada aos governantes, às televisões portuguesas e a outras entidades.
    .Bom exemplo de professores,
    Este é o exemplo que Portugal necessita, para q Portugal se consolide, numa união univoca, é no ensino, é no seu ninho, na sua escola q s começam a formar os portuguêses, uma união, uma linha sem cortes. Acredito porqeu pertencemos a um retângulo, somo poucos, e mesmo q sejamos mutos, é só um canto, vamos recheá-lo de saber,de ação, unidamente com sacrificio, amor, competência, e começa das tenras idades com exemplos, a ir buscar o aparente mais dificil e q não se acredita mas de onde sai e vem o sucesso, eu sei, eu provei o q é ser rapaz de rua antes e logo após 1974, de Sol a Sol na rua, lutas, richas , tentativas constante para a marginalidade, sem apoio de ninguém, e ter que dizer não era com suor, sangue e lágrimas, o q se perde, o que se desperdiça, é desta e a esta União que apelo, e estes professores que assisti a um documentário na Televisão, têm que ser apoiados, é disto que Portugal precisa, desta verdade, e não de gandulos políticos pavoneados de apetências por cocorrências q focam apenas os lucros.
    Estes professores são um exemplo a seguir, levantar quem está em baixo, dar a mão a qem perdeu a esperação ou está no caminho para a perder, somo portugueses e os que não são mas qeu querem pertencer a este povo deste canto a estes costumes hábitos, tradições, clima, geoposição, a esta cultura que culminou com cravos, e não a vamos estragar qe ela é boa, ser português é um grande virtude seguindo o que de melhor nos ensinaram os nosso antepasados, não vamos deixar caír o bom q temos pelos facilitismos, por ajudas envenenadas dos países como a Alemanha, em q formamos os nosso filhos e eles fazem-nos a crises para depois os vir buscar, foi assim q se formaram legiões e grandes grupos da ciência e saber saqueando para os impérios, hoje aproveitam para fazer o mesmo sutilmente criando a crise. vamos deixar os portugueses saír fora mas continuando cá, pq cá é q que está a catedral, e o q nos falta é união no ensino, é a Base, o ensino é o pilar, não pode haver ganâncias, tem que se recolher, amparar e abraçar um maio númro destas crianças, estes adolescentes, a culpa foi dos governos, dos professores, dos pais, de todos, agora chega, basta.
    Não tenho potencialidades financeiras, mas se tivesse, e aconselho a quem tenha, fica aqui já o meu apelo, para q ajudem e paguem bem a estes professores q foram aos bairros carênciados e de risco, só buscar alunos de famílias carênciadas e em risco, amparar estas crianças e adolescentes, esta é qeu é a verdadeira e concorrência, deveriamos abordar mais este ato q aturar a ganância privada no ensino, na moral .
    Eu sou voluntário a oferecer a estes professores um donativo por pouco q seja para criarem uma escola só focalizada para os alunos carênciados e de médias baixas, para os ensinar a obterem uma média de 10 valores reais, para despoi caso quisesem serem guiados para as escolas normais depois de consolidados e verificada que têm uma autonomia, de confiança, desculpando mas é como num jogo de futebol, não queremos jogar com um jogador no solo, queremos vencer com todos de pé. é de criança que se guia que se encaminha, e não deixálas no solo, a sofrer sem ter adetos a gritar qeu está um jogador no solo a sofrer, pq este sofrimento na maioria das vezes expressas ca pior maneira. Esta é que é a verdadeira competição, q não é competição, está acima da competição, é dedicação pura, a verdade, o que tem qeu existir por base de primário, o que se ganhar que venha, q seja muito dinheiro, ms dividendos, ms o objetivo não é esse, é o amr, o unir, o fazer Portugal numa linha.
    Sinto por estes professores, sem coléginhos com freiras viçosas, poucos sabem o q vale um professor q vai a estes locais, não há racismo, vamos à Cova da Moura, todas as pessoas que queiram pertencer a este retangulo são portuguesas, temos tudo tão perto diferenças de pessoas,clima, temos uma capital lindissima um Porto fascinante, e cidades com história, temos tudo do melhor para sem perdermos o fado, os cravos, somos descobridores, curiosos, portanto temos uma cultura de descoberta, o que é necessário na ciência.
    Há jovens com grande valor que são procurados no estrangeiro, mas por um pouco mais não querem saír de Portugal, é este ninho, pq os estamos a deixar saír e fixarem-se noutros países, podem ir para investigar mas voltar a este Portugal.
    Antes da competição, temos que dar mais q a competir pelo ganho, mas sim pelo gosto e então depois entra-se n concorrência com os ensino internacional. Portugal vai-se tornar o ponto central do globo de ensino,de pontos de convergência, com uma ciência virada pra o mar, vamos continuar descobridores, esse é o nosso espírito, do difici de tranpor, e hoje não é em caravelas mas sim na ciência, na união. Até o Obama referiu que um português começou com um carrinho de mão e sem saber uma palavra de inglês, este espírito é português, é nosso. Vamos nos unir, vamos ser Portugal para muito mais pessoas q se querem integrar neste conjunto de riquezas próprias, pois o mal está em Portugal ser só para 200 mil, e é o no ensino que se sente esse egoísmo e seletismo, mas é aqui que reside onde nos temos q unir, e estes Professores tocaram no que tem-se qeu fazer para se unir Portugal, e desculpem-me, desculpem-me, essa gandulagem de políticos que querem é os OVOS DE OURO, A REFORMA MAIS CEDO QUE OS OUTORS, retiram-se logo da concrrência desigual, e esquecem o que tem que ser continuo, o apoio às crianças, aos adolescentes, na idade própria, não olharam, foram em primeiro à novas oportunidades, q novas oportunidades, pois eles também se serviram das novas oportunidades, e envenenaram as pessoas para ficarem contagiadas como eles de modo a não lhes deitarem à cara a falácia, e não amparam quem mais precisa na idade própria, custa ensinar adolescente não custa, um conjunto de oportunistas a entragar o 12.º anos em 6 meses, o desrespeito pelo sofrimetno dos adolescentes, verbas têm q ser em primeiro lugar para os adolescentes, estes professores a que refiro agarraram no dificil, este é o exemplo a seguir, Um governo deveria se preocupar não em dar subsídios aos pais mas sim em primeiro pagar creches aos pais de dia e noite para qeu podessem estar descansados a produzir para pagarem impostos para pagar aos professores e ducadores enquanto cuidavam e deucavam os seus filhos, assim de certeza que a natalidade não diminuiria.
    Fica o apelo, todos os alunos que obtenham notas inferiores a 10 valores, pelo menos a matématica e português, não masi de cinco alunos por porfessor, ficam sujeitos a explicações pelas particualres até obterem pelo menos o real 10 valores.
    Destes professores gosto, são estes os verdadeiros professores, destes profesores estarei ao lado, é o exemplo de começar Portugal unido para o Mundo, estes professores estão acima da competição, estes professroes irradiam o que é o amar a ensinar, para eles não é dificil. Termino,não deixo de dar o valor a um professor que na Universidade que também se dedica com esforço, mas está a ensinar já alunos encaminhados e já têm que saber o q querem, mas adolescentes em risco é muito mais dificil, estes não são contabilizados nos rankins…


  4. É verdade que o excesso de licenciaturas sem utilidade laboral têm, há muitos anos, forçado muita pobre gente a ir “dar aulas” enfim… serem professores. Também é verdade que só vai dar aulas para o ensino privado quem NÃO CONSEGUIU VAGA para dar aulas no público.
    Por isso, quem está por dentro, sabe que no privado estão os professores menos bons (…), os de segunda escolha.
    Os melhores resultados dos colégios só são justificados pelas condições especiais que pesam muito: Condição sociocultural dos pais, programas pedagógicos optimizados, ambientes escolares estaveis e, o mais importante na maioria dos casos, provas de ingresso de alunos que excluem logo à partida os piores alunos. O resto … é negócio dos do costume … Maçonaria e nos religiosos Opus Dei.


  5. Quem consegue defender que dados que mostram que apos trinta anos de gloriosa defesa da escola publica as classificações que eram dominadas nos primeiros 50 lugares pelas escolas publicas se inverteram tão flagrantemente está no ministro de agora ou tem muita fé na sr. fatima ou acha que a logica deve ser cozida como as batatas.
    Claro que a culpa tambem foi dos ministros, pricipalmente dos que deviam tratar da politica de educação e foram apenas os negociadores com os sindicatos. Capangas vergonhosos que arruinaram o futuro de milhares de jovens.

  6. Pedro says:

    Os pais do privado pagam os impostos que sustentam o público. Os subsídios destinam-se a compensar um pouco esta situação.

    Venha o dinheiro de volta ou aumentem os subsídios para compensar na totalidade. Ladrões, mas o que seria de esperar de uma ideologia falsa criada na Wall Street dos Illuminatis?

    “Wall Street and the Bolshevik Revolution”: http://www.voltairenet.org/IMG/pdf/Sutton_Wall_Street_and_the_bolshevik_revolution-5.pdf

    Entrevista: https://www.youtube.com/watch?v=7GhPsJCXPqY

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.