Momento ?????? do fim-de-semana

«Embora Camões diga ser “a última flor da Lácio“, na verdade [a língua portuguesa] era um dialeto do espanhol (…)»
José Sarney

Comments

  1. Ramos says:

    Eu não diria dialeto do espanhol, mas do galego. O espanhol não existia. Nós, os do Porto, sentimo-nos , irmãos dos galegos.


  2. Ramos – dialeto do galaico-duriense ?? – acho que sim – e o que é o Mirandês que é a 2ª língua oficial ?? de onde deriva ?? E brasilês o que é – No Nordeste ainda há português antigo – ou havia e não é brasilês – durante quanto tempo e em que locais da península se falava a “mesma língua” – desde quando e até quando ?? O crioulo, pelo menos de Cabo Vrede e atnto quanto li em 1965 pois que por aqui nada se escrevia – deriva de que dialectos das Costa da guiné crivados pelo português e com que intenção – foi-me dito em 1965 que era “língua de resistência” embora cada língua quando já vivi, era diferente do interior para o litoral de cada ilha e todos diferentes dado o isolamento e incomunicabilidade (transportes) de ila a ilha – aliás como a fisionomia dos caboverdianos tanto de cabêlo loiro mais ou menos encarapinhado e de olhos verdes e azuis e castanho claro e escuro de acordo com os cruzamentos com franceses e todos os vários povos invasores durante alguns séculos

Trackbacks


  1. […] não foi Eanes (nem Mandela, nem Voltaire, nem Camões, nem Sarney). Também não foi o Damon. Sim, foi o Zinn. Exactamente: o Zinn (p. 405). O Howard […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.