Fundamentalismos católicos apostólicos romanos

Hopkins

(Imagem: Anthony Hopkins, padre exorcista em O Ritual)

Em Valladolid, uma adolescente de 16 anos com problemas de ansiedade e transtorno alimentar foi submetida a 13 exorcismos a pedido dos próprios pais, pedido rapidamente atendido pelo arcebispado que remeteu o caso para o único exorcista autorizado a levar a cabo estes estranhos e anedóticos rituais. Pelo caminho, a jovem submetida a esta prática paranóica e absurda tentou o suicídio. Várias vezes.

Conta-nos o jornal I que o caso foi denunciado por familiares ao Tribunal de Instrução de Burgos. Às autoridades, a jovem terá descrito sintomas de anorexia, possivelmente decorrentes de um jejum de penitência auto-imposto. Do jejum ao corte de pulsos e à auto-flagelação instigada pela própria mãe, a mesma mãe que, segundo as suas próprias declarações à comissão de menores terá incitado a filha a atirar-se pela janela, conselho que a filha seguiu, este caso terminou nas mãos do clero local que terá concluído tratar-se de uma evidente possessão demoníaca, submetendo a jovem a 13 sessões de exorcismo e a um “tratamento” de doses diárias de oração. Existem relatos de uma situação em que, tendo-se recusado a rezar, a menina terá sido amarrada, pés e mãos, e silenciada com um fralda na boca.

O arcebispado pronunciou-se pela primeira vez sobre o caso no início deste mês (o início do caso remonta a 2012), confirmando a autorização dos rituais levados a cabo por um exorcista “legitimamente nomeado” pelo bispo, mas demarcando-se de responsabilidades relativamente às tentativas de suicídio da jovem. O exorcismo parece de resto ser uma prática em franco crescimento em Espanha se considerarmos que a igreja espanhola está a apostar na formação de mais exorcistas. Alucinações e fundamentalismos absurdos à parte, é chocante perceber que o Vaticano ainda não se demarcou destas práticas lunáticas no século XXI. Como se tudo isto não fosse já suficientemente absurdo, o exorcista ainda teve a irresponsabilidade e a arrogância de sugerir que a jovem parasse com a medicação de foro psiquiátrico prescrita pelo especialista que a acompanhava. Inenarrável.

Num momento em que o mundo ocidental se mantém em alerta permanente com o crescimento do fundamentalismo islâmico e de novos fenómenos de radicalismo com o Estado Islâmico à cabeça, este caso revela-nos que, tal como no mundo islâmico, também no mundo católico apostólico romano a estupidez, a demência e a paranóia estão vivas e respiram alguma saúde. Medo.

 

Comments


  1. A igreja católica, com as suas superstições anacrónicas e absurdas, devia ser julgada por crimes contra a Humanidade, nomeadamente por crimes contra a inteligência humana.
    São responsáveis pela estupidificação de milhões de palermas que se deixam arrastar pelos bandalhos dos padres.
    Não há desculpa para tanta estupidez!


    • Tendo em conta que jmc não se deixa arrastar pelos bandalhos dos padres, fica-me a dúvida, palerma e estupido confessso, quem será responsável pela estupidificação e palermice do jmc.


      • Posso ter muitos defeitos mas esse de acreditar em superstições imbecis e ilógicas, não tenho de certeza.
        E a si, “xico” ninguém o estupidificou, deduzo pelo seu comentário. Deve ser um “self-made-asshole”….


        • Caro jmc, você não tem defeito nenhum.


          • Dar importância a palermas, de facto, é defeito que não tenho. Tenho outros. Espero que você também tenha, caso contrário deve ser um robot….


  2. Quanto ao post em si, João Mendes, e depois de ler atentamente a notícia do jornal onde se fala das relações difíceis entre uma mãe e uma filha e quase nada sobre a causa efeito entre os exorcismos e a situação da filha, e por isso insuficiente para fazer juízos de valor sobre o que quer que seja, e sem negar que há muitos fundamentalistas dentro da Igreja católica, resta-me concluir que este seu post é um bocadinho fundamentalista e precipitado a tirar conclusões.


  3. Pronto, não se zanguem os dois.
    Agora algo curioso. Há um padre em Portugal que faz exorcismos e garante que em casos mais graves usa cintas de prender bagagens para prender as pessoas a uma marquesa.

    http://senzapagare.blogspot.pt/2014/07/entrevista-do-pe-duarte-sousa-lara.html


  4. O post é de louvar por aflorar um assunto que merecia um debate(eu não falei em ofender, mas debate) sobre as crenças e muitos aspectos que podem levar a abusos e até crimes.
    A ignorância leva a que se procure ajuda quando não se conhece o caminho nem se vê saída:
    Por não percebermos como chegamos aqui não quer dizer que devemos seguir as regras razoáveis há dois mil ou 1500 anos.
    Os fundamentalismos não são cultura são selvajaria -aqui,na India, no Sudão, na China, na Siria, nos EUA…
    As crianças deviam ser proibidas de ser “evangelizadas” antes de terem entendimento de decidir(16 anos?)
    Os credos devem ser livre escolha universal,e um direito absoluto em qualquer sitio no mundo- nestes incluo o de não ter religião, como eu.
    O silencio sobre a historia das religiões e dos costumes a volta dos credos, ainda não entendi porque persiste tanto, já que ajudava muitos a entender as razões para certas “regras” (não comer carne de porco) que baseadas nas mortes que aconteciam não têm nada de religioso, mas deixaram de ser lógicas hoje.
    Chamar cultura/religião á barbárie é um anacronismo que devia ser combatido por todos
    No exemplo apresentado do espanhol qualquer medico nutricionista explicava dos desequilíbrios psíquicos(e físicos claro) que um alimentação deficiente em nutrientes provoca – daí vermos com frequência os vegies.a terem crenças e manias muito estranhas para nós.Ir combater isso com exorcismos é de louco. O exorcismo explicado como uma indução artificial duma transe não tem nada de religioso e qualquer neurologista o explica.

Trackbacks


  1. […] Fundamentalismos católicos apostólicos romanos. […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.