Cu-é-cus em Gaia


Vai gira a situação em torno da construção no espaço que, nos últimos anos, recebeu o Marés Vivas. E, como muitas vezes acontece, estamos a perceber as motivações da Quercus que, como muitas outras entidades, desenvolve a sua actividade, numa área nobre da sociedade mas, respeitando muito pouco a nobreza de procedimentos.

A Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, respondendo à Quercus, publicou uma série de documentos que mostram de forma muito clara o que foi a relação entre a autarquia e a Quercus nos tempos de outros senhores.

cuecus1

Não conheço as intenções da Quercus, mas não me custa nada subscrever a tese do Presidente: eles só se estão a mexer porque deixaram de receber o que antes recebiam. Para os lisboetas que só conhecem o Terreiro do Paço, diria que a diferença entre o espaço do ano passado e o deste ano é a que vai do Rio Tejo ao Arco da Rua Augusta. Gostaria antes de conhecer a posição da Associação sobre o anterior espaço do Marés Vivas, nomeadamente sobre a dimensão do que lá vai ser construído.

Percebe-se, também, o interesse que o Marés Vivas desperta noutras realidades, até metropolitanas. É o grande festival do Norte e é por isso apetecível. Mas, não adianta dar uma de Bruno de Carvalho. Se querem conquistar o Marés, apareçam, venham a jogo e assumam. Querer, dar uns milhões aos adversários do SLB não será uma boa prática, até por ser pouco eficiente. Portanto, minha gente, vamos lá comprar um bilhete para o Marés que este ano vai ser fabuloso!

Comments

  1. Konigvs says:

    Curioso que nem sabia do que se passava, até por estes dias passar de relance numa notícia do The Guardian e lá vinham a falar do Marés Vivas e do Elton Jonh e dos protestos da QUERCUS. E Ora esperem la…

    Cá está: “The 150-acre reserve, which is protected under Portuguese law, is home to more than 220 species of birds, including eagles, kingfishers and cormorants, and is one of Europe’s most popular sites for birdwatching.”

    ”More than your business and your art, please consider the environmental importance of the area. The reserve is very delicate, special and vulnerable… the area is very special to some species of birds for stopover and for nesting,”

    http://www.theguardian.com/music/2016/apr/29/campaigners-urge-elton-john-to-boycott-music-festival-in-portugal

  2. Nightwish says:

    Para ganhar ao SLB, só retirando o bolor bafiento que se vai multiplicando e criando raízes na liga, no conselho de arbitragem, no conselho de disciplina, nas academias dos árbitros, etc. O chamado fazer as coisas por outro lado, como uma certa escuta, bem como um árbitro ou outro, revelaram.
    Quanto ao Marés, são gostos, mas prefiro o Vagos Open Air. \oo/

  3. Fernando Lacerda says:

    João Paulo, as questões com a Quercus, serão resolvidas entre eles, Câmara e Quercus, ou com os tribunais, se for caso disso. Resumir a contestação do movimento público ao novo local escolhido para o Marés Vivas a esta trica, é confundir e esconder o essencial do problema: Destruição de habitat de espécies protegidas. Todos sabemos que há outros locais, em Gaia, para a realização do festival.
    Abraço

    • Meu caro, admito que sim. Estou longe, muito, de ser um especialista nesta área. De qualquer modo, parecem-me inquestionável três coisas: a) A Quercus nunca colocou nada em casa antes. B) Todos os estudos indicam que não há diferenças entre o espaço anterior e o novo. Sabemos todos que a distância é é muito pequena. C) O Marés Vivas tem que continuar em Gaia e, a ser em Gaia, tem que ter um enquadramento singular…

      • Konigvs says:

        Isso não é de todo verdade. Não é de agora que as associações ambientais se insurgem constantemente, contra determinados eventos, seja do lado de Gaia ou até do lado do Porto, em defesa da reserva do estuário do Douro, que diga-se tem estatuto de área protegida, e como tal deveria ser a própria câmara de Gaia a defendê-la e não pelo contrário, a permitir que se cometam atrocidade à dita área protegida. Área protegida significa isso mesmo, que se deve proteger sempre.

        Só a título de exemplo, relembro a não autorização do anterior executivo da câmara de Gaia liderado por Menezes, que não autorizou o traçado da Red Bull Air Race fosse a jusante da Ponte da Arrábida, precisamente por ameaçar a mesma reserva do estuário do Douro. E acho que é escusado comparamos a importância para Gaia, de uma prova mundial, vista por milhões de pessoas em todo o mundo, e que levou às margens do rio Douro centenas de milhares de pessoas, com mais um festivalzito, como tantos outros que se fazem por esse país a fora.

        (E eu estou muito à vontade pois nem sou votante de partidos de direita nem sou eleitor em Gaia. Mas se queremos ser imparciais temos de dizer a verdade)

      • Fernando Lacerda says:

        Continua a querer misturar e confundir as coisas. Espero que não propositado. 1. Que tem a Quercus a ver com o movimento de protesto? 2. Não há estudos nenhuns, o que há são opiniões à distância. 3. 900 metros entre os 2 locais é uma distância considerável. 4. Gaia tem outros locais, com melhores condições logísticas.

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Alterar )

Connecting to %s