Impunidade (a)provada

A Procuradoria-Geral da República do Brasil acusa Michel Temer de ter dirigido uma organização criminosa e de obstruir a Justiça. Mas, mais uma vez, o Presidente da República brasileiro escapa a processo de investigação por parte do Supremo Tribunal Federal. É essa a vontade dos representantes do povo brasileiro no parlamento. Naturalmente, Temer alega que é “vítima de conspiração”.

É a segunda vez que isto acontece, mas ainda não dá para acreditar. A minha crença na humanidade e na sua ordem esvai-se de dia para dia.

Comments


  1. Neste particular estamos uns pontos acima do Brasil, como prova o caso Sócrates e BPN por exemplo.

    Rui Silva

  2. Rui Naldinho says:

    Por aqueles lados também há uma Geringonça, mas de corruptos.
    Ou será mais uma centopeia? Ou um polvo, como dizem os italianos?
    Façam as vossas escolhas.
    Não nos podemos esquecer, que se Temer cair, tombam com ele a maioria dos deputados no parlamento. É o velho mote:
    – Agarra-me se não eu caio!
    Ou talvez:
    – Eu vou, mas não vou sozinho!
    E assim se caminha para o abismo. Só que como este é de outra cor, não se fala tanto.
    Por outro lado, a Justiça brasileira, muito ligada às elites, ainda que não se possa associar a corrupção às decisões judiciais emanadas pelos Tribunais, não sabem como sair disto.
    Se fazem cair Temer levam de novo com o PT. E isso eles não querem. Portanto, fingem não ver. Aparecerá à direita, um impoluto que salve a pátria, pensarão eles.
    Mas, ó Ana Moreno, na América do Sul isto é o “pão nosso de cada dia”.

Deixar uma resposta