A traição de Jean-Claude Juncker

“Quero aqui homenagear o Governo de António [Costa] por ter endireitado e restaurado a situação das finanças públicas portuguesas”, disse Juncker em declarações aos jornalistas à chegada a Belém, onde teve a seu lado Marcelo Rebelo de Sousa.

Na terça-feira segue para Coimbra na companhia do primeiro-ministro. “Iremos falar do Orçamento [do Estado] português que não coloca grandes problemas”

[via Expresso]

Belzebus. Belzebus everywhere…

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    Eu avisei o António Costa para não lhe dar nenhuma garrafa de Vinho do Porto, antes das despedidas, no aeroporto.
    Mas o “poucochinho” é danado prá brincadeira, e gosta de me contrariar.
    Não é que o gajo bebeu aquilo tudo num ápice.
    Depois, diz estas coisas!

  2. JgMenos says:

    Problema nenhum!
    Só potencia a reserva de mão-de-obra do Luxemburgo, bem mais interessante que islamitas.

    • Rui Naldinho says:

      Então!
      Emigrar não é uma oportunidade?
      Vá lá Menos, não sejas piegas!

    • ZE LOPES says:

      Ahhhhh! Olha o Menos a ser irónico! Ah! Ah! AhAhAhAhAh! O Menos irónico é tão cómico! Ai que não posso mais! Ai! Ah! Ai! Ah! Ahhhh!

  3. Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

    ” (…) disse Juncker em declarações aos jornalistas à chegada a Belém, onde teve a seu lado Marcelo Rebelo de Sousa (…)”

    E Marcelo Rebelo de Sousa que estava ao lado de Junckers não disse nada?
    Ou faltava a câmara e o microfone para ele “bitaitar”?

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.