Singapura

Rui Bebiano/Facebook

O título deste post parece o de um thriller, mas refiro-me, é claro, ao lugar da cimeira EUA-Coreia do Norte sobre desnuclearização. O dispositivo cénico é medonho e pesado, mais concebido para amedrontar que para pacificar. Os resultados serão coincidentes: uma floresta de enganos que servirá a ambos os líderes para limpar um pouco da má imagem internacional que oferecem, enquanto realinham peões na sua pequena guerra fria. A generalidade dos média colabora no logro ao espalhar uma equívoca mensagem de esperança e de mudança a propósito do acontecimento. A ocorrer, ela será mais aparente que real e traduzirá mais um equilíbrio da força bruta militar que a construção de um ambiente de colaboração e entendimento no interesse dos povos da região. Não é preciso ser-se adivinho para escrever isto.

Foto: Saul Loeb/AFP

 

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    “Não é preciso ser-se adivinho para escrever isto.”

    Pois não. Basta um bocadinho de lucidez, como a sua.
    Mas a maioria dos “palpitadores do regime” não enxerga o óbvio.

  2. Bento Caeiro says:

    O CIRCO – PALHAÇO RICO E PALHAÇO POBRE

    Tal como na guerra: o importante é neutralizar o adversário – sendo, mais importante fazê-lo pela força que se aparenta ter, do que aquela que efectivamente se tem. Assim fazendo, atingem-se os objectivos salvaguardando os exércitos e poupam-se recursos. (Sun Tzu)

    Ora, estes dois, como grandes manobradores e campeões do engano e da farsa, a forma que congeminaram para se neutralizarem foi conformarem-se e confortarem-se mutuamente; dando a entender, para o exterior – aqueles para quem foi montado o circo – que fizeram algo, mesmo nada fazendo.

    Mas o importante é os outros – mesmo sabendo que eles nada fizeram – façam de conta que acreditam que eles fizeram alguma coisa – quando eles próprios sabem que não fizeram; e, fundamentalmente, que se fale e divulgue o que fizeram, nada fazendo.

    No final a princesa casou com o príncipe e vão viver felizes, até à próxima crise. Perdão, até que seja necessário montar o próximo espectáculo de circo.


  3. Muito bem, Bento Caeiro, gostei de ler !

    “—Mas o importante é que os outros – mesmo sabendo que eles nada fizeram – façam de conta que acreditam que eles fizeram alguma coisa – quando eles próprios sabem que não fizeram; e, fundamentalmente, que se fale e divulgue o que fizeram, nada fazendo .
    No final a princesa casou com o príncipe e vão viver felizes, até à próxima crise …”

  4. A.Silva says:

    E no entanto ela move-se!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.