Dos grunhos…

40 grunhos não representam o universo das claques, muito menos os milhões de adeptos que apaixonadamente vivem o futebol. 1 grunho também não servirá como amostra representativa num universo de 13 mil profissionais. Mas a sociedade não deve permitir que animais selvagens andem por aí à solta atacando pessoas, há que colocar as bestas numa jaula… Agressões e actos de violência não devem ter atenuantes ou justificações.

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    Sejam 40 grunhos em Alcochete, seja 1 grunho à porta dum Hospital ou na paragem do autocarro, o problema é sempre o mesmo. Alguém os instigou. Quero com isto dizer, que se o grunho é um “animal” perigoso, não menos serão os “Goebbels” desses ditos grunhos. Aliás, são muito piores, pois manipulam-lhes as mentes a seu belo prazer.
    As respostas das democracias a esses fenómenos, deve ser combater judicialmente os grunhos, e “politicamente” os Goebbels.

    • Bento Caeiro says:

      Exceptua-se, como é óbvio, se o grunho ou grunha for cigano ou negro:
      Porque, como já sabemos e o ideário Kalergi o exige, o incitamento contra minorias religiosas e raciais terá de ser travado e punido, mas não as acções destas minorias contra a maioria: seja nas urgências do hospital ou na fila para o autocarro;
      Porque, também já sabemos – também, segundo os seguidores dos princípios de Kalergi – que, em toda a Europa, a maioria pode ser ofendida e humilhada impunemente, porém, as minorias gozam da protecção de certa gente e, cada vez mais, da lei, que as livram de qualquer crítica pública.

      Viva o admirável Mundo Novo em que a penalização de um agente que trava um roubo matando um dos ladrões, cigano, é manifestamente oposta à do agente que quase mata à cacetada um cidadão, branco, em frente ao filho deste.

      • Paulo Marques says:

        Que puta de disparate. O que há é uma penalização maior porque a aceitação social dos vários tipos de agressão é incomparável, ou não fosse habitual ser cometida pelas próprias autoridades.

        • Bento Caeiro Godinho says:

          Já vi um quadro sobre a evolução, em que o homo sapiens sapiens, posto perante um determinado espécime, se arrepende e decide voltar para trás na evolução.
          Tal como ele, deparando-me com certas criaturas e com o tipo de raciocínio que produzem, também eu já senti esse desejo muitas vezes; este é mais um desses casos.

          • ZE LOPES says:

            Sabe que, por vezes, a natureza torna os desejos realidade. V. Exa. já regrediu na evolução, só que não notou. E não notou por isso mesmo.

          • bento caeiro says:

            Estar em certos tipos de ambientes e lidar com certo tipo de gente tem os seus inconvenientes, mas também tem as suas vantagens.

            Entre as vantagens, está a possibilidade de vir-mos a tomar conhecimento de certos espécimes que, pela sua natureza, vai ser preciso evitar.

            Uma outra vantagem, é verificarmos que, pela nossa caminhada, avançámos tanto que temos pela nossa frente os mais atrasados. Quando tal acontece – não sendo idiotas – há que retroceder e avançar por outro caminho; caso contrário, o atrasado pode ficar a pensar que, na corrida, até está mais avançado.

  2. nuno says:

    Não representam? Mas alguém asseado vai para uma claque conviver com esta gente? Eu sou um tipo porreiro e educado que gosta de cantar e apoiar a sua equipa e uma vez por semana gosto de conviver com homicidas, traficantes de droga e outros criminosos.

  3. ZE LOPES says:

    Espero bem que V. Exa, Sr. Almeida, não esteja a querer insinuar que competeria ao Estado enjaular estas bestas. Estaria a traír irremediavelmente os ideais liberteiristas. Estava mais à espera que viesse aqui defender a criação de “jaulas”, perdão, prisões pela iniciativa privada, bem como a privatização das polícias (bem como dos Fuzileiros, Comandos, Páras, Rangers e outros sorvedouros dos impostos dos cidadãos).

    A privatização do sistema repressivo permitiria que qualquer cidadão, pagando o serviço, mandasse enjaular quem não merecesse viver em sociedade. Por minha parte, já tenho uma lista de merecedores da jaula para quando o sistema for instaurado. Oxalá tenha meios para tanto. E, já agora, esperando que não esteja na lista de ninguém. Seria lixado!

    • Bento Caeiro says:

      Não há melhor idéia para o mal que a apresentada por um idiota: como vimos com Hitler, Staline, Netanyahu e, então a última de um nacional, de seu nome Cavaco, que defende que se parem de fazer autoestradas e se façam filhos.

      Também, como é óbvio, as idéias de todos os que confundem solidariedade com a entrada livre nos territórios nacionais de outros que a eles não pertencem que, por esta forma, mais não fazem que contribuir para a destruição das nações.

      Ainda, os que, pela desculpa, defendem o comportamento dos membros das minorias, fazendo que estes se sintam impunes; tornando-se, assim, grunhos legais, defendidos por certa opinião pública de bandos de bonzinhos e de idiotas úteis – que, mais tarde, terão de ser defendidos deles próprios, pelas idéias que defenderam.

      • ZE LOPES says:

        Cuidado com essa tasca! A aguardente não presta!Foi o que me disse um vizinho. Depois não diga que não avisei!

        • Bento Caeiro Godinho says:

          ZE Carioca, hoje foi feijoada, mas como os ventos estavam contrários, as tuas ventas não a detectaram. Para a próxima terás mais sorte, isto, se não soltarmos os cães. No fim bebeu-se medronho caseiro, de muita qualidade, da Serra do Caldeirão.

          Ps. Julgo que te vi numa filmagem: ias no rebanho de grunhos que costuma ser conduzido pela polícia e pelos seus cães para os estádios do pontapé-na-bola.

          • ZE LOPES says:

            Nunca dei confiança a V. Exa para me tratar por tu! Já agora: eu numa claque? Ah! Ah! Ah! AhAhAh! Desde que um gajo me acusou aqui de ser agente da Mossad que não me ria tanto! Ah! E também de um parvo que me colocou como Professor de matemática! Ah! Ah! Ah!Ahhhhh!

          • ZE LOPES says:

            Presumi que a resposta a mim se destinava. Seria? Quanto ao carioca, fica para V. Exa. Pode ser que seja útil para a ressaca lá do medronho. Volto a avisá-lo que essa tasca não é de confiança. O medronho está marado! Nota-se pelos sucessivos comentários de V. Exa.

          • Bento Caeiro Godinho says:

            O respeitinho é muito bonito, não é ZE Carioca?
            Não há gente com certa mentalidade – do Portugal dos Pequeninos, como são, por exemplo, os professores -que não o invoque.
            Contudo, há sempre um problema, que é o respeito a que cada um acha que tem direito e aquele que efectivamente merece.
            É o mesmo problema dos professores, da distância que vai entre aquilo que querem e o que efectivamente merecem.

          • ZE LOPES says:

            Continue que vai longe! Ainda vai chegar a Bastelário da Ordem dos Trollas!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.