Pelos vistos, Eduardo Vítor Rodrigues, presidente da CM de Gaia, acha que se quiser pode escrever no Aventar. Não pode.

Disse quem lá esteve, e pelos vistos terá mesmo sido gravado, que durante o julgamento de Eduardo Vítor Rodrigues por difamação, o autarca de Gaia terá referido que, caso quisesse, poderia escrever no Aventar. Não sei se o militante do PS terá confundido o Aventar com o Acção Socialista, mas este blogue, portuguesmente falando, não é o Largo do Rato nem a casa da mãe Joana.

Tais declarações, que não passam de fake news com um toque nada subtil de fanfarronice, são um completo disparate. Eduardo Vítor Rodrigues NÃO pode escrever no Aventar. Não pode e não lhe adianta nada querer. E não pode por uma razão muito simples e concreta: porque eu não quero, e o meu querer, ao contrário do querer do autarca de Gaia, tem impacto directo na gestão do Aventar.

Não, caro leitor, longe de mim querer armar-me em tiranete da blogosfera. O Aventar é uma democracia, não é uma câmara municipal. Porém, como qualquer autor deste espaço, assiste-me o direito de vetar qualquer nome que seja proposto para autor deste blogue – sendo que o veto é a excepção no Aventar. E fica aqui registado, para memória futura, que enquanto eu aqui andar, Eduardo Vítor Rodrigues nunca será autor neste espaço, permanente ou convidado. Nem que a medalha com que condecorou Marco António Costa tussa.

E para que não restem dúvidas, apesar de, obviamente, não ter que justificar a minha decisão, termino com o principal motivo pelo qual vetaria imediatamente a participação de Eduardo Vítor Rodrigues no Aventar: porque não quero partilhar esta casa com um político que chegou à presidência da CM de Gaia com um discurso quase revolucionário, afrontando o poder instalado e denunciando a gestão danosa que destruiu as contas públicas da autarquia, para de seguida condecorar um dos principais obreiros da tragédia financeira, que Eduardo Vítor Rodrigues tanto atacou e que chegou mesmo a processar. Não quero nem tenho que conviver com políticos desta categoria. Outros motivos poderiam aqui ser elencados, mas este é, a meu ver, mais do que suficiente para não querer cá o senhor presidente da CM de Gaia. Por muito que ele queira.

Comments

  1. António Fernando Nabais says:

    Coitado do senhor, o que o poder faz às pessoas! Querer não é poder. Aqui, no Aventar, de vez em quando, juntamo-nos para almoçar ou jantar e há questões de higiene a ter em conta. O Senhor Presidente confundiu este blogue com a Avenida da República. Pronto, já passou!

  2. Pedro Sousa says:

    Sem dúvida nenhuma que essa condecoração foi inacreditável.
    Condecorar tal pessoa, ainda por cima depois de tanto a criticar é de uma hipocrisia tamanha o que só prova que a diferença entre o PSD e o PS é apenas que um tem a letra D a mais que o outro no nome.

  3. Luís Lavoura says:

    O Aventar é uma democracia, não é uma câmara municipal. Porém, como qualquer autor deste espaço, assiste-me o direito de vetar qualquer nome que seja proposto para autor deste blogue – sendo que o veto é a excepção no Aventar.

    E quem é que propõe nomes para autores deste blogue? São auto-propostos? Ou são propostos pelos atuais autores? Se eu quiser ser autor, a minha proposta tem sequer o direito de ser considerada, ou será automaticamente excluída?

    • António Fernando Nabais says:

      Os nomes são propostos por pessoas. Se quiser ser autor, a sua proposta poderá ser considerada e poderá ser automaticamente excluída. A vida é assim mesmo: misteriosa.

  4. jpfigueiredo says:

    EVR pode, EVR quer mas, no Aventar, EVR não manda. Para escrever no Aventar é preciso estaleca. E EVR não passa do nível do estalo. EVR pode, imagine-se, condecorar um MAC, EVR quer, em modo parolo, promover a descaracterização do centro histórico de Gaia, mas EVR não manda na dignidade de nenhum aventador, ainda que se ufane farronqueiro a espezinhar o seu bom nome e a sua reputação. Por tudo isto, nunca escreverá no Aventar. Não pode, mesmo que quisesse. Porque aqui não manda.

  5. Ana Moreno says:

    Vetado, Sr. EVR.


  6. Esta Gente / Essa Gente

    O que é preciso é gente
    gente com dente
    gente que tenha dente
    que mostre o dente

    Gente que não seja decente
    nem docente
    nem docemente
    nem delicodocemente

    Gente com mente
    com sã mente
    que sinta que não mente
    que sinta o dente são e a mente

    Gente que enterre o dente
    que fira de unha e dente
    e mostre o dente potente
    ao prepotente

    O que é preciso é gente
    que atire fora com essa gente

    Essa gente dominada por essa gente
    não sente como a gente
    não quer
    ser dominada por gente

    NENHUMA!

    A gente
    só é dominada por essa gente
    quando não sabe que é gente

    Ana Hatherly, in “Um Calculador de Improbabilidades”

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.