Não há ortografia

Heute werden die nationalen Bevölkerungen von politisch unbeherrschten funktionalen Imperativen eines weltweiten, von unregulierten Finanzmärkten angetriebenen Kapitalismus überwältigt. Darauf kann der erschrockene Rückzug hinter nationale Grenzen nicht die richtige Antwort sein.

Jürgen Habermas

Vou corrigir este erro meu.

— Rodolfo Reis, 9/9/2018

Ich glaub, es hackt.

Judith Holofernes (Kölner Treff, WDR)

***

O presidente da Câmara de Pedrógão Grande disse: “não há irregularidades”. Li isto em notícia do Correio da Manhã, enviada por leitor extremamente atento, a quem agradeço a amabilidade. Graças a esta notícia e a excertos de um comunicado da Câmara Municipal de Pedrógão Grande, confirma-se que, com a adopção do Acordo Ortográfico de 1990, não há ortografia.

Há casas afetadas e casas afectadas.

subdirector da directoria e há inspetores.

Há «se apuram serenamente os fatos e se repõe a verdade objectiva».

 

De facto, há de tudo, excepto ortografia.

Já que estamos a ler o Correio da Manhã. convém recordar as palavras de Octávio Ribeiro, em Março de 2009:

A nova ortografia só se estenderá a todos os textos do jornal [Correio da Manhã], respectiva primeira página e manchete, caro Leitor, quando já ninguém estranhar a palavra “facto” escrita sem cê.

Adiante.

No sítio do costume, infelizmente, só encontrei uma novidade:  o Plano Nacional de Controlo dos Materiais em Contato.

Sim, em Contato.

Efectivamente, não há ortografia.

***

 

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.