E tu, camarada, apoias a fome e a opressão na Venezuela?

Na Venezuela, onde a este javardo inchado nada falta, incluindo a famosa “empanada” escondida debaixo da mesa, dados da FAO indicam que existem 3,7 milhões de pessoas subalimentadas, o que equivale a mais de 10% da população daquele país.

Sim, existem na crise venezuelana outras variáveis que o mainstream tende a abafar. Mas é inaceitável haver quem à esquerda se bata por um regime que escolheu oprimir, como se o que se passa na Venezuela fosse assim tão diferente daquilo a que assistimos nos reinos totalitários do Médio Oriente.

Não é.

Comments

  1. A.Silva says:

    O que é inadmissível é que haja idiotas que se dizem de esquerda que omitam que o povo Venezuelano está a ser vitima de uma guerra impiedosa decretada pelo capital. São estes idiotas e preconceituosos de esquerda que ajudam as trampas e bolsonaros deste mundo a tomarem o poder.

    Nojo!

    • Manuel Silva says:

      Senhor A. Silva:
      Nojo e idiotia é o senhor e a sua «igreja» apoiarem acriticamente todos os regimes altamente corruptos, desde que se auto-classifiquem de Esquerda: A começar no cleptocrático de Angola, do Santos e camarilha; passando pelo do lunático da Coreia do Norte; pelo do não menos lunático da Venezuela (o tal que, depois de se ajoelhar aos pés do ditador chinês e pedinchar-lhe uns dólares, veio jantar no mais fino e caro restaurante de Istambul: coerência não falta a estes revolucionários de pacotilha); terminando no anacrónico dinossáurico regime de Cuba (este, agora, até está a privatizar e a conceder outras benesses capitalistas aos famélicos cubanos, que têm aguentado a «famiglia» Castro durante 60 anos.
      Alguém que se atreva a criticar estas donzelas virgens e, ou é traidor ao serviço do capital, ou é cego dos dois olhos; no mínimo é idiota.
      A clarividência era pouca e ficou toda na vossa «igreja», cujo «sacerdote» vos ungiu com água benta revolucionária, mas vocês, como bons «revolucionários» e universalistas, deviam dividi-la um pouco com os idiotas, para estes ficarem um pouco menos idiotas e fazerem-vos companhia, que bem precisam. Senão veja, vocês andam há 44 anos (em Portugal) a lutar em nome do povo (que não vos passou procuração para tal) e passaram de um pouco mais de 700 mil votos em 1975 para um pouco mais de 400 nas últimas eleições comparáveis.
      Portanto, o que prova uma de duas coisas: ou a ingratidão do povão; ou a ineficácia e incoerência das vossas opções e práticas políticas (nas autarquias já tiveram mais de 50 câmaras e estão reduzidos a pouco mais de 30).
      Mas nem os factos os convencem: a vossa cartilha é imune aos factos.
      Sempre de peito feito, em frente, até à derrota final.
      E todos nós, idiotas, iludidos com as migalhas capitalistas.

      Somos uns pobres coitados perante tão iluminadas criaturas que vocês são.

      Assina: um idiota ao serviço do Trump, do Bolsonaro, do Duterte; do Órban, da Le Pen, do Salvini, do Erdogam, do Putin, do Xí Jìnpíng e de todos os ditadores de Extrema-direita e das Esquerdas (extrema ou não) que vierem a surgir.
      Aliás, os ditadores (das Direitas ou das Esquerdas) são muito semelhantes no essencial, variando apenas no assessório..
      São todos escumalha da pior espécie!

      • Manuel Silva says:

        Correcção:
        Onde escrevi isto: «passaram de um pouco mais de 700 mil votos em 1975 para um pouco mais de 400 nas últimas eleições comparáveis.»
        Devia ter escrito isto: «passaram de um pouco mais de 700 mil votos em 1975 para um pouco mais de 400 mil nas últimas eleições comparáveis, de 2015, apesar de o universo eleitoral em 1975 ser de um pouco mais de 6 milhões de eleitores e de o universo eleitoral de 2015 ser de um pouco mais de 9 milhões.»

        • A.Silva says:

          Manuel da Silva, pegue na cassete e enfie-a com jeitinho pelo rabinho acima, ok?

          • Manuel Silva says:

            A. Silva:
            Aconselha sempre os outros o que costuma fazer com a sua cassete?
            Mas olhe que nem todos usam cassete.
            Está o confundir a sua realidade com o resto do mundo, que é a confusão típica dos da sua «igreja».
            Quanto a desmontar os meus argumentos, nem uma letrinha, quanto mais uma palavra ou uma frase.
            Ouvir as verdades dói, não é?
            Estou esclarecido, camarada.

      • Paulo Marques says:

        “Nojo e idiotia é o senhor e a sua «igreja» apoiarem acriticamente todos os regimes altamente corruptos, desde que se auto-classifiquem de Esquerda”
        Não sei de quem fala. Como pode ver pelo post, não fala do João Mendes, e não faltarão outros. Também posso e critico os que mencionou, só faço é questão de dizer, como sempre, que a situação não é nem preta nem branca.
        Mas deixe-me apontar que acho curioso que ache horrível que o presidente cubano faça o mesmo que o americano, ou que o presidente venezuelano faça o mesmo que o PP foi fazer à Venezuela.

  2. Paulo Marques says:

    Bom, se o argumento é que é melhor não fazer nada se não se acertar em tudo, a TINA que siga o seu ritmo e a UE que continue como está.
    Se a subnutrição é a pior opressão possível, então o nosso mais antigo aliado é um monstro. https://www.independent.co.uk/news/world/world-history/winston-churchill-genocide-dictator-shashi-tharoor-melbourne-writers-festival-a7936141.html

  3. Fernando says:

    E por falar em médio oriente…

    A fundação da “Democrata” Clinton recebeu milhões do regime Saudita.

    “The Clinton Foundation has accepted tens of millions of dollars from countries that the State Department — before, during and after Mrs. Clinton’s time as secretary — criticized for their records on sex discrimination and other human-rights issues. The countries include Saudi Arabia, the United Arab Emirates, Qatar, Kuwait, Oman, Brunei and Algeria.”

    https://www.nytimes.com/2016/08/21/us/politics/hillary-clinton-presidential-campaign-charity.html#commentsContainer

    Obama também parece ser grande amigo dos decapitadores Sauditas!

    “Saudis gave Obama aides jewels worth thousands, ex-adviser says”

    https://www.theguardian.com/world/2018/jun/04/saudi-arabia-jewels-white-house-obama-ben-rhodes

    Trump é tão diferente de Clinton e Obama, tão diferente…

    Quando é que vamos ver postas aqui no Aventar sobre os podres de Obama, Clinton e “Democratas” ou só os podres de Trump e dos “Republicanos” merecem destaque?

  4. Rui Naldinho says:

    Ninguém de bom senso pode apoiar este regime venezuelano, e muito menos o javardo Maduro.
    Mas, da mesma forma, ninguém de bom senso pode apoiar as alternativas que se vislumbram, ao javardo Maduro. A não ser que queiramos trocar este, por um Bolsonaro á moda da Venezuela.
    O busílis da questão está precisamente aí.
    Existe um problema na América Latina. Isto para nos restringirmos ao Continente onde está inserido a Venezuela.
    São sociedades pós coloniais, com todos os dramas que essas sociedades arrastam desde a sua independência. A par de uma exploração da mão de obra sem regras e direitos, num capitalismo de coutada, o misticismo, o analfabetismo, o caciquismo, o racismo, ali tudo é levado a patamares já pouco usuais, por exemplo, na Europa ou América do Norte.
    Ali, desde há muitas décadas, se vão revezando vários javardos. Tirando o Mijuca, no Uruguai, desconheço se há mais alguma personalidade que se safe deste epíteto.
    Os parcos períodos em que viveram com alguma liberdade, foram de corrupção generalizada. Nos períodos em que viveram debaixo de uma ditadura feroz, foram de corrupção cirúrgica, encapotada, e para meia dúzia de aficionados do regime. Ou seja aquilo já é endémico.
    Maduro é um verdadeiro Javardo. Não duvido disso. E deveria ser removido, como se de um tumor se tratasse. A questão que se coloca para mim, é mais esta, tirando Maduro para fora do Poder, vamos optar por outro javardo?
    “Se é isso que querem, venha ele. Agora, convinha depois não se queixarem.”

  5. JgMenos says:

    A esquerdalhada inviabiliza o funcionamento do modo de produção capitalista e é totalmente incapaz na sua magna indigência mental e operacional de implementar o proclamado modo de produção socialista.

    E quando inevitavelmente chega a miséria, o que dizem tamanhos cretinos?

    Que são vítimas do capitalismo que destruíram!!!!

    • Paulo Marques says:

      Inviabiliza? Onde? Fecharam as empresas? Eu só me lembro das empresas que deixaram de produzir durante a GFC para alimentar o “modo de produção capitalista”. E miséria também me lembro de muita para pagar aos mesmos que nada produzem.
      É natural que o Cruz não tenha visto, estava ocupado a ganhar dinheiro à custa disso.

      • JgMenos says:

        Fecharam empresas?
        Basta tratar os capitalistas como se fossem cooperantes da tralha socialista para que elas fechem!
        Surpresa?
        Só para os lerdos.

    • abaixoapadralhada says:

      Outra vez aqui a grasnar, maldito “corvo”

    • ZE LOPES says:

      Estou a ver! Afinal V. Exa…é o protagonista daquela nova telenovela venezuelana “Amor de Direitrolha”!

      Aquela em que um modesto rapaz, filho de humildes famílias, baixo, magrinho, sem dinheiro, sem futuro, sem pêvia (conhecido pelo…Menos), se torna,depois de uma romaria a Santa Comba Dão o poderoso Rei dos Direitrolhas, o terror da esquerdalhada.

      É então que, disfarçado de Padeira de Aljubarrota, encontra na fervorosa antiesquerdalha Ana Teresa, o amor porque sempre ansiou. Nem o seu farfalhudo bigode os separou, pelo que casaram em Jijoca de Jirocoara, tendo seguido para a Lua de Melaço nas Cataratas do Bolsonara.

      Cena dos próximos capítulos: ao dirigir-se à maternidade, a toda a pressa, com Ana Teresa nos braços, JgMenos é informado, com surpresa sua, que é ele que está gravido!

    • A.Silva says:

      Como não podia deixar de ser o idiota útil do João Mendes recebe o apoio do grunho fascistóide jgMendes, nada de novo.


      • Cometeste dois erros, A. Silva. O primeiro foi esse insulto imbecil. O segundo foi teres utilizado o email da CM de Almada para o fazeres.

        Até já!

        • Manuel Silva says:

          João Mendes:
          Admira-se de estes cromos passarem o tempo no trabalho a consultarem a Internet e a trocarem fotos dos baptizados, casamentos e passeios de fim-de-semana?
          Têm o ordenado garantido e o emprego seguro para a vida.
          Basta inscreverem-se na «igreja», pagarem o dízimo à dita e, na primeira oportunidade, entram ao serviço nas câmaras, que é onde a «igreja» ainda pode distribuir empregos aos seus.
          Na câmara do senhor A. Silva, em Almada, ao fim de 25 anos de serviço, (que é sempre excelente, pois inclui a vigilância de blogues dos esquerdalhos desalinhados, vulgos idiotas, como o Aventar) ainda recebem um relógio de ouro no valor de 800 euros.
          Tenho dúvidas que a Inês de Medeiros consiga acabar com esta mama, pois aquilo está tudo minado por dentro com o exército desta tropa fandanga que tomou tudo de assalto onde têm sido poder autárquico.
          E mesmo quando perdem a eleição, o exército dos mangas de alpaca fica lá a meter pedrinhas na engrenagem e os chefões vão em transumância para as câmaras vizinhas.
          Veja-se o Judas, o ex-presidenteem Almada, que foi para assessor da câmara de Setúbal.
          E o .Franco, que, ao sair de Alcochete, foi para o Seixal.
          Mas há muitos mais.


  6. Sobre a Venezuela, visão e informação de alguém com referências idóneas.

    a partir do minuto 15 em diante :

    https://www.rtp.pt/play/p1299/e364908/a-ronda-da-noite

    • JgMenos says:

      A treta do embargo …que não atinge o petróleo!
      No essencial o que os USA embargam é o financiamento do disparate esquerdalho e não dá abrigo aos corruptos venezuelanos.

      • Paulo Marques says:

        Pois, preferiam os corruptos vendedores da própria mãe que lá estavam, isso a América Latina conhece bem, embora às vezes se esqueça. Isso e os exércitos que se revoltem, já que não têm touradas que lhes acalmem o desejo por sangue.

  7. A.Silva says:

    Como não podia deixar de ser, o idiota útil do João Mendes recebe o apoio do grunho fascistóide jgMendes, nada de novo.

    • Manuel Silva says:

      E como não podia deixar de ser, o dinossauro João Ferreira, deputado da sua «igreja» no Parlamento Europeu, votou para salvar a pele ao ditador Vítor Órban.
      Os extremos são mesmo farinha do mesmo saco.

  8. Manuel Narciso says:

    Este João Mendes vendido e traidor, não sabe que o que dizem da Venezuela são fake news?
    Cheira-me que já desististe do Comunismo, e andas a ver se te encostas ao sistema para usufruíres das benesses capitalistas.
    Gajos como tu estou farto de ver, são comunistas mas so da boca pra fora, pois fartam-se de tentar agradar aos donos capitalistas.
    Por ventura não sabes que a Venezuela nunca esteve melhor?
    É so comprares uma passagem e vires ver.
    Se dizias bem do regime em 2003 porque é que agora que finalmente se esta a um passo de erradicar a pobreza neste pais começas a dizer mal. Fazes-me lembrar a Zita Seabra ou Edmundo Pedro que traíram a ideologia por um prato de lentilhas.
    Antes de falares mal do regime bolivariano lava a boca, antes de falares de Nicolas Maduro ajoelha, pois é um dos maiores líderes mundiais, um dos melhores seguidores de Lenin que houve.
    Viva a Venezuela, Viva a Revolução Boilivariana, Viva O Comunismo que sempre trouxe as sociedades de maior abundancia no mundo mas são sempre destruidas pelos capitalistas como tu.

    Manuel Narciso

    • JgMenos says:

      «finalmente se esta a um passo de erradicar a pobreza neste pais »

      Tem o camarada Manuel Narciso TODA a razão!

      E nem é preciso ir lá ver. Todos os noticiários o demonstram; com a pobreza a ser exportada pelas fronteiras a este ritmo, breve será o tempo em que o camarada Maduro se verá livre dela.
      A Luta Continua!

      • Paulo Marques says:

        Ao contrário da grande lista de países onde o capitalismo reduziu (sem luta socialista) a desigualdade: ∅

    • Paulo Marques says:

      Não, não, camarada, fake news é o stock de desemprego permanente da desunião europeia que regula a inflação e tem como consequência o empobrecimento permanente. Fake news são as pontes do Reno que não podem ser atravessadas. Fake news é que os países estão muito mais vulneráveis depois de 8 anos de austeridade. Fake news é que a China compra a infraestructura europeia graças à nossa obsessão com a dívida que qualquer espirro faz disparar outra vez. Fake news é dizer que a austeridade nunca levou a uma economia estável. Fake news é dizer que a Alemanha e a França nunca vão cumprir a manta de retalhos da “matemática” que “sustenta” a PEC. Fake news é fazer notar que nenhum direitolo se queixa do déficit do querido líder Drumpf. Fake news é dizer que os serviços privados escolhem os clientes.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.