Pandega pandémica em Lisboa


Após o desconfinamento e com os números da pandemia a subirem em Lisboa, ouvimos frequentemente aos responsáveis políticos e técnicos da saúde, queixumes que os cidadãos não estão a enfrentar o problema com seriedade. Ameaças veladas que pode ser necessário recuar, interditar praias, centros comerciais, grandes lojas e vários serviços do Estado permanecem encerrados, para nosso bem ao que dizem, enquanto a economia agoniza, aumentando o número de falências e consequente desemprego. Mas em Portugal as regras nunca são exactamente iguais para todos, senão vejamos:

-Em pleno estado de emergência, foi autorizada à CGTP a celebração do 1º de Maio na Alameda, quando a generalidade dos portugueses estavam proibidos de sair do concelho de residência.
-Foram autorizados concertos na praça de toiros do Campo Pequeno, mas as corridas de toiros continuam proibidas, por mero oportunismo político do ministério, é conhecida a posição da ministra.
-Foram autorizados a realização de jogos da I liga, mas a II liga foi terminada, tal como as modalidades de pavilhão.
-Ontem mesmo, data da abertura da época balnear, as autoridades policiais andaram pelas praias verificando o distanciamento social, enquanto a Av. Almirante Reis até à Alameda D. Afonso Henriques era percorrida por uma manifestação, como a imagem documenta.
Verdade que também existiram manifestações noutros pontos do país, mas não enfrentam neste momento a pandemia com a mesma gravidade que a área metropolitana de Lisboa. Sabendo que nenhuma concentração ou manifestação se pode realizar em Portugal sem prévia autorização e enquadramento das autoridades locais, que moral têm estes senhores para pedirem a quem se desloque a Carcavelos ou Costa da Caparica, que cumpra as normas de distanciamento?

Comments

  1. Paulo Marques says:

    Não é ameaça, é o método hammer and dance para minimizar efeitos de pandemia.
    A manifestação, bem, quando se acha que o poema de Martin Niemöller é sobre liberdade económica, não há diálogo possível.

    • António de Almeida says:

      Concordo portanto com as restrições selectivas? O que implica que exista alguém que faz a selecção das mesmas? Ontem mesmo eram proibidos ajuntamentos na praia de Carcavelos, porque é lazer, mas já são permitidos na Av. Almirante Reis porque é manifestação?
      Ok, percebo…

  2. Dario Silva says:

    Uma imagem de 2019?

    https://www.esquerda.net/artigo/carta-aberta-pede-condenacao-efetiva-de-ideias-e-grupos-racistas/58931

    E quem dirige o Aventar não vai correr com este tipo?

  3. Albino manuel says:

    Bom, é a malta nova quem anda nas manifs e no dancing. Velhos duvido que andam com bufo.

    Depois vão para casa e começa o hammering. Ao avô dá-lhe uma uma tosse esquisita.

    No final resolve-se um problema de habitação e ainda se recebe umas massas para fazer uma viagem budista e umas fotos no instagram.

    Razão tinha Lavoisier.

    • António de Almeida says:

      Não faço uma crítica à manifestação, aliás, também sou contra qualquer forma de racismo.
      A minha crítica vai para a selectividade das restrições e critérios na decisão das mesmas…

      • Albino manuel says:

        Faço eu, a estas e a todas as outras. Não faz sentido nos tempos que correm ir contra todas as recomendações por em perigo a vida própria e a dos outros. É uma questão de bom-senso e respeito pelo próximo.

        De resto, com facebook, instagram, twitter, google e sabe-se lá que mais, não há outra maneira de exprimir ideias e posições?

        As manifs tinham sentido, para quem gosta, há quarenta anos. Hoje, e mais ainda nos tempos que correm, não.

        E é bom recordar que o indicador de contágio é superior a um. Isto é tontice, irresponsabilidade e até crime.

        Recordo: nada mas nada de simpatia tenho por esse aldrabão sem ideias nem princípios que é Ventura e companhia.

        Basta uma coisa: ter juízo e formação moral, ética e cívica.

        • anticarneiros says:

          “As manifs tinham sentido, para quem gosta, há quarenta anos. Hoje, e mais ainda nos tempos que correm, não.”

          Compreendi-te !

        • Paulo Marques says:

          Claro que faz sentido deitar fora o maior momento anti-racista a nível mundial, pode-nos afectar a nós!

    • Paulo Marques says:

      Porra, o Soros nunca mais me manda o cheque, dava um jeitaço agora.

  4. Joao Melo says:

    Estamos todos perdidos quando, em pleno 2020, comparamos cultura com tortura de animais a esvairem-se em sangue. Quando comparamos manifestações por direitos humanos, com idas a praias e shoppings e outras coisas que tal. Eu disse perdidos, mas queria mesmo era dizer “todos fodidos”. Mas enfim, já não resta muito à humanidade, por isso é só esperar que a natureza limpe este vírus chamado ser humano.

    • António de Almeida says:

      O post não tem rigorosamente nada a ver com touradas. É uma actividade classificada como espectáculo, caindo na tutela do ministério da cultura, goste-se ou não.
      Também não é um crítica à manifestação, como também não critico a CGTP por celebrar o 1º de Maio.
      Critico sim as autoridades políticas e de saúde, por não terem os mesmos critérios. Que sentido faz andarem pessoas a passear pelos corredores dos centros comerciais, mas não entrarem nas lojas porque estão fechadas? Que sentido faz proibir espectadores nos estádios de futebol, porque se podem juntar no calor da disputa, mas permitir manifestações, quando as pessoas também se podem juntar para ouvir as palavras de ordem?

      • Carlos Almeida says:

        Sr António Almeida

        “O post não tem rigorosamente nada a ver com touradas. É uma actividade classificada como espectáculo, caindo na tutela do ministério da cultura, goste-se ou não.”

        Claro que tem a ver com touradas, senão o Sr António Almeida não vinha aqui defender envergonhadamente esse espectáculo medieval, que tem que acabar urgentemente.
        Nós e os castelhanos somos a vergonha da Europa, mas felizmente no caso deles há 50% que já é contra as touradas.. No caso de Portugal, provavelmente mais.

        Quando o ministério da cultura acabar com isso, os aficionados direitolas e o PCP vão atacar os mesmo ministério que agora defendem e que agora permite a essa minoria ver espectáculos bárbaros subsidiados com o dinheiro dos meus impostos. Meus e de muitas outras pessoas que se são contra espectáculos degradantes e desumanos.
        Acabemos com as touradas.
        Já ontem era muito tarde

        • António de Almeida says:

          Vou dar-lhe uma dica, quer mesmo acabar com as touradas? Lute contra o financiamento público da actividade, mas terá que ser coerente em relação a outras. E lhe garanto que não serei eu a vir aqui defender o financiamento público deste ou qualquer outro espectáculo, mas o sol quando nasce, é para todos. Não quero discriminação. Nem aceito que um qualquer burocrata decida o que é bom ou mau gosto.
          Já agora e para que fique esclarecido, mais coisa menos coisa, há cerca de 12 anos que não ponho os pés numa praça de toiros.
          De resto o post é tanto sobre touradas como futebol, ida à praia ou passear nos centros comerciais.
          Mas registo e percebo que não aprecie a Liberdade de escolha e aceite que políticos decidam o que é melhor para si. Seguramente que estamos em campos opostos…

          • Carlos Almeida says:

            ” Seguramente que estamos em campos opostos…”

            Completamente e não só nas touradas.
            Mas o senhor acha que ver massacrar um animal em publico, para gaudio de uma minoria, é um espectáculo como o outros. Essa é a nossa grande diferença, o resto é treta que gosta muito de dar aqui, para quem a aprecia, mas para esse peditório eu nunca dei.

          • António de Almeida says:

            Há mais de 12 anos que não vou a uma praça de touros. Também não tenho visto corridas na TV. Se não defendo o financiamento público da actividade, qual julga que será o futuro se todos forem como eu?
            Mas não aceito que a actividade seja proibida, sim, o mercado funciona, desde que o Estado não intervenha…

          • abaixoapadralhada says:

            Sr Antonio Almeida

            “Mas não aceito que a actividade seja proibida, sim, o mercado funciona, desde que o Estado não intervenha…”

            É o mercado a funcionar, não é liberoides.
            Não têm ética, nem moral, apenas são os lambe cus do mercado

            Malditos liberoides.

    • Albino manuel says:

      Suicide-se! Não falta lixívia no super.

      Uma coisa é lutar contra o racismo, objectivo com que concordo plenamente, outra é ser irresponsável e por em risco a vida dos outros. Com os meios de comunicação de hoje há mais e melhores maneiras de fazer chegar as mensagens aos outros.

      • abaixoapadralhada says:

        “Com os meios de comunicação de hoje há mais e melhores maneiras de fazer chegar as mensagens aos outros.”

        Ora aqui está uma frase do agrado do Trump

        • miguel fonseca says:

          Ou do farsolas do Costa.
          Foi o Trump que financiou os media Portugueses para os ter na mão?
          Saiste-me cá um fascista!

        • Albino manuel says:

          Abaixo a padralhada,

          Como é ? Se for uma manif de direita já se pode proibir em nome do covid? Isto é em função da saúde pública ou das ideologias?

          Se é por causa do twitter, fez este muito mais que estes tolos todos.

          • abaixoapadralhada says:

            Twitter, Fakebook e outras tretas, só apareceram porque as pessoas sairam à rua.
            Se não o twitter tinha feito o que fez o fakebook, calava-se para não desapoiar o Trump

      • Paulo Marques says:

        Há. Ninguém ouviu e nada mudou. Numa semana, já foram vários porcos para o curral, cá também há muitos para ir.

      • Paulo Marques says:
        • António de Almeida says:

          Não é aceitável que se cometa um crime, para protestar contra criminosos, ainda para mais, causando vítimas terceiras.
          Nestas alturas, também aconteceu em França e nada tinha a ver com racismo, aparecem sempre uns gangs de amigos do alheio, dispostos a pilhar. As autoridades devem fazer o seu trabalho…

  5. Albino manuel says:

    Carlos Almeida,

    Não perco tempo com touradas. Nunca perdi.

    Mas que tal lutar contra as suiniculturras? Contra os estábulos de gado em que os animais são tratados como couves?

    As touradas estão erradas? Sem dúvida. Mas é dos que compra dois kilos de carne de porco a quatro euros? É que se é, é cúmplice nessa vergonha civilalizacional dos animais que nascem para ser comidos em três meses.

    Não corcordo. Mas mil vezes a vida de um touro de corrida que a vida que não é vida de animais nascidos no estábulo para serem abatidos pouco depois.

    Quando for ao super, diga não e não compre. Até lá é conversa da treta.

    • Carlos Almeida says:

      Quem lhe diz que como carne. ?

      Mas tem razão quanto ao tratamento completamente desumano que é dado aos animais que são abatidos aos 3 meses para consumo humano, frangos, leitões etc.

      E tambem concordo que ha muito a fazer para lutar contra isso, que está completamente errado.
      Mas porque essa luta ai demorar, não deixo de lutar contra o espectaculo taurino, são coisas diferentes.

      • Albino manuel says:

        afinal, come ou não come carne? Evasivas não convencem.

        Quanto às touradas é pegar pelo fácil. No dia em que o Campo Pequeno acabar com elas ficam reduzidas ao Alentejo e Ribatejo. Pode ir para lá fazer uma manif mas arrisca uma tareia de criar bicho. Também pode usar os deputados do Porto para proibir, resta saber se a lei é cumprida.

        • Albino manuel says:

          Abaixoapadralhada

          Não. Primeiro o twitter pôs ordem na casa. Fartou-se de ser usado. Só depois o rancho folclórico do costume veio para a rua.

          Já agora, diga: também havia daqueles rapazes de tranças e tambores?

          • anticarneiros says:

            O twiter o Isacc do Fake e esses bandidos todos, foram atras das audiencias , como o CMTV e os outros, mais nada

        • Democrata_Cristão says:

          “Pode ir para lá fazer uma manif mas arrisca uma tareia de criar bicho.”

          Claro, o PC no seu melhor

          Mas as touradas vão acabar, não duvide

          • Albino manuel says:

            Eu? PC? Esqueca. Mas va, vá à feira de São João e espere pela resposta. E nem é do PCP. É da malta ligada à agricultura. Vai direitinho a ganir partido para o hospital do espírito santo. Sai da manif pior que os touros da arena.

            Que mania tem esta gente do Porto de se armar em eco e amigos dos wnimais. Podiam comecar por ter uma alimentação mais saudável que essa de farta-brutos.


      • ….”vergonha civilizacional dos animais que nascem para ser comidos em três meses… ”
        e são vítimas de maus tratos crueis e sujeitos a stress e sofrimentos vários !
        ! para além de distorcidos e envenenados na sua criação com hormonas e antibióticos .

        https://danielmcarlos.wordpress.com/ja-leu-kafka/

        https://danielmcarlos.wordpress.com/ja-leu-kafka/

        • Albino manuel says:

          Já agora, porque é que o blog altera a ordenação dos comentários de tal forma que os distorce completamente?

          Pode chamar-se censura mas mais que tudo é desonestidade.

          • António de Almeida says:

            WordPress. Mas o SAPO também o faz quando se responde a comentários. As outras plataformas desconheço.

          • Democrata_Cristão says:

            E porque é que quem não é um chaparro como tu tem que ser do Porto ?

            Mas as touradas vão acabar sim, e os aficionados tambem, chaparro

  6. Rui de campos says:

    Com intelectos e impingimentos bacocos desses, acho que vou passar a canibal … não sei é se é tão saboroso …

  7. Albino manuel says:

    António Almeida

    Podem o Sapo e a Rã fazer mas não deixa de ser o que é, descontextualizar um comentário e como tal distorcer a sua finalidade.

    Não é só por aqui mas não se queixem das acusações. O Blasfémias é exímio. Há outros mais directos, o também portuense Insurgente que só publica comentários de amigos e o Corta-Fitas, este menos, mas coitados, são que resta do CDS, exceptuando o velhote do Readers Digest a sonhar com Salazar e Henrique Pereira dos Santos, à cata de lugar num futuro governo de direita.

    Isto pela direita. Pela esquerda não me parece que seja melhor.

    E depois vá de béu béu contra o pensamento único – no geral é o do outro – e contra as fake news. Para não falar dos polígrafos que são eles próprios fake news.

    • António de Almeida says:

      O que lhe posso dizer é que mesmo que quisesse alterar a ordem dos comentários, não saberia como fazer.
      Também verificará que os comentários nos meus posts são aprovados, não gosto e não pratico censura. Como é óbvio, respondo apenas por mim…

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.