Almada, Pessoa e a coincidência entre uma e outra coisa

Só o sinal é constante, os símbolos são epocais.
Almada Negreiros

Uma coincidência é uma incidência, ou seja, uma ocorrência (acidental), de dois ou mais fenómenos. Anteontem, dia 13, foi o aniversário natalício de Fernando Pessoa. Hoje, dia 15, é o quinquagésimo aniversário da partida de Almada Negreiros. Ontem, dia 14, com a ajuda do Almada, entre uma e outra coisa, como diria Caeiro, escrevi esta defesa de Pessoa contra aqueles que dele se querem apropriar, sejam eles liberais, socialistas, linguistas, comunistas, biólogos, anarquistas, tradutores, democratas, advogados, fascistas, médicos, escultores, empregados de café, fachistas, taxistas, empregados bancários, electricistas, pintores, afagadores, tachistas, modistas, tradutores, achistas, intérpretes, obamistas, engenheiros, agricultores, professores, trumpistas, mecânicos, investigadores ou outros quaisquer. Ontem, houve uma coincidência.

***

Governo prostituto e traidor

“Empresas ligadas a offshores sem restrições nos apoios da covid-19 – Governo defende que impor limitações a empresas controladas a partir de paraísos fiscais ou donas de empresas aí sediadas colocaria “constrangimentos” na resposta à crise.”

Mais uma prova cabal da flexibilidade de encaixe no que toca a falta de ética, em troca de chegar às uvas. PS, PSD, CDS-PP e Iniciativa Liberal juntinhos para nos lixarem e lamberem as botas aos aldrabões.

França, Bélgica, Itália, Áustria e Polónia e Dinamarca tiveram coluna vertebral. Os outros oferecem-se a quem lhes passa umas notas à frente do nariz.

Com que moralidade exige este governo que lhe paguemos impostos???

Inominável

“Grupos armados, de cara tapada, já terão matado mais de 1.100 pessoas, em cerca de dois anos e meio, e há mais de 200 mil deslocados a precisar de ajuda humanitária…aquilo por que a população de Cabo Delgado tem passado é uma coisa inominável”.

[Read more…]