Mais espertalhice

“Em vésperas de aprovar a anunciada regulamentação que vai apertar as condicionantes ambientais e dar mais poder aos municípios, a Direcção-Geral de Energia e Geologia assinou nove contratos de prospecção e sete de exploração a dar direitos aos promotores.”

Questionado pelo PÚBLICO sobre quem são os promotores destes contratos, e a que minerais se referem, a mesma fonte secundou a resposta que já havia sido dada pela DGEG, quando confrontada pelo PÚBLICO: o site da DGEG está a ser actualizado, pelo que só em meados de Julho ou Agosto deverá ser possível consultar toda a informação destes contratos que, por lei, terão de ser publicados.

Desculpa mais esfarrapada. Nem sequer podemos saber se são contratos protegidos pelo mecanismo ISDS (Investor-State Dispute Settlement), que nos condena ao pagamento de montantes exorbitantes caso os futuros lucros de investidores estrangeiros venham a ser prejudicados.

E não nos iludamos: Sobre a questão da contestação feita pelos movimentos cívicos, e depois de admitir que essa luta não tem sido “agradável”, Galamba diz que não se sentiu politicamente prejudicado. “Quando se tem confiança no trabalho que se está a fazer não nos podemos deixar abalar por minudências”, afirmou.

Somos, pois, minudências.

O que isto revela.

Comments

  1. JOAO MANUEL PAZ CARDOSO says:

    Revela prepotência de teor fascizante em que qualquer contestação nem sequer tem conhecimento de causa por lhe ser negada informação básica à boa maneira fascista. E, para este escroque, tudo isso não passa de “minudências”.

  2. Filipe Bastos says:

    O que isto revela? Revela, e releva, o que qualquer um(a) com meio dedo de testa sabe: que vivemos numa partidocracia. Que os cidadãos não têm poder nem voz. Que esta classe pulhítica faz o que lhe dá na gana. E que sai sempre impune.

    Mas se alguém fala de democracia semidirecta, é ver a carneirada – e muitos que escrevem neste blog – a encolher os ombros ou até a arrepiar-se.

    Não querem esta “democracia” em vez de uma democracia a sério, mais directa? Pois aqui a têm. O chulo Galamba limita-se a dizer alto o que toda a classe pensa e faz. Sobretudo a do Partido Sucateiro: isto é tudo deles.

  3. Abstencionista says:

    “Para os amigos tudo, para os inimigos nada e para os portugueses aplique-se a lei … que vai mudando conforme os interesses da casta”.

    (adaptado de uma frase que dizem ser do almeida santos)

  4. Albino manuel says:

    O melhor mesmo é voltarmos à idade média. Tudo ecológico, até a peste negra, aliás, nada mais ecológico: pulgas em ratos, dois simpáticos bichinhos.

    • anticarneiros says:

      Tu não precisas, nunca de lá saiste!

    • Paulo Marques says:

      Esqueceu-se do essencial, que aliás, é o tema: tudo decidido por gente séria nas cortes escondido dos governados com o lucro pessoal como principal objectivo.


  5. Continuem a votar em salafrários… De certeza que da próxima a coisa vai lá!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.