Boa viagem

Uma empresa quer estar acima da lei. Boa viagem.

Comments


  1. Não há quem não queira, a começar pelos Big Tech, Big Pharma e os outros Big

  2. abaixoapadralhada says:

    O Isaac faz cá tanta falta como uma viola num enterro. Mas ele não tem culpa, os ToTós não são obrigados a ter conta no fake

  3. Albino Manuel says:

    Nunca tive tal coisa. Nem twitter. Mas pelo que leio de há muito sobre essas redes não perco nada.

    Primeiro, não vejo interesse em saber da vida dos outros nem tenho interesse em falar da minha. Segundo, e não é menos, a questão da intromissão na vida pessoal.

    Quanto à criatura, pelo que leio, julga-se de facto acima de todos. Basta pensar na forma displicente como ele se apresentou no parlamento britânico. Dispenso.

  4. Filipe Bastos says:

    Não devia ser ele a sair da Europa; devia ser a Europa a correr com ele. E com a restante canalha americana.

    Toda a ‘social media’ devia morrer numa fogueira, como se diz por lá, mas no mínimo devemos ter alternativas europeias aos mamões americanos. Para ontem.

    Microsoft, Amazon, Google, FB, Twitter, Instagram, Uber, Reddit, quase toda a internet que consumimos e serviços online que usamos pertencem directa ou indirectamente a mamões americanos. E não pode ser.

    A carneirada jamais irá mudar por si; tem de ser a UE a forçar a mudança. Mas com esta classe pulhítica, a começar pelos Junckers e Burrosos da vida, bem podemos esperar deitados.

    • POIS! says:

      Pois tá bem!

      Desde que seja num bom colchão, que não tenha sido produzido por mamões chulecos, até tá-se bem!

      • POIS! says:

        Pois e se for em verso:

        Nunca durmo descansado
        Ao pensar que o meu colchão
        Foi feito por um chuleco
        E vendido por um mamão.


  5. Nada como a coscuvilhice dópédaporta e não esta generalização digital!

  6. Luís Lavoura says:

    Por mim, se o Facebook quiser sair da Europa, faça favor. A porta da rua é a serventia da casa.

  7. Rui Santos says:

    Para mim o FB pode ir para o raio que o parta. É escandaloso o que o FB ganha com os dados que saca dos utilizadores, não esquecendo das “experiências psicológicas” que faz com milhões.

  8. Ana Moreno says:

    É só as pessoas começarem a sair de FB, Instagram e Whatsapp e a coisa vai ao lugar. Quem lá está, querendo ou não, é conivente com a pilhagem e manipulação de dados…


    • ahahah! 99% das pessoas que estão nessas redes sociais, se fossem obrigadas a abandoná-las, entravam em depressão profunda!
      Esse é o grande trunfo do tio Sam, e essa é a razão porque não quer deixar a China entrar nesse negócio, com os tik-tok e outros…

  9. Paulo Marques says:

    Eu gosto dos comentadores que nem percebem que o Aventar também faz parte de uma rede social, como se o conceito, por si, fosse necessariamente mau, e coisas como o AskHistorians não existissem.
    Já o Fakebook não tem reforma, só mesmo rebentando do espaço, é a única maneira de ter a certeza que não há contaminação.

    • Filipe Bastos says:

      O Aventar será social, até certo ponto, mas não uma rede social. Não no sentido do FB e quejandos.

      Não há registos, não se cria perfis, não se partilha nada, não se pode ‘seguir’ ninguém. Estes blogs são meros cafés digitais, sem cerveja nem tremoços, onde uns poucos habituais trocam bitaites. Aqui somos quem quisermos.

      Os gestores do site podem saber o nosso IP, que é geralmente dinâmico; nada mais têm para vender. Este conceito, para mim, não é mau. O da rede social é mau.

      • Paulo Marques says:

        Hmmm, aquela dezena de cookies que o browser manda para o Google e o WordPress, este último onde podia seguir o blog e comentários se quisesse sem alguma vez cá voltar, conta uma história um bocadinho diferente sobre os perfis e partilha. E há mesmo quem só apareça quando alertado em certos assuntos. Magia.
        O IP pode ser, em teoria, dinâmico, mas o meu nunca mudou, excepto quando mudei de casa. Os ISP, por qualquer razão, gerem a rede de maneira diferente.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.