Colaboracionismo

Sandra Capela*

“La palabra colaboracionismo deriva del francés collaborationniste, término atribuido a todo aquello que tiende a auxiliar o cooperar con el enemigo. Entendida como forma de traición, se refiere a la cooperación del gobierno y de los ciudadanos de un país con las fuerzas de ocupación enemiga. La actitud opuesta al colaboracionismo –la lucha contra el invasor– es representada históricamente por los movimiento de resistencia.
Los “colaboracionistas'” suelen serlo por diferentes motivos: por afinidad ideológica, por simpatía por el enemigo, o por coincidencia en los objetivos, aunque también pueden serlo por coacción o incluso por miedo. En otros casos, los colaboracionistas esperan obtener ganancias, enriquecimiento o favores del enemigo.”

Link: https://es.wikipedia.org/wiki/Colaboracionismo

Comments

  1. Paulo Marques says:

    Pode continuar a colaborar com o vírus o quanto quiser, ele não quer saber e não lhe dá tratamento especial.

  2. Luís Lavoura says:

    1) Que quer este post dizer? A que colaboracionismo se refere?
    2) Quem é a Sandra Capela?

    • Filipe Bastos says:

      Boas questões. Imagino que seja algo contra o governo, a Gerimbosta, a histeria covideira, ou tudo isto, mas deixar algo tão críptico sem mais é realmente bizarro.

      • POIS! says:

        Pois mas…

        No entanto tem um lado bom. Já motivou mais um comentário anti-gerimbostoso do Sr. Bastos.

        Para depois fica a decisão sobre se a D. Sandra terá direito de semivoto na futura semidemocracia semirepresentativa ou se terá de ser também semi-orientada por algum semibastos.

      • Filipe Bastos says:

        O POIS parece pensar que sou um troll direitalha ou assim. Desprezar chulos e corruptos não nos torna de direita, POIS. Tal como defender comunas hipócritas ou xuxas trafulhas não nos torna de esquerda.

        Aqui passo por direita; para o resto do mundo sou um incorrigível comuna. O Akistreta do Worpress bloqueia links, mas basta pesquisar:
        — “filipe bastos” “irritado.blogs.sapo.pt”
        — “filipe bastos” “oinsurgente.org”
        — “filipe bastos” “blasfemias.net”

        Se experimentar verá como sou direitalha. E sabe que falo em democracia apenas semidirecta porque seria já um grande passo; com esta carneirada seria irrealista querer mais. Sou maluco, mas não tanto.

        • POIS! says:

          Pois é!

          Lá nos “insurgentes” ainda não adquiriram a capacidade de ver que também há um lado bom. É uma injustiça.

          Estou a ver qual é o problema da implantação da semidemocracia semidireta: é a falta de pastores. Os bastos não chegam para todos. Talvez a IURD e tal dispensem alguns que estejam excedentários. A pandemia trouxe consigo um défice significativo de almas em apuros.

        • Teresa SIlveirinha says:

          Para o Filipe Bastos:

          José Osvaldo de Meira Penna dizia:

          “Os marxistas inteligentes são patifes;
          Os marxistas honestos são burros;
          e os inteligentes e honestos nunca são marxistas.

          Pois meu caro você parece honesto uma vez que se manifesta-se sempre contra a corrupção e o mal em geral, ao contrario do individuo que assina POIS!

          Concluindo você é honesto mas burro , enquanto o POIS! é patife.

          Teresa

          • Paulo Marques says:

            E a Teresinha fica alegremente desempregada sabendo que combate a inflação.
            Sabendo? Não, para isso precisava de estudar.

          • POIS! says:

            Pois não me diga!

            Eu não aponto a corrupção? Ora essa! Não me “manifesto-me” contra a corrupção? O quê? Então não falo da IURD?

            Concluindo: A Teresa SIlveirinha largou a esquina por uns momentos para vir aqui bostar. Foi pena. Pode ter perdido clientela valiosa. Nestes tempos de pandemia pode ser fatal.para o negócio.

            Citando o grande poeta Flávio Bolsonaro:

            “Deus me deu muitos milagres,
            E tem dado muitos mais.
            Em apenas meia hora,
            Choveram muitos mil reais”.

        • Filipe Bastos says:

          Não sou propriamente marxista nem outro ista, Teresa: tenho aversão a grupos, ideologias, tudo que seja seguir alguém ou juntar-me a alguma coisa.

          Ainda assim, agradeço. Na direita é um pouco diferente: os direitalhas burros são pobres; os patifes são ricos.

          A Teresa é rica?


  3. Coño !!

  4. POIS! says:

    Pues te lo digo, Sandra Capella que:

    “La palabra colaburracionismo deriva del francés collânneborationniste, término atribuido a todo aquello que tiende a auxiliar o cooperar con el tontito. Entendida como forma de tradición, se refiere a la cooperación del estafermo y de los merdanos de un país con las fuerzas de palpación enemiga. La actitud opuesta al colaburracionismo –la chucha del invasor– es representada históricamente por los movimientos de penitencia.
    Los “colaburracionistas’” suelen serlo por diferentes motivos: por afinidad patológica, por simpatía por el burrito, o por culoincidencia en los adjetivos, aunque también pueden serlo por intoxicación o incluso por torpedo. En otros casos, los colaburracionistas esperan obtener ganancias, agradecimiento o favores del burrico.”

    • VLRTM says:

      Ó Pois! Se não fosses crno o que gostavas de ser?
      Talvez filho da p
      ta ?
      Não precisas de agradecer a reflexão filosófica, foi de boa vontade.

      VLRTM

      • POIS! says:

        Pois nem uma coisa nem outra.

        Mas agradeço a V. Exa. a partilha da sua condição, que o traz tão feliz e contente. Saiba que nem sempre o que nos exulta e traz satisfeitos resulta com os outros, como é o caso.

        Seguiu V. Exa. as pisadas de seu paizinho e mãezinha, o que só temos de respeitar.

        Não precisa de agradecer a esta reflexão filosófica, foi de boa vontade.

        Aapresento os nossos penhorados cumprimentos,

        POIS!,

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.