Pandemia de Covid 19? Ou será outra coisa?

Sandra Capela*

Entrevista ao Dr. Fernando Nobre por Rui Unas:
“O mundo está a ser flagelado, mas não é pelo vírus”.

 

Comments

  1. Rui Santos says:

    Ouvi o discurso do ilustre médico (veja-se o CV de introdução) e achei pouco claro, mesmo pouco claro. Aquela do infectado/não infectado versus sintomatico/assintomático é mesmo um pontapé para a bancada,

  2. POIS! says:

    Pois este é mais um dos que me faz lembrar aquele poema de um tal Manel Seixal Caucasianeiros:

    “a Pátria onde Covides morreram à fome, e todos enchem a barriga de Covides”.

  3. Rui Naldinho says:

    O mundo está cheio de “al-covid-eiras”!
    *Versão pandémica de alcoviteira

    Um gajo que a certa altura se posicionou ao lado do BE,… passado algum tempo foi empurrado por Mário Soares para uma candidatura à PR, contra o o velho Alegre, acabando uns meses depois como deputado do PSD a concorrer à Presidência da AR, só pode ser um vira casacas.

  4. luis barreiro says:

    Obrigado por me ter dado a conhecer esta grande entrevista, pena é constatar que alguns comentadores residentes avençados continuam a fazer o que lhes ensinaram em casa… atacar o mensageiro.

    • POIS! says:

      Pois tá bem!

      Ai o Nobre agora é mensageiro? Da parte de quem? Será do coelhinho? Hummmm…Mas afinal estamos quase no Natal…ou na Páscoa? Com estas coisas de confinamentos um tipo desorienta-se…

  5. Filipe Bastos says:

    Não tenho pachorra para hora e meia do Fiambre Nobre. Está também contra a reacção ao covidas? É natural.

    Os números continuam abaixo do nível de histeria em vigor. Quem é velho, quem é doente ou quem apanhou o vírus em força até entende; mas a grande maioria sente apenas uma gripe, ou nem isso, e muitos outros nem o apanham.

    Um funcionário público ou um privado repimpado na sua casinha, a encomendar da Amazon, da Uber e do Continente online, também entende. Quem perdeu o trabalho não.

    Para todos que não entendem, é fácil ver isto como um pânico exagerado pelos media e pelos governos, que tentam salvar a face após meses de descalabro económico e social.

    Mais: há vozes críticas, várias delas cientificamente respeitáveis, que também nunca entenderam a resposta à ‘pandemia’, ou a forma como os números desta são aferidos.

    Por aqui todos entendem. Mas tentem entender, pelo menos em parte, que muitos outros não. E que não serão todos doidos, ou burros, ou nazis, ou Trampistas, ou troca-tintas paralamentares.

  6. Elvimonte says:

    Se eu fosse fabricante de testes RT-PCR diria que é preciso testar, testar e quantos mais casos houver, mais há que testar, que o número de ciclos de amplificação do material genético colhido deve ser mantido igual ou acima de 40, porque isso garante uma percentagem de falsos positivos acima de 97% e portanto há que testar ainda mais, que estou aqui para vender testes.

    Se eu fosse potencial fabricante de vacinas repetiria as palavras do fabricante de testes e acrescentaria que quantos mais casos houver mais justificação há para se vacinar toda a população, que eu estou aqui para vender vacinas.

    Se eu fosse investidor de dívida pública repetiria as palavras do fabricante de testes, acrescentando que precisamos é de fechar toda a gente em casa para que a receita fiscal caia ainda mais, aumentando assim o endividamento dos países, cuja dívida irão pagar com juros mais elevados no futuro, que estou aqui para comprar dívidas soberanas e lucrar o mais possível com isso.

    • Paulo Marques says:

      Não percebe estatística, não percebe epidemiologia, e não surpreende que não perceba economia.
      Não, os juros não vão subir porque são decididos pelos bancos centrais, já assumidamente pelos próprios. E juros negativos não rendem muito; nem antes rendia a dívida pública próximo dos lucros em especulação dos últimos 20 anos.

  7. POIS! says:

    É para responder à pergunta do título? É?

    Pois aqui vai a minha resposta:

    “Acho que nem uma coisa nem outra”.

    Ouvi dizer que o prémio para a melhor resposta é um vale para duas vacinas. É verdade? Ou é um vale para jantar no domingo em Lousada?

  8. Ana Moreno says:

    E qual será a outra coisa???

    • Elvimonte says:

      Do recente artigo científico “Infection fatality rate of COVID-19 inferred from seroprevalence data”, publicado no Bulletin of the World Health Organization e que passo a citar:

      «In people <70 years, infection fatality rates ranged from 0.00% to 0.31% with crude and corrected medians of 0.05%.
      (…)
      If one could sample equally from all locations globally, the median infection fatality rate might be even substantially lower than the 0.23% observed in my analysis. COVID-19 has a very steep age gradient for risk of death [80]. Moreover, many, and in some cases most, deaths in European countries that have had large numbers of cases and deaths [81] and in the USA [82] occurred in nursing homes. Locations with many nursing home deaths may have high estimates of the infection fatality rate, but the infection fatality rate would still be low among nonelderly, non-debilitated people.»

      Outra leitura interessante é este artigo do Der Spiegel: “Reconstruction of a Mass Hysteria – The Swine Flu Panic of 2009”

      Recomendo também leitura do meu comentário – uma pequena síntese dos interesses em jogo – dois acima do seu.

      E a “coisa” é esta.

      • Paulo Marques says:

        Recomendo que invés de especular (e dizer que os infectados são muito menos e muito mais ao mesmo tempo), leia sobre os efeitos secundários de quem passa a não conseguir subir escadas.


  9. Isto ainda vai baralhar mais quem o ouvir:
    . Pessoas que têm a proteína que identifica o vírus nas vias respiratórias (teste da zaragatoa positivo) e que são assintomáticas, não transmitem a doenç? Como é que disse? se essas pessoas tiverem alergia e espirrarem, o vírus não sai das vias respiratórias, condição necessária para a transmissão?.

    Faz-me lembrar aquele indivíduo que vinha para Lisboa na autoestrada, em contramão, e vinha a reclamar; “estes lisboetas são todos estúpidos, vão todos para o Porto em contramão!”

    • Paulo Marques says:

      Até estranho que ninguém tenha dito que é só uma gripezinha que só apanha quem anda ao frio.

      • POIS! says:

        Sim. E que o frio é culpa dos marxistas culturais que, por sua vez, o receberam, por herança, dos judeus.

        Pelo menos, lá na minha terra, quando o vento frio aperta, o que dizem é que “morreu algum judeu”. Se o dizem é por alguma razão. O povo é sábio!

  10. Daniel says:

    Que peça rara… o Fernando Nobre está cada vez pior….
    Desde que ele se lembrou de tentar ser presidente na AR e não lhe fizeram a vontade, despediu-se do cargo de deputado por carta e nunca mais apareceu na AR, eu fiquei logo com muita má impressão dele!…
    Agora, mesmo sendo médico com uma vida de experiência, teve coragem de dizer publicamente um disparate como este: “não há infectados assintomáticos”…
    Enfim… só pode estar a ficar senil…
    Também gostava de saber quanto é o seu ordenado como Presidente da AMI… há uns anos passava os 5.000€….

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.