Vai-te a eles, Cotrim!

Passa mais um dia e a parece que não há esquerda competente a refutar liberais. Começa a ser cansativo precisarmos apenas de desfazer as mentiras e não debater propriamente assuntos. Mas compreendo, fica difícil argumentar contra as ideias que maiores benefícios trazem para as pessoas, deixando de alimentar os vícios do Estado e dos seus minions.

 

Ontem, o João L. Maio teve de recorrer a um tweet de 2019 para tentar encontrar alguma incoerência no discurso do deputado único liberal, o João Cotrim Figueiredo. Mais: é sobre uma notícia de 2008. O João diz que o João Cotrim Figueiredo, “em 2008, na qualidade de administrador da PH (Privado Holding), detentora, na altura, do BPP (Banco Privado Português), pediu ao Estado 750 milhões de euros (tendo recebido 450 milhões)”. Mesmo 12/13 anos depois, é necessário espalhar mentiras? João Cotrim Figueiredo foi nomeado administrador da PH em Janeiro de 2009 e esteve apenas meses. Se ao menos as datas batessem certo, podíamos estar aqui a discutir a situação, mas nem isso.

 

Não sei ao que leva à esquerda precisar destas mentiras e aldrabices de pensamento. Talvez se deva à sua inveja por pessoas bem sucedidas revestida por uma luta pela igualdade social. Em relação a ontem, quase de certeza que se deve à coerência liberal. Aqueles que defendem lucros privados e prejuízos privados. Que não escolhem amigos, quando está em causa o dinheiro dos contribuintes. Já o Tiago Mayan tinha enfrentado André Ventura, em pleno debate, sobre o Vieira. Desta vez, foi a vez do JCF brilhar e bem. Até teve um bom momento de humor e tudo.

 

Cotrim, vai-te a eles. E sempre que a cabeça deles inchar, sugere-lhes desenhos animados. Ouvi dizer que nunca acaba mal.

 

Agora vou fingir que esta época de futebol não existe e celebrar o oitavo aniversário do golo do Kelvin.

 

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    “em 2008, na qualidade de administrador da PH (Privado Holding), detentora, na altura, do BPP (Banco Privado Português), pediu ao Estado 750 milhões de euros (tendo recebido 450 milhões)”. Mesmo 12/13 anos depois, é necessário espalhar mentiras? João Cotrim Figueiredo foi nomeado administrador da PH em Janeiro de 2009 e esteve apenas meses”

    Pois, já sei, a questão agora são de pormenores. Mesmo que assim fosse, vou admitir como certo, para não o contrariar, por uma questão de coerência, para não dizer mesmo de carácter, o deputado da IL, na altura só e apenas Dr. João Cotrim Figueiredo, jamais entraria “num barco” cujo modo de se financiar fosse dinheiro público, contrariando dessa forma a sua ideia de instituição financeira privada, ainda por cima com as especificidade desta, em particular.
    Passou-se o mesmo com a TECNOFORMA. Aquilo faliu, mas já lá não estava o Dr. Pedro Passos Coelho. Aquilo não passou de uma monumental aldrabice, mas o inventor de tão “prestigiada empresa” foi um gajo desconhecido da política partidária.
    Para quem acusa o PS de passar uma esponja sobre o passado, como se ele não existisse, sendo verdade que muita da dívida que pagamos hoje está associada à sua governação, a direita gosta muito, mas mesmo muito, de esconder a sua ligação trágica a alguns negócios ruinosos, elefantes brancos e acima de tudo à banca, ninho no qual nidificam como cegonhas.

  2. POIS! says:

    Pois sim!

    Trrrrim! Trrimm!

    Alô, Cotrim? Vai-te a eles e leva contigo o Rin-Tin-Tin!

Trackbacks


  1. […] Aparentemente, ontem menti, num texto dirigido ao deputado único do Iniciativa Liberal, depois da sua triste figura na Comissão de Inquérito Parlamentar, enquanto questionava o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira. Só que tenho de contar-vos uma inconfidência: não menti. […]


  2. […] sequência disto, que deu origem a isto e culminou nisto, apresento o Curriculum Vitae do agora CEO do Iniciativa Liberal, um homem […]


  3. […] tentativa, a que o nosso Francisco Salvador Figueiredo chama de momento de humor, por parte de João Cotrim Figueiredo, ao dizer “Nesta segunda ronda vou aproveitar para […]

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.