O 30 de Abril de 1984 e a morte de Otelo

30 de Abril de 1984 –  Morte de um bebé de quatro meses num atentado à bomba na casa da sua família em São Mansos, Évora”. De seu nome Nuno Manuel Polido Dionísio. Enquanto dormia no seu berço.

É dele e das restantes vítimas da organização terrorista liderada por Otelo Saraiva de Carvalho que me lembro neste dia. Que Deus lhe perdoe.

Comments

  1. Carlos Almeida says:

    “É dele e das restantes vítimas da organização terrorista liderada por Otelo Saraiva de Carvalho que me lembro neste dia. Que Deus lhe perdoe.”

    E ainda chamam a esta escumalha fascista, de “liberocas”

    Eles aí estão a mostra o ódio que sempre tiveram a quem lhes acabou a mama.

    Atenção, agora disfarçam-se de “Liberais”. Coitado do Alexandre Herculano.

    Ainda bem que “saem da tábuas” onde andavam encostados.

    Esta gente frustrada e cheia de ódio, é mais perigosa que o Ventura, mas felizmente o seu ódio imenso fá-los mostrar ao que vêm. Cuidado com eles.

  2. JgMenos says:

    Morreu mais um vitimado do protecionismo salazarista.
    Anos a fio sem deixar ver a verdadeira face da canalha esquerdalha, levou este tarimbeiro a recompensar a lisonja de semelhante gente dando-lhes armas e a imaginar-se chefe de praças de extermínio.
    Em final, recolheu-se aos confortos da bigamia, e para completar o entrudo só faltará virem querer pô-lo no panteão.

  3. Alexandre Barreira says:

    ….as touradas foram proibidas…é pena….senão teríamos uma “faena”…em memória do Otelo…..!!!

    • POIS! says:

      Pois tá bem!

      E se houver faena V. Exa. terá lá lugar, pode crer.

      Acho que se está a necessitar de lombo disponível para cravagem de bandarilhas. Se V. Exa. tiver algum disponível, pois candidate-se.

      Caso o lombo não seja considerado de qualidade ou esteja fora de prazo, pois poderia servir para o que já é: barreira.

  4. Filipe Bastos says:

    Foi-se outro dos santinhos do sacrossanto 25. Que tédio. Dias a levar com homenagens e ‘corajosas’ críticas e bitaiteiros sem fim.

    Nem tudo nele era mau: ouvi-o falar em democracia directa, ou pelo menos mais directa, e um sistema melhor que a esterqueira política legada pelo 25 – o que também não é difícil.

    Creio que, como outros oficiais, percebeu que a sua mera golpada corporativa ganhou vida própria e adaptou-se a esta: alinhou na fantochada. Claro que é melhor ser herói nacional e santinho toda a vida do que mero chuleco militar à cata de regalias.

    As FP-25 foram outro falhanço: destruiu inocentes e não mamões. Com terrorismo desse pode o capitalismo bem.

  5. Paulo Marques says:

    A sua participação na morte de Aldo Moro, Palme, e Sá Carneiro é que ninguém fala! E o Carlucci que já foi…

  6. jorge paulo sanches da cruz says:

    Não foi provado que Otelo tenha tido qualquer intervenção nesses atentados. Nessa altura houve, aliás, vários atentados e vários grupos terroristas em acção, de esquerda e de direita, respondendo uns aos outros. Foi um período conturbado…

  7. Jaime Neves says:

    E o cónego Melo ali tão perto com estátua e tudo…

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.