Lucrando com a ignorância

livraria_bertrand

[Nelson Zagalo]

E depois venham dizer que está tudo no Google, não é preciso saber nada. É como a Bertrand, existe imenso conhecimento por detrás desta montra, mas aquilo que nos apresenta é apenas a Ignorância Disfarçada de Livro.

Bertrand Livreiros não paga mais a quem lá trabalha e, no entanto, cede a estas estratégias de marketing que nada têm que ver com literacia, cultura ou sequer livros. Porquê? Ganância? Desprezo por quem respeita a livraria e o seu legado secular? Se ainda há pouco dizia aqui que o que me fazia ir a um dos centros comerciais da cidade era a Livraria Bertrand, tenho de confessar que depois de ver esta imagem perdi muita dessa vontade.

Como é que se pode acreditar, ou confiar, numa livraria que, para comemorar o dia do livro, preenche a sua montra desta forma? É com estes livros que a Bertrand espera realizar a sua contribuição para uma sociedade mais formada? Ou a Bertrand quer lá bem saber se a sociedade tem falta de literacia e nem sequer consegue compreender a fraude dos discursos anti-vacinas, anti-alterações climáticas, anti-imigração, etc…, etc…?
Parece que à Bertrand interessa apenas, no final do mês, o pote bem cheio.

Fotografia: Montra da Livraria Bertrand, Coimbra. Por @Filipe Homem Fonseca.

Parabéns à PORTO EDITORA!

Pode entender-se como publicidade paga. Também pode parecer manifestação de xenofobia. Assevero não ser nenhum dos casos. Trata-se apenas de manifestar o júbilo pelo facto da Porto Editora ter praticamente assegurado a compra da Bertrand e do Círculo de Leitores.

Parabéns à PORTO EDITORA! Tudo indica, assegurará a manutenção em mãos portuguesas de duas empresas de edição e distribuição de livros que, acredito, continuarão a ser veículo essencial de difusão de cultura e de saberes, mesmo nos tempos da Internet. De forma categórica, é dada uma lição de superioridade ética aos grandes (?) empresários portugueses; nomeadamente àqueles que, tempos depois de subscrever um documento de defesa dos ‘centros decisão nacionais’ para a Presidência da República, alienaram a grupos estrangeiros as participações de capital de instituições e empresas emblemáticas.

Por último um apontamento: a ‘Bertrand do Chiado’, fundada em 1732, antes portanto do terramoto de 1755, é a segunda livraria mais antiga do Mundo. A primeira está localizada em Tóquio.   

O Símbolo perdido é muito caro

Hoje, por questões de agenda familiar fui "obrigado" a passar uma horita na FNAC. Para aproveitar o tempo resolvi pegar no livro do Dan Brown " O símbolo perdido".

Li e reconheci nos primeiros cinco capítulos o mesmo autor de Código Da Vinci, de Conspiração, de Fortaleza Digital ou de Anjos e Demónios.

Convencido a fazer a aquisição, olhei para o preço… 22,46€.

Achei!

Acho!

MESMO.

Um exagero – na moeda antiga quase 4 contos e meio por um livro…

Pensei, é por ser na FNAC… erro… Continente, Wook, Bertrand

O melhor da concorrência em Portugal! O mesmo preço em todas!

Conclusão: fico à espera da próxima seca que levar no Shoping para continuar a minha leitura!

Nota: será que a Srª Ministra, mulher dos livros, poderá olhar para isto com alguma atenção? Em vez de nos dar a possibilidade de comprar portáteis a 150 euros poderia criar melhores condições para que os professores pudessem ler mais, por exemplo, através das bibliotecas das escolas… Digo eu, que não percebo nada disto.