Cairo

A 28 de Janeiro de 2011, o jornal The Telegraph, dava conta de que a história das grandes manifestações populares na cidade do Cairo, que acabariam por levar à deposição de Mubarak, era um pouco mais complexa do que parecia.

O artigo alucinante é escrito por Tim Ross, um jornalista formado em Oxford e com 15 anos de experiência no mundo da política.

Massa fina crocante ou artesanal?

Bem Vindos ao Cairo 005

O bairro onde vivo, é um grande pequeno lugar do Cairo, junto ao Nilo, chamado Maadi.
É onde estão algumas das embaixadas, a Escola Americana, a Escola Britânica e o
complexo de habitação e trabalhos especiais para americanos.
É onde mora grande parte dos estrangeiros.
É um bairro do início do seculo XX criado por uma empresa britânica dos caminhos de ferro,
feito de moradias ricas, para britânicos abastados e judeus ricos.
Depois da abolição da monarquia, em 1953 e da retirada das tropas britânicas em 1954,
o bairro transformou-se completamente, tendo sido nacionalizado em 1961.
Os amplos jardins, fora transformados em quarteirões de edificios altos.
Os canais de água desapareceram, o urbanismo manteve-se na sua maioria, mas nas novas zonas construidas,
a arquitectura adulterou-se bastante. [Read more…]

Bem Vindos ao Cairo 004

Estou com algumas dificuldades em pensar na forma  mais correcta de vos falar do cheiro, do sabor e da cor da fruta.
Quando aqui cheguei e fui fazer o reconhecimento do meu bairro, a primeira coisa que me chamou a atenção
e fez toda a diferença na construção da imagem do
sitio onde iria viver uns meses, foram os carrinhos de fruta,
esquina sim, esquina sim, com aquele cheiro que se sentia
20 metros antes e entrava no cérebro como uma mensagem:
come-me, eu sou o néctar dos néctares.
Imediantamente me apaixonei pelas vendas ambulantes de fruta,
que fucionam desde o por-do-sol até para lá da meia-noite.
Às vezes, de manhazinha, há também as tipicamente conhecidas carrroças ambulantes puxadas a burro.
Miudos com idade para brincar, tentam ganhar algum numa vida tristemente miserável.
Mas são felizes parece-me. Sorriem para as fotos, e pedem-nos para comprar tomates, alfaces e batatas.  [Read more…]

Bem Vindos ao Cairo 003

Há duas coisas que os portugueses costumam fazer com frequência quando saem do país.

Não sei em quantas culturas é normal isto acontecer, mas tenho a noção que nós estamos perto do exagero.

Quantos de vocês é que já deram conta que estão a medir a qualidade do café  e a qualidade e quantidade de comida por preço praticado, quando saem de Portugal?

Eu acho que somos capazes de fazer isto dentro de portugal, quanto mais fora.

Sim, acredito que cada um de nós é especialista gastronómico,  segundo parametros pessoais estabelecidos desde muito cedo pelos nossos hábitos e influências das nossas mães e avós.

Desde que cheguei ao Cairo, comecei a  medir imediatamente a qualidade versus quantidade versus preço do que me era dado a experimentar. [Read more…]

Bem Vindos ao Cairo 002

A primeira visita é sempre cheia de recomendações para quem não conhece o país, as gentes, a cultura.
Começa logo com os nãos.
Algumas, são apenas observações minhas, de entre o que vou vivendo e o que me vão explicando.
Estou aqui há um mês.
Não se pode beber água da torneira.
Não é permitido vender bebidas alcoolicas nos supermercados.
Não há bebidas alcoolicas nos menus dos restaurantes e embora alguns as sirvam,
é preciso saber que locais as têm.
Não há regras de trânsito, literalmente.
tem prioridade quem passa primeiro e quem buzina mais. ´
Caótico!
Até hoje, ainda só vi 3 sinais de trânsito:
“proibido falar ao telemóvel”
“proibido buzinar” e
“sentido proibido”
Ainda assim, é de longe o melhor caos organizado que conheço.
Não há muita liberdade para se vestir o que se quer, pelo menos da parte das mulheres.
Eles dizem-se modernos e a caminhar para a aproximação ao mundo ocidental,
mas ombros e joelhos à mostra, ainda são mal vistos pela maioria da população.
Há quem não faça caso disso, mas os nomes atribuidos a essas mulheres daquela forma sorrateira, não são os mais bonitos.
Eu sou, claramente, uma dessas mulheres.  [Read more…]

Bem Vindos ao Cairo 001

Imaginem uma cidade amarela, cor de areia.
Com  grandes construções em tijolo, arranha-céus à americana, casas rasteiras em adobe,
casinhotas de chapa de zinco e contraplacado de madeira.
Imaginem uma cidade quente, repleta de carros, cheia de gente.
Uma cidade que cheira a coisas. Cheira a tudo.
Uma cidade grande, que não dorme. [Read more…]